Um caça F-16 da Força Aérea do Iraque. Uma missão de proteção aérea implica em atacar aeronaves inimigas, então o uso desse termo para descrever um ataque aéreo contra Daesch, que não tem nenhuma aeronave, é inesperado para dizer o mínimo.

Os caças F-16 Fighting Falcon da Força Aérea Iraquiana realizaram uma missão de contra-defesa aérea acima da fronteira entre o Iraque e a Síria, ao lado de aeronaves da coalizão, no dia 16 de abril de 2019, marcando a primeira vez que os aviões de combate da Força Aérea Iraquiana voaram em uma operação de combate ao lado de aeronaves da coalizão.

A missão tinha como objetivo defender as aeronaves da coalizão de um possível combate aéreo, embora o Daesh não tenha nenhuma aeronave. Mas mesmo assim a missão iraquiana representa um marco à medida que a Coalizão Global Contra o Daesh continua a trabalhar, com e através das Forças de Segurança do Iraque (ISF), para construir o poder aéreo iraquiano por meio do Conselho de Segurança.

“A indústria aérea iraquiana continua a construir suas capacidades enquanto assessores aéreos da coalizão trabalham ao lado de nossos parceiros iraquianos para integrar as operações”, disse o Brig. Gen. Brook Leonard, Diretor de Operações Aéreas da Força Tarefa Conjunta Combinada (CJTF-OIR), na Operação Solução Inerente. “A força da nossa equipe de coalizão vem da nossa união e resolução, enquanto continuamos a trazer a luta para os atores malignos como o Daesh.”

Juntos, a CJTF-OIR e a ISF desenvolverão uma ISF sustentável e inclusiva que possa garantir suas fronteiras soberanas, proteger a população e apoiar um retorno à normalidade em todo o país, garantindo a derrota duradoura do Daesh.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Colocaram "proteção aérea" só pra dar uma moral pros caras…

    Missão de escolta.

Comments are closed.