O caça russo RAC MiG-35 Fulcrum, que participa da competição MMRCA na Índia.

O caça russo MiG-35, um dos seis caças que estão competindo para o contrato de mais de US$ 10 bilhões para Força Aérea da Índia não deve ser colocado em demonstração durante o Aero India 2011 que começa em Bangalore, na Índia, na semana que vem. O ministério de defesa indiano está tentando contornar a situação e levar o caça para o evento.

RK Singh, secretário de defesa da Índia, disse nessa terça-feira que “não sabe porque o MiG-35 não está vindo para o evento”. Ele gostaria que o caça russo participasse e para isso solicitou que a Embaixada em Moscou intercedesse sobre o assunto.

O Aero India, realizado a cada dois anos, será realizado em 2011 entre os dias 9 e 13 de fevereiro, e contará este ano com mais de 675 expositores de 60 países, um aumento de mais de 20% em relação à 2009.

China, Paquistão e Irã não foram convidados para o evento. A China acabou recusando um convite em 2009,  e neste ano até mesmo os jornalistas chineses foram mantidos de fora do credenciamento. A maior presença deste ano será dos EUA, com cerca de 250 empresas participantes, incluindo as duas fabricantes que participam da competição MMRCA, a Boeing e Lockheed Martin.

A Russian Aircraft Corporation com seu caça MiG-35 está competindo no MMRCA juntamente com os caças Boeing F/A-18 Super Hornet, Lockheed Martin F-16 Super Viper, Eurofighter Typhoon, Dassault Aviation Rafale e Saab Gripen, para fornecer até 126 aeronaves de combate médio para a Força Aérea da Índia.

Apesar da Rússia não levar seu caça MiG-35 para o evento, os dois países assinaram em dezembro um acordo preliminar no projeto do novo caça stealth de quinta-geração (FGFA), e também deve ser assinado um acordo para mais 42 caças Sukhoi Su-30MKI, avaliado em US$ 4,3 bilhões, que serão fabricados pela Hindustan Aeronautics Limited.

Fonte: Times of India – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

10 COMENTÁRIOS

  1. Isso cheirou decisão preliminar no MMRCA, sacaram esse vetor e os russos ficaram sabendo e agora não querem ir fazer festinha de graça.

  2. Sera que a Rússia perdeu as esperança no MMRCA… talvez saibam de algo nos bastidores… mas os indianos querem o caça na feira aeronáutica, o que não quer dizer muito.

    Certamente se o MIG-35 estiver fora do Baralho a situação para os outros concorrentes fica mais confortável, pois este é o cavalo vencedor nas apostas, MIG-35 na cabeça segundo muitos.

    Todos ficam mais tranqüilos menos os competidores que levaram os mono-motores, pois depois dos acordos para o fornecimento das turbinas Yankees GE-414 para os Tejas todas essa aeronaves mono transformam-se em concorrentes diretas da prata da casa, e adivinhem quem o governo indiano vai escolher??? O Mono-motor Tejas obviamente, aeronave que recebeu grandes investimentos do governo e povo indianos, e que esperou anos para vê-lo voando… normal!

    Assim os Bi-turbinas estão mais tranqüilo e vendo a estrada mais aberta, e se for verdade que tem algo nos corredores indianos que esta incomodando os russos com o seu MIG-35, veremos que ficam no páreo o Rafale e o F-18, novamente!!!

    Agora é esperar pra ver o que acontece, mas vemos claramente que GripenNG e F-16 a rigor de logica contra o Tejas perderiam e os Bi-Motor ficam no páreo… vamos ver… certo que se o Rafale vence aqui no Brasil os indianos vão ter um olho de reguardo a mais para o vetor, e assim os EAU também, e a Líbia junto… e o mesmo vale para F-18, com exceção da Líbia, mas que aumentaria bem a escala produtiva destas aeronaves aumentaria indiscutivelmente!!

    A decisão do Brasil tem muito peso nessa escolha da Índia e EAU, vamos esperar pra ver se a "Dilma minha filha" decide logo ou vai ficar tudo desse jeito ai, mas se escolher o Rafale ou o F-18 creio que este também vence na Índia, pois ter uma escala produtiva bem baseada reduz custos de manutenção!!

    Tem também um outro fator que pode ser determinante e que os Russos já sentiram e possível que seja a razão do mal- estar do MIG-35, a Índia tem a decisão estratégica de variar os fornecedores militares para reduzir o impacto de embargos contra os seus interesses estratégicos, e vemos que nos caças pesados, mesmo que o concorrente F-18 possa ser considerado como tal, eles tem os Sukhoy Flanker para a operação.

    Já no caso dos caças leves sabemos que o Tejas veio pra ficar e vai substituir todos os Mono-Turbo da IAF, Mirages 2000 inclusos mesmo sendo modernizados, então resta a posição do caça médio, que por tradição indiana seria de um fornecedor que não esta em operação na força, e aqui vemos que mais uma vez o Rafale tem chance, pois é um caça médio e de um fornecedor ja conhecido e bem afirmado no pais, que até mesmo tem modernizações em curso, o que prova quanto bem os indianos se deram com os produtos franceses, preferiram modernizar que substituir imediatamente os Mirage pelos Tejas, mas a substituição vira mais tarde!!

    Fica incógnita do F-18 como caça médio, pois ele é considerado como pesado, tanto é que entre os concorrentes ele tem a menor autonomia, pois maior o peso maior o consumo… os Flanker's giram isso com uma grande capacidade de combustível, mas o F-18 tem aquilo que tem, mas sem duvida tem potencia para carregar grande quantidade de armas pesadas, o que prova mais uma vez que a classificação como caça pesado e não médio esta correta.

    Resta saber como os Indianos o Classificarão, se for pesado estaria fora do baralho pois nesta posição estão os Flanker's em operação, e se assim for as portas ficam realmente abertas para o Rafale ou EF-2000, e vendo o custo de operação do EuroFighter creio que os indianos optariam sem duvida pelo Rafale… e contra o EuroFighter quem também o contra de ser uma aeronave com componentes de diversos países, o que violar a doutrina indiana de reduzir os riscos derivantes de embargos… o que novamente abriria o caminho para o Rafale no MMRCA.

    Ufa, foi longo e espero que tenha uma base logica para os colegas analisarem.

    Valeu!!

    • Gostei da análise Francoorp….Eu, particularmente, também sempre achei que a escolha do Brasil teria peso importante na escolha indiana.
      Parabéns pelo post e um abraço

      • Caro Mauro,

        Agora eu acho que vai ser o contrário!

        Para quem vai tomar a decisão final do FX (Dilma?) seria melhor esperar o final do MMRCA…

        O mundo dá cada volta…

  3. "Earlier this year, Indian media reports claimed that the Indian air force had made an unofficial decision to delete the MiG-35 and Lockheed Martin F-16IN from the list of contenders. Russia's United Aircraft Corporation, the holding company that includes MiG, denied the aircraft was out of the running."
    http://en.rian.ru/mlitary_news/20110202/162414414

    Taí o provável motivo da polêmica.

Comments are closed.