O presidente francês Nicolas Sarkozy recentemente começou a voar com sua aeronave Airbus A330-200 modernizada a partir de uma aeronave comercial.

Depois de toda a polêmica envolvendo o Aerolula, avião todo chique comprado apenas para transporte do presidente da República, a Folha informa que poderemos ter repeteco na discussão: o governo estaria negociando a compra de um novo modelo para a futura presidente, dessa vez um que voe mais de uma dezena de quilômetros sem precisa de reabastecimento.

O novo must have presidencial é um Airbus A330-MRTT, que antes era apenas usado para distribuição de combustível direto no ar, mas que ganhou uma versão executiva nos últimos meses e virou o avião oficial do presidente francês Nicolas Sarkozy. O preço pago pela França foi de cerca de R$400 milhões, segundo a Folha, e a nave já foi batizada no país de “Air Sarkô”. Ei, essa piada é nossa, seus ladrões nada originais!

Para explicar a razão do interesse, Lula disse que é humilhante ter de fazer frequentes escalas para abastecer o avião. O A319, Airbus do presidente, só aguenta 8.500 quilômetros sem reabastecimento. Com os 12,5 mil kms que o A330 suporta, praticamente todas as viagens para capitais europeias e americanas seriam feitas num pulo só, sem escalas chatas que os presidentes odeiam tanto. Dá pra dormir numa só sem ser incomodado.

Por enquanto trata-se apenas de um rumor, mas dado o estardalhaço que a última aquisição de avião presidencial causou, o governo deve estar pensando vinte vezes antes de realmente investir o dinheiro federal num avião de luxo. Mas se realmente isso acontecer, que pelo menos façam um esforço para adquirir um avião com motor ‘verde’, movido a Etanol, que a Embraer já está preparando. Aí sim teríamos uma justifica próxima do plausível.

Fonte: Folha e IstoÉ Dinheiro via Gizmodo

Anúncios

16 COMENTÁRIOS

  1. Esses caras da folha são patéticos e amadores ele fala de um avião de maior autonomia para a presidente depois diz que uma das soluções para evitar maiores embaraços seria o tal motor “verde” só que com esse morto (combustível) o avião terá 20% a menos de autonomia então pra que comprar avião novo de maior autonomia??

    Sem falar que o texto que esse quadrúpede indicou fala de aeronaves pequenas o que não é o caso, jornalista amador e tendencioso!!

  2. Isso provavelmente não vai acontecer,seria ostentação desnecessária,ainda mais para um governo que nem sequer começou,não insultarei a inteligência da Sra.Dilma

  3. "Depois de toda a polêmica envolvendo o Aerolula, avião todo chique comprado apenas para transporte do presidente da República, a Folha informa…"

    Não preciso terminar de ler para entender a intensão pejorativa do conteúdo da notícia! Pena que ainda alguém gasta dinheiro para comprar notícias de 3° categoaria!

  4. Pessoal da Folha é tão informado como a Elianinha Catanhede.

    A especialista espiã que os gripentelhos adoram acreditar.

  5. Apenas corrigindo: O avião presidencial usado pelo presidente francês Nicolas Sarkozy é um A330-200, comprado usado de uma empresa chamada "Air Caraïbes". O "Air Sarko", foi foi apelidado, é uma aeronave de passageiros modificada e equipada com tecnologia de defesa contra mísseis, uma unidade de comunicação segura e um quarto com banheiro adjacente.

    No caso do Airbus A330-MRTT, trata-se de uma versão militar da aeronave, cuja função principal é o reabastecimento em voo de outras aeronaves, porém que pode receber uma área VIP destinada à Presidência da República em viagens de longa distância.

    Quanto ao comentário de se comprar um avião cujos motores sejam movidos a etanol… O jornalista, além de tendencioso, não sabe o que fala. Imagina uma viagem de ida sem se ter certeza de encontrar o combustível para abastecer o avião para viagem de volta. RIDÍCULO!!!

    Quero deixar claro que não estou defendendo a compra do avião. Estou apenas corrigindo um grave erro na forma com que a matéria foi escrita.

  6. deveria compra um B-2, e adapatá-lo para transporte de presidentes, na guerra do Iraque eles decolavam nos Eua, e passavam 72 horas de voo claro ida e volta , só pra bombardear, é a solução para as muitas escalas.

  7. A matéria é tendenciosa, isso esta claro. Mas uma coisa é verídico, o ACJ319 tem só 8500km alcance, oh coitado, então a solução é o A-330MRTT ou 200, que tem os sensacionais 12500km, que liga as principais cidades da Europa e EUA, porém o Lula não só viaja para estes destinos e se Sra.Dilma viajar como Lula viajou, lá pro final do mandato estará querendo comprar outro avião que tenha alcance global sem escalas para reabastecimento. Isso é só para ficar ostentando poder e luxo as custa do contribuinte.
    Sou a favor de comprar aviões REVO de grande porte para FAB, pois os sucatão não aguenta mais.

  8. uma coisa que me intriga: porque não adquirirem um Embraer Lineage???

  9. Todos já perceberam qual é a deste jornaleco.

    Ganhar ibope criando picuinha é ridículo. Precisamos de reabastecedores, se eles podem vir com uma adaptação para servir de transporte em viagens de longo alcance ainda melhor. Esse jornalista deve ser retardado, pois a Embraer não desenvolve motores, nem mesmo os largamente utilizados por suas aeronaves, que dirá um novo movido a etanol.

  10. Ao Cavok,

    Desde a compra do Airbus A-319 em 2005, alguns especialistas militares alertavam que havia a necessidade de uma outra aeronave para o apoio as missões internacionais da Presidência da República. Ocorre tambem que os "belos" Embarer 190 adquiridos pela FAB em 2009 (Bartolomeu de Gusmão e Augusto Severo) possuem limitações de alcance semelhantes ao A-319 Santos Dumont.

    Além do mais o incômodo da autonomia do A-319 não é só apenas as escalas que tem de fazer para os destinos além de sua autonomia, mas também a formalidade e a burocracia inerentes à praxe diplomática e de segurança requeridas pela presença de um chefe de estado em solo estrangeiro. Quanto mais escalas, portanto, mais compromissos, custos, formalidades e tempo.

    Márcio Penante

    Ptetrolina-PE

  11. Só pelo início da notícia já se nota um teor tendencioso. Tinha que ser coisa da Folha. Além da parcialidade, o texto está muito mal escrito.

    Me espanta o Cavok ainda dar corda para esses amadores.

Comments are closed.