A Força Aérea Brasileira (FAB) coordenou no dia 9 de setembro uma operação de resgate de passageiros de um acidente que ocorreu próximo à Ilha de Marajó (PA).

A aeronave acidentada, modelo Corisco, decolou no final da manhã de sexta-feira (08/09), da cidade de Breves com destino a Belém, quando sofreu uma pane e realizou um pouso forçado, em uma região pantanosa sem fácil acesso, a aproximadamente 130 km de Belém. A aeronave transportava valores, e estavam a bordo três pessoas: um piloto e dois seguranças. Não houve feridos e a tripulação se encontra bem.

Às 11h20 o 1º/8º Grupo de Aviação (GAV) Esquadrão Falcão, de Belém, foi acionado para realizar o resgate. Após procedimento de instrução, uma equipe de resgate de dois pilotos e dois operadores de equipamento se dirigiu ao local com um helicóptero H-36 Caracal da FAB.

O resgate ocorreu com sucesso. Segundo informações do Tenente Charles Bruno Duarte, piloto da aeronave e Comandante da missão, após a decolagem, a equipe de resgate prosseguiu para aproximadamente 107 km de Belém, coordenada dada pela Salvaero.

Calculamos mais ou menos 29 minutos de voo. Quando próximos, reduzimos a velocidade, para realizar a busca. A mais ou menos 5 km da posição, conseguirmos visualizar a aeronave. Ela estava em uma região que aparentemente dava para pousar, como se fosse uma clareira com várias arvores em volta. Passamos sobre a área, mas, quando nos aproximamos, vimos que era uma região de pântano e parte da aeronave já estava alagada, com os passageiros em cima da mesma. Fizemos mais um tráfego e optamos pelo resgate através do içamento, pela vertical da aeronave. Na sequência, os homens de resgate iniciaram os trabalhos e desceram para o preparo das vítimas. Analisamos e vimos que não estavam com ferimentos graves e que somente o içamento era suficiente. Com os três passageiros a bordo, regressamos”, conta.

Ao aproximar do pátio operacional de Belém, a ambulância já estava aguardando com o apoio. A aeronave pousou em Belém às 14h55. Os passageiros desembarcaram e passam bem. O piloto do avião foi encaminhado para o hospital, mas estava consciente e, aparentemente, apenas com escoriações leves. Os dois outros passageiros seguiram com o proprietário da empresa.

Na chegada, o piloto da aeronave acidentada se pronunciou: “Agradeço o trabalho 100% da FAB e a atenção no procedimento de resgate“.

O Major Aviador Ivaldeci Hipólito de Medeiros Neto, do Centro de Operações do Esquadrão Falcão, ressaltou como é feito o trabalho de coordenação da equipe de resgate, quando acionados para atuação em situações de emergência. “O Rescue Cordination Center (RCC), sediado em Manaus, coordena os resgates e busca em nossa região. A partir do momento em que é acionado o alerta para a tripulação de resgate, a equipe tem uma hora e meia para se deslocar, coletar as informações e decolar”, revelou. No caso deste acionamento, “o Comandante reuniu a equipe na base para um briefing de informações e coordenou os procedimentos a ser feitos, quando no local da  ocorrência”, finalizou.

 


FONTE: 1º/8º GAV, OCS Tenente Martins e Agência Força Aérea – IMAGENS: 1º/8º GAV

 

6 COMENTÁRIOS