Aviões estão desmontados em hangar do Paraná e já consumiram R$ 145 milhões.

Anunciados com pompa no fim do segundo governo Lula como uma grande arma de combate ao crime organizado, os veículos aéreos não tripulados (VANTs) da Polícia Federal não voam desde fevereiro de 2016. Os dois aviões estão parcialmente desmontados em São Miguel do Iguaçu (PR), dentro de um hangar. Do lado de fora, a pista de pouso está coberta por mato. No ar, ficou a promessa de o Brasil comprar até 14 VANTs, construir quatro bases aéreas fixas e duas móveis e treinar 90 policiais para operar o sistema, com o objetivo de permitir à PF prover o mais valioso ativo no combate ao crime: a informação de inteligência.

Embora o namoro do Brasil com os aviões espiões tenha começado em 2007, na gestão de Tarso Genro (PT), foi só em 2011 que as operações com os dois aviões comprados pelo Brasil da empresa israelense IAI começaram para valer. Os dois custaram, juntos, US$ 27,9 milhões. Durante anos, tanto o Ministério da Justiça quanto a PF — já naquela época dirigida pelo atual diretor, Leandro Daiello Coimbra — diziam se tratar de uma das mais modernas ferramentas contra o crime transnacional em suas diferentes vertentes.

O VANT serviria à atividade policial no Brasil por conseguir trazer informações muito qualificadas sem ser percebido e sem colocar em risco a vida de agentes. Além de não ter tripulação, os VANTs são dotados de câmeras capazes de, sob praticamente qualquer condição de luz, tirar fotos e filmar.

Um dos vants que estão parados em hangar na cidade de São Miguel do Iguaçu, no interior do Paraná. Além da vigilência, havia previsão de transferência de tecnologia – ToT

O governo planejou e aprovou no Congresso leis com previsões orçamentárias para que fosse criada uma megaestrutura capaz de atender as necessidades de combate ao crime de diversos estados, incluindo patrulhamento marítimo (veja o infográfico). O serviço funcionaria por 24 horas e todos os dias da semana, com transmissões de imagens e dados em tempo real. O uso planejado nunca foi operacional, como apreender um caminhão lotado de cigarros contrabandeados. O objetivo seria, por exemplo, identificar a rota de um desses caminhões, bem como os integrantes da organização criminosa.

Embora não admitam publicamente, integrantes da gestão de José Eduardo Cardozo no Ministério da Justiça e da atual direção da PF afirmam que o esvaziamento do projeto dos VANTs ocorreu porque não houve o retorno esperado no combate ao crime. Também nos bastidores, temendo represálias se falarem em público, defensores dos VANTs dizem que a cobrança é injusta.

O projeto nunca foi executado como foi planejado. Gastaram milhões e logo pararam. O projeto está abandonado”, afirma um policial em condição de anonimato.

O projeto sempre foi caro. Se fosse executado em sua plenitude, a PF calcula que seriam R$ 500 milhões anuais. De 2009 até hoje, foram desembolsados cerca de R$ 145 milhões. Mas a própria polícia admite que a razão por trás da interrupção do projeto não é orçamentária. Há dinheiro previsto em lei para os VANTs. A execução orçamentária, entretanto, evidencia o abandono. Em 2016, foram empenhados R$ 28 milhões para o projeto e apenas R$ 3,4 milhões (12%) foram liquidados. Os percentuais nos anos anteriores quase sempre apontaram uma execução baixa.

A PF afirmou que o projeto foi interrompido para ser repensado e para que se adequasse “aos novos avanços tecnológicos em sistemas de imagem, comunicação em tempo real e georreferenciamento“. O principal passo nessa direção ocorreu em agosto do ano passado, quando a direção da polícia criou uma comissão para estudar o que fazer com o projeto.

Um relatório parcial da comissão, feito em fevereiro deste ano e a que o GLOBO teve acesso, propõe uma série de medidas imediatas para que os VANTs possam voltar a decolar. Num primeiro momento, será necessário refazer, entre outros, contratos de manutenção e da banda satelital, responsável por fazer o envio das imagens captadas pelo avião para a base em terra. Também serão necessários investimentos para modernizar a câmera do VANT e para treinar mais pilotos.

A polícia também silenciou sobre outros pontos polêmicos desde que o projeto dos VANTs começou a sair do papel. Desde agosto de 2016, sem a renovação do contrato, os veículos estão sem manutenção. Seguem desmontados parcialmente e os eletrônicos, câmeras eletro-óticas e demais componentes, estão encaixotados. A PF diz que esta é a recomendação técnica pela falta de uso.

Os VANTs nunca chegaram perto do potencial planejado. Eram previstos o apoio e a integração com as Forças Armadas, a Receita Federal, a Polícia Rodoviária Federal, o Ibama e até a Funai. Informações sobre o crime transnacional poderiam ser compartilhadas com outros países e organismos multilaterais. O acordo feito com a empresa israelense IAI previa que, a partir da compra do terceiro avião, começaria uma série de ações de transferência tecnológica (ToT) para uma empresa brasileira para que ocorresse aqui a fabricação, produção e homologação dos VANTs.

