O caça Gripen E realizou na semana passada seu primeiro voo supersônico.

A empresa aeroespacial e de defesa sueca Saab disse nesta terça-feira que o desenvolvimento de seu novo avião de combate Gripen E esta à frente do planejado, ao mesmo tempo que informou que a empresa reportou um aumento acentuado nos lucros do terceiro trimestre. A versão maior e melhorada do caça Gripen deve ser entregue em 2019 e até então já registrou mais de 20 voos, sendo que na última semana voou em regime supersônico pela primeira vez

Até o momento, apenas a Suécia e o Brasil encomendaram o novo caça, que realizou seu primeiro voo em junho deste ano, conforme informações do chefe executivo da Saab, Hakan Buskhe, em uma coletiva de imprensa em Estocolmo.

O trabalho também está em andamento em aeronaves de teste adicionais e nos primeiros modelos de produção, disse ele.

O novo Gripen é a chave para os futuros lucros do Saab. A empresa sueca está tentando vender tanto o avião quanto as variantes mais antigas, o Gripen C e a versão de dois assentos Gripen D. Buskhe expressou otimismo sobre as perspectivas de vendas no próximo ano e meio. “O número de discussões que estamos tendo com vários interessados é um recorde”, disse ele.

No terceiro trimestre, a Saab anunciou – ao lado do grupo indiano Adani – um plano de colaboração em tecnologia aeroespacial e defesa na Índia. A colaboração está alinhada à iniciativa “Make in India” do governo do país e poderá incluir o projeto, desenvolvimento e produção de caças Gripen, e outros produtos de alta tecnologia.

A empresa sueca disse que o lucro líquido no terceiro trimestre aumentou para SEK 248 milhões (US$ 30,3 milhões) de SEK 113 milhões após as vendas avançaram quase 8% para SEK 6,2 bilhões. Os lucros superaram as expectativas dos analistas.

O primeiro Gripen E deve ser entregue em 2019. (Foto: Saab)

A Saab vai continuar apostando em novos programas, incluindo o Gripen, um novo submarino de ataque para a Suécia e no treinador T-X que a empresa espera fornecer à Força Aérea dos EUA juntamente com a parceira Boeing. O Pentágono deve decidir pelo vencedor da competição T-X no próximo ano.

A Saab pretende fabricar partes do T-X nos EUA e está em negociações para cinco locais onde poderia instalar unidades de produção. Ter um site dos EUA, segundo Buskhe, ajudaria a minimizar a exposição da Saab às flutuações cambiais. A instalação também poderia ser usada para fazer outras partes do avião. Não se espera uma seleção do local até o próximo ano.

A Saab tem tentado aumentar sua presença nos EUA para aproveitar o aumento de gastos no maior mercado de defesa do mundo.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Apesar dos pesares confio muito na capacidade da Saab, eles vão entregar um ótimo produto com certeza. De todos os concorrentes do FX-BR eu torcia muito pra vir Sukhoi, mas sendo realista um monomotor no estado da arte e com partes fabricadas aqui foi a melhor escolha, uma das poucas coisas inteligentes feitas pelos "estrelas vermelhas". Sei que vai levar muitos anos ainda mas já estou ansioso pela próxima Red Flag que o Brasil participar usando os Gripens.

  2. Todos inclusive os intendidos aqui do Cavok sabem que foi a melhor escolha, difícil é admitir depois de 3 anos de discussão.

  3. O desenvolvimento do Gripen F por parte da FAB, modele este que não está nos planos da Suécia, é uma questão técnica dificílima a ser enfrentada pela Industria Aeronáutica Brasileira. Ela fica bem explicada nesse link: http://www.abra-pc.com.br/index.php/artigos/forum

    Ao meu ver, a FAB deveria ter optado pela versão D do Gripen e inclusive já estar com alguns por aqui já operando e convertendo pilotos.

Comments are closed.