Participantes do encontro de usuários Gripen, em foto do dia 7 de dezembro, em Praga, República Checa.

Uma reunião de três dias do Gripen User’s Group, realizada em Praga na semana passada, permitiu que os representantes da força aérea do Brasil, da República Checa, da Hungria, da África do Sul, da Suécia e da Tailândia trocassem e compartilhassem sua experiência e conhecimento na operação da aeronave supersônica Saab JAS39 Gripen. Esta foi a primeira participação do Brasil no encontro, que foi representado por quatro militares da Força Aérea Brasileira (FAB). Em maio de 2018, o encontro será no Brasil.

O encontro foi dividido em três grupos de trabalho. O primeiro grupo centrou-se na aquisição, desenvolvimento e uso operacional do sistema Gripen. O segundo foi composto por comandantes de esquadrão e inspetores de segurança que discutiram questões como segurança de voo e operação diária, com os especialistas em manutenção formando o terceiro grupo de trabalho.

Caças Gripen da República Checa.

O Plano de Ação, o documento de orientação produzido após a reunião, resumiu as novas descobertas abrangentes e os conhecimentos adquiridos; forneceu informações detalhadas sobre a habilidade, expertise e proficiência necessárias para a efetiva produtividade e eficiência da aeronave, a fim de atingir o máximo do voo e desempenho de combate.

O encontro foi presidido pelo coronel Jaroslav Mika, o chefe do Departamento de Treinamento de Combate da Força Aérea junto ao Ministério da Defesa da República Checa, e também compareceu o comandante da Força Aérea Checa, o major-geral Jaromir Sebesta. Embora os fabricantes de aeronaves não sejam membros do Grupo, a participação da Administração Sueca de Materiais de Defesa (FMV) serviu para ajudar a encontrar uma solução para quaisquer questões problemáticas surgidas durante as discussões.

A empresa SAAB, fabricante do caça, também esteve presente e apresentou, em um seminário, as ações desenvolvidas em resposta às solicitações dos operadores, o atual estágio do pacote de desenvolvimento denominado MS-20 da aeronave Gripen C/D, aspectos relativos à segurança de voo e um briefing sobre o desenvolvimento da versão adquirida pelo Brasil, denominada Gripen NG.

 

Segundo o Major-Brigadeiro Jefson Borges, que liderou a comitiva brasileira, a partir de agora, a FAB participará de todas as reuniões relativas ao novo caça, não somente as do grupo de usuários, mas também as de Treinamento de Liderança Tática. Para ele, o encontro serviu para que o Brasil, como futuro usuário do Gripen, pudesse ouvir dos operadores – alguns que utilizam o caça há mais de 20 anos – sobre suas experiências, táticas, soluções logísticas, novos desenvolvimentos e problemas que precisam ser resolvidos.

Integrantes da Força Aérea Brasileira que participaram do encontro.

“O Brasil foi um dos principais focos dessa última reunião do Gripen Users Group. Os países operadores mostraram interesse em conhecer como a FAB irá receber e operar o Gripen NG e os nossos desafios, que deixa claro que eles percebem a dimensão do nosso País. Aqui, eles terão não só a oportunidade de conhecer a nossa Força Aérea, bem como as instalações da Embraer onde o Gripen será montado, em Gavião Peixoto, no Estado de São Paulo. Lá, também, poderão conhecer o KC-390, uma vez que todos os países presentes no evento, este ano, mostraram-se interessados em aprofundar os conhecimentos sobre o dueto Gripen NG e KC-390, que irá revolucionar a FAB”, avalia o Oficial-General.

5 COMENTÁRIOS

  1. Esperando pela transferência de tecnologia… Agora com a historinha Boeing e Embraer, fazemos o que com ToT? Porque somos tão inocentes, porque gastamos dinheiro com coisas que fazem parte de sonho, imaginário, ou algo mais insólito ou místico? Torcendo para que a Boeing compre a maior parte das ações da Embraer, e que assuma seu controle. Precisamos acabar de vez com essa influência dos tupinambás, saúvas na vida privada do brasileiro, precisamos acabar com sua fonte de riqueza.

    • Os indianos fazem isso há cinquenta anos e não conseguem terminar o Tejas, onde só o piloto é indiano.

      Na marinha, fizeram as Niterói, projetaram as Inhaúma, reprojetaram a Barroso e hoje não conseguimos fazer um patrulha.

    • No assunto Gripen, sempre achei estranho o desdem da Embraer pelo projeto.

      Quase nada no site.

      Agora, sabemos o motivo.

  2. O Brasil vai demostrar conhecimento em que nessa reunião ? Nem avião tem, só se for em simuladores e vídeo game.

Comments are closed.