(imagem: DefesaNet)

Segundo o último contrato de manutenção do sistema firmado com a IAI, os aviões poderiam atender mil horas anuais e até 84 horas mensais de voo. A estatística de horas de voo dos VANTs, no entanto, apontam que 2014 foi o ano em que eles mais voaram, quando estiveram no ar por 468 horas. Dos oito pilotos formados entre 2009 e 2010, hoje não há nenhum disponível de imediato para o trabalho e dois já se aposentaram da Polícia Federal.

Nem uma base adequada chegou a ser construída. O hangar do aeródromo, emprestado da prefeitura local, foi adaptado para a decolagem, mas a pista de pouso e decolagem não atende às especificações técnicas os requisitos da fabricante israelense. Em 2011, a PF gastou R$ 365 mil para que uma empresa fizesse um projeto básico para a construção da base. O projeto, orçado em R$ 37 milhões, nunca saiu do papel. A PF diz não ver necessidade de construir uma nova base.


FONTE: O Globo

 

Anúncios

30 COMENTÁRIOS

  1. Dinheiro do contribuinte tem pouco valor nas mãos de nossos gestores.
    Isto evidencia também o descaso e a falta de profissionalismo dos que cuidam da defesa do país.

  2. Problema simples de resolver com duas soluções:
    1) – Aloca-se recursos para a operação pela Polícia Federal, ou,
    2) – Repasse as aeronaves para a Força Aérea Brasileira que já opera com sucesso e competência Vant's no esquadrão HORUS.

    CM

  3. Me esqueci de mencionar… nossa PF sempre foi em todos os governos uma farsa, cheia de ninhos de cobras, com privilégios absurdos e desperdícios.
    Temos muitas agencias e nada de inteligência!

    CM

    • e o que atesta isso e treinar um policial que esta proximo de dar baixa

  4. Esse VANT é grande demais às necessidades e condições/estruturas operacionais da PF, quem acompanha este assunto sabe que a muito tempo se questionava o uso de um VANT MALE pela PF. Este tipo de drone deveria estar nas mãos da FAB, ou MB (patrulha marítima).

    Em contrapartida, os Hermes 450, hoje na FAB, é que deveriam estar em operação na PF. Menores e mais barato, seriam mais adaptados às operações policiais. É o que eu penso.

  5. A ideia inicial era interessante, inquestionavelmente o aparelho seria de imensa valia na questão do tráfico Internacional de armas, drogas, etc; garimpos ilegais; desmatamento…

    Porém, o ideal foi contaminado. Vislumbrando um enorme vácuo institucional, seja pela histórica incompetência da FAB e demais Forças em patrulhar nossas fronteiras e dos órgãos de inteligência que só produzem dossiês para campanha eleitoral, a PF criou um projeto acima de suas capacidades e necessidades. Vale lembrar que com enorme apoio do governo a época, que prometia recursos ilimitados a todas as pastas.

    Menos mal que não levaram essa megalomania a frente, não precisarão de UAVs para continuar prendendo nossos iluminados.

    Ps: lembro do tal do Saito ameaçando até abater essas aeronaves, tenho sérias dúvidas se conseguiriam kkkkk.

  6. Pedra cantada. O governo deu um cheque em branco para copa e olimpíada. Agora a conta chegou. Era muito populismo para a imprensa ver. Me lembro dos repórteres babaquaras espantados por verem baterias anti-aéreas sobre prédios e "modernos jatos armados com mísseis de guerra"…

    Sabe uma compra que, se tivesse sido efetivada durante a farra, estaria jogada as traças hoje? O Pantsir…

  7. Também como alguns colegas acima, acho esse vant demais para a PF. Seria interessante repassa-lo para a FAB e através de parceria utilizar os dados coletados. Acho que seria mais útil dessa maneira.

  8. A PF brasileira ja começou errado na escolha do UAV, um modelo grande demais com 1150 kg e caro para operação policial, não tinham necessidade nem capacidade para o operar.
    A PF mexicana neste quesito trabalhou certa, usa um balão e dois modelos leves, o maior com 50 kg de fabricação mexicana.
    . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A
    .
    Ehcatl: https://en.m.wikipedia.org/wiki/Hydra_Technologie
    .
    Skystar 300: http://www.rt.co.il/skystar-300
    .
    Orbiter: https://en.m.wikipedia.org/wiki/Aeronautics_Defen

    • Por falar em Mexico, vi um doc. que passa no N.Geographic, os americanos monitorando um grupo transportando droga, mas estavam do lado mexicano, o agente americano disse que os mexicanos são sempre avisados mas nunca aparece ninguém, ou quando aparecem é duas horas depois kkkkk

      Outro dia, vendo uma materia na ponte da amizade, a tv flagrou varias travessias, mulas jogando pacote na margem, e dai o policial da ronda disse que sempre quando chega no local, não tem mais ninguem kkkkkk

      O cara nem tem vergonha de assumir de forma velada que ganha pra chegar atrasado no local, local que TODOS dias tem ocorrência kkkkk

  9. Falando sério, alguém um dia acreditou que a PF brasileira teria capacidade de operar e manter os equipamentos comprados da IAI? só alguém com muito desconhecimento na área de material de defesa.

