Jato Eurofighter italiano se prepara para decolar da Base Aérea de Keflavik, na Islândia. (Foto: OTAN)

Quatro jatos Eurofighter Typhoon da Força Aérea Italiana chegaram à Base Aérea de Keflavik, na Islândia, e desde o dia 4 de setembro ajudarão a garantir a segurança do espaço aéreo da Islândia. Nas próximas semanas, os pilotos italianos fornecerão capacidades de interceptação e treinarão junto com a Guarda Costeira Islandesa e o Centro de Controle e Alerta da OTAN.

Os jatos italianos complementarão a vigilância aérea que a Islândia executa com seus quatro radares remotos e sites de comunicação.

Esta é a terceira vez, depois de 2013 e 2017, que a Itália envia jatos de combate para a missão da OTAN na Islândia. Além de apoiar o Nordic Ally, a missão oferece uma valiosa oportunidade de treinamento para a Força Aérea Italiana, cujas equipes irão praticar em uma localização geográfica única e aumentar suas habilidades para operar em um espaço aéreo desconhecido.

A Islândia não possui uma gama completa de recursos de defesa aérea, por isso esta missão é executada por outros Aliados da OTAN. Isso garante que os islandeses desfrutem de um alto padrão de segurança no espaço aéreo. Demonstra também o espírito de solidariedade entre os Aliados da OTAN.

Nos últimos dez anos, nove aliados – Canadá, República Tcheca, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Noruega, Portugal e Estados Unidos – implantaram aeronaves de caça na missão na Islândia. As implantações geralmente duram de três a quatro semanas e ocorrem três vezes ao ano.

Esta missão defensiva em tempo de paz é supervisionada pelo Comando Aéreo Aliado em Ramstein, Alemanha, e controlada pelo Centro de Operações Aéreas Combinadas do norte da OTAN em Uedem, Alemanha.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Deixa ver se eu entendi. Países têm um tratado militar e se ajudam mutuamente para defesa comum. Possuem estado-maior conjunto, fazem treinamentos regulares, compram e vendem equipamento militar e possuem tropas estacionadas uns nos outros.

    Com alguma frequência atuam conjuntamente em conflitos.

    Jurava que estradas, compra de quinquilharias e afins é que determinavam as alianças dos países.

    • "Jurava que estradas, compra de quinquilharias e afins é que determinavam as alianças dos países"

      Pode definir na África, onde você consegue comprar aqueles ditadores corruptos e caricatos mas em países civilizados não é o que acontece…

Comments are closed.