Republic XF-103 em voo. (Concepção artística: U.S. Air Force photo)
Republic XF-103 em voo. (Concepção artística: U.S. Air Force photo)

A chamada Série Century de caças a jato abrangeu seis modelos operados pela USAF com as designações militares de F-100 a F-106. Eles se destacaram durante os Anos 50 e 60, porém, entre eles, houveram projetos e protótipos que jamais seguiram adiante.

XF-103 #2O Republic XF-103 foi um belo conceito para um avião de combate e um exemplo fantástico de um caça que jamais existiu. Apesar do seu estranho e deselegante trem de pouso triciclo, depois de recolhido, o XF-103 teria sido um dos melhores interceptadores. Além disso, também teria marcado um salto gigante na metalurgia. Desde o início dos esforços de design, o XF-103 seria inteiramente fabricado de titânio.

Requisitos para o Caça

Em 1949, a USAF emitiu um pedido de um caça supersônico avançado para o seu Comando de Defesa Aérea (Air Defense Command – ADC). A nova aeronave e seus sistemas associados, foram designados Weapon System WS-201A e seu sistema eletrônico recaiu sob o Projeto MX-1554 Interceptor Fighter Airplane (destinado a fornecer um interceptador puro). Por fim acabou sendo conhecido como “Interceptor 1954” ( o avião deveria entrar em operação no ano de 1954). A aeronave escolhida teria a missão fundamental de defender a América do Norte de bombardeiros nucleares soviéticos. Na terminologia do fabricante, a Republic chamou seu projeto de AP-57.

XF-103 #4A Republic estava competindo com projetos da Consolidated Vultee (ou Convair) e da Lockheed.

Em 1954 oficiais da Força Aérea visitaram a fábrica em Farmingdale para conhecer o mock-up da proposta da Republic. A réplica em tamanho real do XF-103 era um segredo, guardado em um local onde os poucos tinham acesso. Aqueles que o viam pela primeira vez ficavam espantados com seu tamanho, maciez e formato futurista.

O XF-103 foi o maior e mais avançado dos três projetos que foram considerados para o “interceptor 1954.” O avião teria quase 24 metros de comprimento. Engenheiros desenvolveram um sistema de propulsão única, dual. A aeronave iria decolar e subir usando um motor Wright J67-W-1, derivado do Bristol Olympus. Com 22.000 libras (9.900 kg) de empuxo. O J67 era duas vezes mais potente que os outros turbojatos então em uso na época.

Detalhamento do Thunderwarrior. (Concepção artística: Coleção Particular)
Detalhamento do Thunderwarrior. (Concepção artística: Coleção Particular)

Uma vez que atingisse alta velocidade, o XF-103 passaria a ser impulsionado por um motor J55 ramjet (O ramjet é um motor constituído principalmente por um grande tubo, forçando o ar fresco em torno do motor), aumentando o empuxo total para 37.000 libras (16.700). A grande tomada de ar montada sob a fuselagem alimentaria ambos os motores.

O XF-103 teria sido fortemente armado. Um documento da época citava “seis mísseis MX-904 e 36 foguetes de 2,75 polegadas carregados internamente. O sistema de lançamento de mísseis era complexo, com seis tubos individuais.  Uma desvantagem, conforme o documento, era posição dos foguetes e, especialmente, os mísseis, mal localizados nas imediações da tomada de ar.

