Explosivos da FAB ‘caem do céu’ e assustam moradores de Jaraguá, em Goiás.

Moradores ficaram assustados depois que quatro artefatos explosivos de uso exclusivo da Força Aérea Brasileira caíram do céu em Jaraguá, na região central de Goiás. Os “flares” foram encontradas em datas e fazendas diferentes da região. Os objetos foram detonados pela Polícia Militar.

O flare tem cerca de 15 centímetros e é usado para enganar mísseis guiados pelo calor. Trata-se de um objeto feito com material inflamável, que produz efeitos de luz parecidos com fogos de artifício ou sinalizadores de emergência. Quando lançado pelo piloto, a alta temperatura atrai o míssil, que não consegue atingir a aeronave.

O Comando da Aeronáutica informou que os artefatos são os mesmos usados em treinamentos dos aviões que saem da Base Aérea de Anápolis, a cerca de 80 km de Jaraguá, para fazer simulações de combate na região. A FAB informou que abriu uma investigação técnica para apurar o caso.

Os explosivos foram encontrados por fazendeiros de Jaraguá nos últimos 20 dias. A inscrição em inglês com o alerta de que se tratava de um objeto “explosivo e inflamável” assustou os produtores rurais e vários moradores da cidade, que tem cerca de 40 mil habitantes.

O feirante Evanilton Rodrigues Guimarães conta que ficou surpreso e achou que os explosivos tivessem sido deixado nos locais por criminosos. “Fiquei encabulado, ver esse ‘trem’ acontecer em um lugar igual o nosso aqui, que não tem movimento de bandidagem nem nada”, questionou.

Normalmente o objeto se desintegra no ar, antes de cair no solo, o que não aconteceu com os explosivos encontrados em Jaraguá. Por conta disto, a PM foi acionada para detonar os flares, nas fazendas onde eles foram encontrados.

Por se tratar de um material que pega fogo facilmente, policiais fazem um alerta sobre o perigo de ser manuseado por pessoas despreparadas. Segundo a corporação, os moradores que encontrarem artefatos semelhantes devem manter distância e acionar a Polícia Militar.

O protético Isac Alves de Oliveira ficou com medo, e curioso para saber de onde vinha o objeto “estranho”. “Estou assustado, com medo, como que isso foi parar aqui né?“, disse.


FONTE: G1

 

15 COMENTÁRIOS

      • Veja nesta foto que não tem nenhum sistema de trava específico, o modelo mais comum é este retangular com um lado liso e outro com uma espoleta para acionamento que deve ser elétrico.
        Por isso se solta em algumas ocasiões, parece ser algo relativamente simples de se colocar, do tipo empurre até ouvir um click e ficar na posição, é o que eu acho sem conhecer em detalhes.
        . http://kampfgebiet.server-shared.com/jsdf-31-22.J

          • Este que vc mostrou é o M206 e eu mostrei o M211, eles tem suas diferenças no funcionamento mas são bem parecidos.
            . http://www.globalsecurity.org/military/systems/aircraft/...
            .
            Veja a diferença entre estes 3 modelos parecidos.
            "The Advanced Infrared Countermeasure Munition (AIRCMM) program consists of two new improved aircraft Infrared (IR) countermeasure decoys. They are designated as the M211 and M212 Aircraft Countermeasure Flares and supplement the M206 Aircraft Countermeasure Flare currently utilized by Army Aircraft.

            Flare, Aircraft: Countermeasure, XM211 is an infrared decoy cartridge to be used with any aircraft dispenser system capable of firing the M206 flare. The XM211 flare is not a substitute for the M206. This flare is dispensed from aircraft to decoy infrared seeking missile threats away from the aircraft. The XM211 flare consists of an aluminum case which contains a receptacle (squib cup) for an impulse cartridge, a piston, and a payload of stacked advanced material foil elements, which are pyrophoric (reacts with air). The flare is approximately 8" long and has a cross section of 1" X 1", and weighs approximately 2/3 pound. Nomenclature and part number are printed on the flare. Later configurations of the flare may contain a decal located at the squib end. The impulse cartridge receives a firing signal from the aircraft's on-board deployment system. Once the firing signal is received, expanding hot gases from the impulse cartridge eject the highly air-reactive payload from the cartridge case into the air stream.

            Flare, Aircraft: Countermeasure, XM212 is an infrared decoy cartridge to be used with any aircraft dispenser system capable of firing the M206 flare. The XM212 flare is not a substitute for the M206. This flare is dispensed from aircraft to decoy infrared seeking missile threats away from the aircraft. The XM212 flare consists of an aluminum case which contains a piston, a Safe and Initiation (S&I) device, and a flare pellet grain assembly. The flare is approximately 8" long and has a cross section of 1" X 1", and weighs approximately 1/2 pound. Nomenclature and part number are printed on the flare. Later configurations of the flare may contain a decal located at the squib end. The impulse cartridge receives a firing signal from the aircraft's on-board deployment system. Once the firing signal is received, expanding hot gases from the impulse cartridge simultaneously ignite the S&I device and expel the flare out of the case and into the slipstream. When the flare exits the case, the S&I device ignites the flare pellet."Global Security.

  1. Uma coisa interessante, eu tinha estranhado na foto de um dispersador com vários ja lançados e achei que deveriam lançar em ordem para não ficar desta maneira.
    . https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/th
    .
    Mas tem um motivo para não lançarem um do lado do outro em sequencia rápida, poderia o acionar outros não desejados na proximidade, vejam nesta foto que existe uma ordem de acionamento para que não sejam disparados dois vizinhos na sequencia.
    . http://kampfgebiet.server-shared.com/jsdf-31-22.J
    .
    Este é o equipamento dispersador completo, com seus módulos.
    . https://www.ewsigint.net/logos/563997_PROD_symetr
    .
    Este é outro modelo com flares circulares, o que não muda nada no funcionamento.
    . https://i2.wp.com/img4.hostingpics.net/pics/28375

    • Será que o calor gerado no lançamento pode afetar os "vizinhos"? Tipo criar muito calor no lançador? Sendo aleatório, a estrutura teria tempo para "esfriar" evitando lançamentos involuntários, por isso são lançados fora de ordem,.. Só uma teoria..

  2. Simplesmente não deve ter acionado, ou até mesmo desprendeu-se como o Giordani acima citou. Se tava usando flare é porque tava treinando, se tava treinando é porque tava voando e se tava voando é porque estavam fazendo o que foram feitos pra fazer.

DEIXE UMA RESPOSTA