Caças F-22 dos EUA e F-35 da Noruega treinam dogfight. (Foto: USAF)

Dois caças F-22A Raptor da Força Aérea dos EUA (USAF) participaram de dogfights simulados contra dois caças F-35A Lightning II da Noruega na quarta-feira como parte de um exercício destinado a fortalecer a aliança da OTAN e aumentar seu poder de dissuasão.

Os dois F-22 estão entre os 13 na Europa para uma série de desdobramentos de curto prazo em lugares como Grécia e Polônia, com missões de treinamento adicionais planejadas em locais não revelados nos próximos dias.

O dobramento norueguês durou apenas um dia, mas servirá de base para os aliados da OTAN enquanto trabalham para integrar suas capacidades de guerra furtiva, disse a repórteres na Noruega o Coronel Leslie Hauck, chefe da divisão de integração da quinta geração na sede da USAF na Europa.

O exercício destinado a fortalecer a aliança da OTAN e aumentar seu poder de dissuasão. (Foto: Forsvaret)

O desdobramento faz parte dos esforços dos EUA para tranquilizar os aliados europeus após a anexação da Crimeia em 2014 pela Rússia.

Todas as oportunidades de treinamento que temos melhoram nossa prontidão para qualquer potencial adversário futuro“, disse Hauck na base aérea de Orland, que já abriga seis dos 52 caças F-35 encomendados pela Noruega.

Hauck lidera um novo escritório na Base Aérea de Ramstein, no sudoeste da Alemanha, que está trabalhando para garantir uma transição suave para cerca de 40 caças F-35 que estarão no local na Europa até o final do ano. Os primeiros F-35 dos EUA devem chegar em 2021.

No mês que vem, um grupo de oficiais de alto escalão dos Estados Unidos e sete outros países operadores do F-35 – Noruega, Dinamarca, Itália, Turquia, Israel, Grã-Bretanha e Holanda – se reunirão para comparar as notas sobre o novo caça, que foi usado pela primeira vez. em combate por Israel em maio.

Os Estados Unidos já possuem mais de 150 unidades do F-35, cujo de acordo com pilotos os sensores dão uma visão mais ampla do campo de batalha do que qualquer outro caça disponível.

Este desdobramento avançado, feito com a total cooperação da nossa aliada da OTAN, a Noruega, demonstra o compromisso das Forças Aéreas dos EUA na Europa de colocar em campo e operar aeronaves de quinta geração na área de responsabilidade do Comando Europeu dos EUA“, disse a USAF em um comunicado.

Esse tipo de treinamento serve como base na integração de caças de quinta geração. (Foto: Forsvaret)

O Major Morten Hanche da Força Aérea Norueguesa, que pilotou um dos F-35 noruegueses, disse que o dogfight simulado com os F-22 era uma ótima prática, especialmente porque os F-35 geralmente surpreendem e dominam outras aeronaves não furtivas.

Ele se recusou a nomear a aeronave vencedora, dizendo apenas: “O F-22 é um adversário muito formidável.


FONTE: Reuters

Anúncios