Interessante ilustração, detalhando bem a forma da cápsula de ejeção, capaz de velocidades supersônicas, da sua posição e do complicado trem de pouso do avião. O trem de pouso dianteiro era um convite a ingestão de sujeira. (Concepção artística: dishmodels.ru)
Interessante ilustração, detalhando bem a forma da cápsula de ejeção, capaz de velocidades supersônicas, da sua posição e do complicado trem de pouso do avião. O trem de pouso dianteiro era um convite a ingestão de sujeira. (Concepção artística: dishmodels.ru)

XF-103 #3O termo MX-904 se referia ao míssil AAM Hughes Falcon, que passou por inúmeras mudanças de nome. Quando concebido, em 1951, o míssil foi designado F-98, tornando-se um “caça”, sob a terminologia da Força Aérea. (O F-99 era o míssil Bomarc, que utilizou-se o último número antes do F-100 Super Sabre e a série “Century” de caças). O Falcon foi redesignado GAR-1 (para aeronave guiada) em 1955 e AIM-4 (para o caças de interceptação de  mísseis), em 1962. Tornou-se uma família de mísseis, que incluiu versões guiados por radar e calor.

O autor do livro The Thunder Factory, Joshua Stoff, disse em uma entrevista que “Ainda hoje, o XF-103 seria considerado uma aeronave excepcional.”

Interceptador de longo alcance

De acordo com Stoff, o XF-103 iria transportar combustível suficiente para sobrevoar 250 milhas (400 km) de sua base para interceptar bombardeiros inimigos que cruzassem a Distant Early Warning (DEW), uma linha de rede de estações de radar, no Canadá. Outras fontes dão crédito de que o modelo F-103, com uma velocidade máxima de três vezes a velocidade do som e uma extraordinária taxa de subida de 66.000 pés por minuto (20.000 m/min) – uma capacidade importante para um interceptor. Engenheiros supostamente atribuíram um número de Mach 3,0 como limitador devido a sua estimativa de excesso de temperatura na turbina por causa da temperatura do ar de admissão.

Um documento da época citava "seis mísseis MX-904 e 36 foguetes carregados internamente. (Concepção artística: kaiserslauternamerican)
Um documento da época citava “seis mísseis MX-904 e 36 foguetes carregados internamente. (Concepção artística: kaiserslauternamerican)

O protótipo seguia bem e previa-se a construção de um protótipo quando a Força Aérea cancelou o projeto por causa do seu alto custo.

A Força Aérea realmente adquiriu um “interceptor 1954” e este foi o Convair F-102A Delta Dagger, entrando em serviço em 1956. A Convair fabricou 1.000 interceptadores F-102 e eles foram complementados por 340 dos mais avançados interceptadores F-106 Delta Dart.

XF-103 mock-up. (Foto: força aérea dos EUA)
XF-103 mock-up. (Foto: força aérea dos EUA)

XF-103 #5Ao mesmo tempo, a Republic conseguiu um contrato para construir três protótipos. A USAF cancelou o contrato de desenvolvimento do XF-103 em 21 de agosto de 1957.

Podemos apenas imaginar o que poderia ter sido o XF-103 se os obstáculos técnicos da sua construção de titânio e do motor J67 houvessem sido superados.

Os engenheiros da Republic estavam tão preocupados em oferecer o melhor desempenho e forma aerodinâmica que envolveram o piloto dentro da fuselagem, com apenas um periscópio para ver o mundo a frente do avião. Duas janelas laterais eram tão pequenos que foram chamadas de “indicadores de dia ou de noite.”

XF-103 #1

Tipo: Interceptador monoplace Mach 3

Dimensões: Comprimento: 23,5 m; Envergadura: 10,5 m; Altura, 5,1 m; Área alar: 37,2 m²

Pesos: Vazio,11.317 kg; Carregado, 17.466 kg; Máximo de decolagem,19.443 kg

Propulsão: Um motor turbojato Wright XJ67 -W-3 turbo , com 6.800 kg de empuxo e um motor ramjet Wright XRJ55-W-1 gerando 8.500 kg de empuxo.

FONTE: defensemedianetwork – Edição: CAVOK

NOTA DO EDITOR: O material apresentado aqui é apenas uma simples resenha. Vale a pena pesquisar sobre este avião, uma vez que ele foi desenvolvido anos antes da descoberta da “Regra de Área”.


17 COMENTÁRIOS

Comments are closed.