Veículo percorreu 16 quilômetros até atingir o local de impacto no Oceano Atlântico.

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, realizou pela primeira vez, na ultima quinta-feira (9), o lançamento noturno de um Foguete de Treinamento Básico (FTB). O exercício integra a atuação operacional durante a Operação Falcão I / 2018, iniciada na última segunda-feira (6).

A projeção ocorreu às 21h15 pelo horário local e o veículo percorreu 16 quilômetros até atingir o local de impacto no Oceano Atlântico. Em pouco mais de um minuto o FTB alcançou 30 quilômetros de altitude máxima. Ao todo, o voo de treinamento levou dois minutos e 44 segundos. Em outra atividade, foi testado o funcionamento de duas antenas de telemedidas do Centro, situadas em Alcântara, e que foram recentemente revitalizadas.

O Diretor do CLA, Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, avalia que a operação representou um grande desafio para o Centro, a começar pelo fato do lançamento ocorrer à noite pela primeira vez, utilizando somente opessoal daquela Organização Militar, o que tornou a atividade ainda mais desafiadora. “Ainda há o fato de, quase uma década depois, termos utilizado plenamente e com ótimo desempenho a Antena de Telemedidas Stella 43, nosso principal instrumento para coleta de dados dos veículos em voo, juntamente com sua antena secundária, ambas recentemente recuperadas e modernizadas“, explica.

Por fim, o FTB apresentou um excepcional desempenho durante toda a trajetória de voo, caindo próximo à área de impacto prevista. O resultado reforça o grau de maturidade alcançado pelo Centro e o nível de profissionalismo de todas as equipes envolvidas. Isso demonstra que estamos preparados para operações cada vez mais complexas“, completa o diretor.

A operação Falcão I / 2018 realizada pelo CLA visa a preparação, o lançamento e rastreio de um FTB, com telemetria banda S, tendo como finalidade o treinamento operacional do Centro e, ainda, a obtenção de dados de seus instrumentos. O veículo, de fabricação nacional compõe o projeto Foguete de Treinamento (FOGTREIN), desenvolvido pelo Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da Força Aérea Brasileira juntamente à indústria.

Além do FTB, também faz parte do FOGTREIN o Foguete de Treinamento Intermediário (FTI), sendo ambos operados desde 2009 no CLA. 

A Marinha do Brasil e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) apoiaram a operação com a interdição do tráfego marítimo e aéreo, respectivamente, em área de segurança delimitada e próxima à plataforma de lançamento situada na península alcantarense. A operação da noite do dia 9 ainda contou com suporte logístico do Grupamento de Apoio de Alcântara (GAP-AK) e do Esquadrão de Saúde de Alcântara (ES-AK).

 


FONTE: Força Aérea Brasileira

 

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. "percorreu 16 km", ahahah
    Da a entender que aquilo se transformou num mini curso da fab, o aspira se formou, dai mandam pra Alcantara por algumas semanas e só.
    Não tem plano algum, talvez nunca teve, mas a grana cai todo mês e a meio século, que doutrina cara essa né.

    Se dependesse de mim eu mandava queimar tudo para que nenhum parasita vivesse daquilo ou eu pagaria para os americanos usarem, sim eu pagaria para usarem ahahah

    • Atividade extracurricular. Contam 20 horas por lançamento, basta protocolar o relatório. Saudades dos bancos universitários…

  2. Um grande erro histórico que atrasa o fraco Programa Espacial Brasileiro é deixar o lançamento de foguetes nas mãos dos militares, enquanto os satélites são da alçada do INPE. É preciso trazer o programa inteiro para mãos civis. Não é garantia de sucesso, mas já seria algo

  3. O Programa Espacial Brasileiro só surgiria nas mãos de iniciativa privada e não do governo. Mas concordo com as palavras do Ten. Brigadeiro Rossato, em que o mesmo afirma que Alcântara deveria ser aberta para o uso comercial, na forma do aluguel das instalações, assim gerando dividendos para o Programa Espacial e não simplesmente entregá-la aos Americanos por exemplo.

Comments are closed.