    Questão de tempo para acontecer o que aconteceu: milhões jogados fora.

    Mandar os equipamentos para a FAB? só depois de uma avaliação técnica se ainda tem alguma serventia. Não me parece o caso.

  10. Como sempre nada muda no Brasil a começar pela escolha dos pilotos que se formaram em 2009 e 2010 sendo que 7 a 8 anos depois estão todos aposentados, isso é o nosso planejamento brincar de planejar para brincar de proteger a população o único lugar que não tem brincadeira neste país é na cobrança de imposto pois precisam de dinheiro para estas brincadeiras todas, uma total falta de competência, respeito pelo nosso dinheiro e como sempre não podemos chamar este pessoal de grupo e sim de um bando, que vergonha de ser brasileiro.

  11. Falando sério, alguém um dia acreditou que a PF brasileira teria capacidade de operar e manter os equipamentos comprados da IAI? só alguém com muito desconhecimento na área de material de defesa.

  12. Este UAV( VANT dói no meu ouvido), não é grande demais para a PF..

    Somente foi uma compra impensada e sem garantir os recursos para operação continua no futuro.

    Repassá-lo para a FAB é uma opção, mas interessa a turma de azul recebê-lo ? É mais provável ele voltar para Israel em um acordo de recompra bemmmmmmmm prejudicial aos cofres brasileiros.

    E não querendo relembrar, mas já relembrando mais um acordo de ToT que foi pro vinagre…

  13. SE este fosse um país sério (coisa que não é) teria que haver uma investigação muito bem feita sobre essa compra.
    Incompetência não pode mais ser tolerada nesse país!
    Uma instituição séria como a PF rasgar milhões é um absurdo passível de pena criminal aos responsáveis (ou ao menos deveria ser), ao menos eu penso assim!
    Nosso país é um poço de absurdos, está difícil manter a vontade de morar nessa anarquia!

  14. A FAB ja está com dois modelos Elbit, mas ja que estão parados valeria a pena usar estes dois IAI.
    Não creio que seja difícil colocar novamente em voo, só foi desmontado, não sofreu nenhum acidente.
    Com certeza a IAI daria toda a assistência para colocar estes dois IAI Heron em voo novamente.
    Imagino serem mais úteis na Patrulha, não sei o que tem de sensores e radar este Heron da PF, mas a IAI tem a opção de sensores voltados a patrulha como os que Israel está usando, basta complementar se o da PF estiver sem radar e sensores adequados a Patrulha.
    . http://www.cavok.com.br/blog/forca-aerea-de-israel-usara...

  15. No próprio texto fica claro a irresponsabilidade da PF, admitindo de forma velada e como o colega Moreno disse acima, uma instituição de "privilégios"…

    O comandante do EB disse várias vezes, as instituições não conversam, não há link, logo do que adianta a PF ver coisa errada na fronteira e não poder acionar um grupo do EB que esteja próximo.

    "Firmar novo acordo para banda de transmissão..", ué e aquela porr* de satélite geo br? É pra criar DOUTRINA também? Se bobear esses retardas da PF que ganham mais de 10mil mensal, nunca ouviram falar desse satélite.

    Trocar a câmera, mas nem usa a que tem kkkkk, nem usa…… ¬¬
    Não voaram nem a metade de horas do contrato anual de manutenção.

    Acho que a escolha dos pilotos deve ser da seguinte forma, o comandante chega e pergunta para os parça véio, quem quer brincar de aprender a pilotar, "ah e aproveita vai passear lá no estrangeiro, leva a familia"

    É muito dinheiro indo pro ralo, precisa de mais imposto kkkk

  16. A PF precisa de drones de todos os tamanhos. Os maiores poderiam ser operados em convênio com a Fab.

    Traficantes já usam drones.

    O problema aí é o projeto mirabolante.

  17. Enquanto uns criticam o país, reclamam da administração pública e do descaso com o dinheiro do contribuinte o mercado do tráfico de drogas já colocou um dos seus no STF.

  18. Infelizmente a burocracia brasileira irão destruir essas maravilhas aéreas. Eu acredito, já que a PF não tem condições de manter essas aeronaves operando, deveriam ser entregues à FAB, ou a MB ou ao EB para uso na vigilância de fronteiras.

    • A PF é do Min. da Justiça e Cidadania, portanto é fácil uma solução para a transferência dentro do Poder Executivo, basta ter vontade para se efetuar a transferencia de Ministéria a Ministério, vamos ver se o Min. da Defesa mostra interesse pelos 2 Heron.

Comments are closed.