O Canadá cancelou a aquisição planejada de 18 caças F/A-18E/F Super Hornet. (Imagem ilustrativa)

O Canadá está cancelando a aquisição planejada de 18 caças Boeing F/A-18E/F Super Hornet em meio a uma disputa crescente com a empresa aeroespacial dos EUA, disseram fontes familiares com o assunto à Reuters.

Em vez disso, o governo liberal anunciará na próxima semana que planeja adquirir caças F/A-18A/B Hornet usados da Austrália, o mesmo tipo de avião que o Canadá atualmente opera, disseram as fontes, que pediram para não serem identificadas por causa da sensibilidade da situação.

O Partido Liberal do Primeiro Ministro Justin Trudeau disse inicialmente no final de 2016 que queria que os caças da Boeing fossem uma medida provisória até que uma competição pudesse ser aberta para substituir a antiga frota de caças CF-18 Hornet do país.

Mas, quando as relações com a Boeing se deterioraram, o Canadá decidiu avaliar a aquisição de caças F/A-18A/B Hornet usados da Austrália.

Ao adquirir os caças da Austrália, o Canadá economizaria dinheiro e evitaria a necessidade de treinar seus pilotos em uma nova aeronave ou gastar dinheiro em uma nova cadeia de suprimentos, disse uma fonte.

O Canadá deve adquirir caças F/A-18A/B Hornet da Austrália. (Imagem ilustrativa)

Autoridades disseram anteriormente que, se a aquisição fosse adiante, algumas das aeronaves australianas seriam usadas para peças de reposição.

O Canadá deve anunciar oficialmente os requisitos para uma nova frota de caças no início de 2019, iniciando uma competição aberta.


FONTE: Reuters

Anúncios

21 COMENTÁRIOS

  1. Depois de toda àquela confusão, está decisão era provável. Entretanto, apenas a compra de Honets adicionais da Austrália não ajudará na solução do problema da futura substituição do atuais aviões. Uma hora ou outra isto terá que ser definido e aí, ou se adquiri o F-35, ou embarca na proposta da Airbus do futuro caça de 5ª geração, em parceria com alemães e franceses. Claro, isto no tocante a substituir os Honets por caças de 5ª geração, agora se a opção for um caça de 4ª geração, as opções são Typhoon e Rafale, sendo que a primeira opção tem vantagens políticas e industriais.

    • O FCAS ainda vai demorar bastante, ficando pronto somente em 2040 (se não houverem atrasos). Até lá, os Hornets não vai sobrar nem o pó dos Hornets canadenses.

  2. O Canadá pensa que está em vantagem mas ledo engano! Por não tratar de maneira racional uma disputa comercial (onde, diga-se de passagem, a Boeing está certíssima) termina por prejudicar a operacionalidade das suas forças armadas visto que os Hornets australianos, além de estarem em um padrão muito diferente dos CF-18 da RCAF, certamente deve estar tão ou mais desgastados que os exemplares canadenses. Ademais, a retirada de serviço dos mesmos pela RAAF apenas poderá ser feita à medida em que os novos F-35 forem sendo recebidos.

      • Concordo.

        Eu já tinha postado isso em outra matéria sobre os caças canadenses.

        Diz a história que tudo que o Rei Midas tocava virava ouro. A seu turno tudo que os esquerdopatas tocam vira M&rd@!

        É impressionante a capacidade dessa escória!

    • Isto daí é o rabo querer balançar o cachorro. As forças armadas canadenses, assim como a de qualquer país, tem que seguir o que determina o governo e não o contrário.

      É claro que o governo tem que dar condições operacionais satisfatórias para que as forças armadas cumpram seu dever constitucional, mas a escolha final fica a cargo do governo e não das forças armadas. Estas ficam encarregadas de definir requisitos operacionais e não o equipamento que quer usar. Os interesses nacionais – e isto envolve disputas comerciais contra outros países, mesmo que amigos – estão acima dos interesses do que acham os chefes militares.

    • Não creio que os Hornets australianos sejam muito diferentes dos CF-18. Ambos possuem o mesmo radar e motor, e em maioria usam os mesmos armamentos e pods.

      • Os caças canadenses foram modernizados para o mesmo nível do padrão C/D, os australianos tb foram?

        • Basicamente, sim. Foram atualizados para o padrão A/B Plus, com o APG-73, JHMCS, ALR-67 e um novo sistema de guerra eletrônica. Além de outras coisas é claro, como novos armamentos integrados.

          • Vi alguma coisa nacional na versão canadense, mas parecem ser itens menores. Não deve ser problema.

      • Os Hornets australianos foram montados pela Embraer deles, que hoje virou uma filial da Boeing, se não estou enganado.

        Talvez eles tenham encontrado soluções próprias ou nacionalizado alguns itens durante a montagem e as atualizações.

  3. O Trump tem que autorizar essa venda dos australianos? Se tiver, desconfio que o negócio não vai pra frente.

    • Pra isso mesmo que eles precisam dos caças, tem que cumprir a parte deles no acordo.

  4. O Trudeau fez trudezice e jogou o pepino para o próximo governo. Se ele cancela oficialmente o F-35, haverá desemprego. Se ele compra o F-35, quebra sua palavra de campanha. É nisso que dá político querer entender de armamento…raro são aqueles que sabem porque um avião consegue voar.

    • A decisão lógica é o F35, mas politicamente não tem como admitir que estava errado desde o início.

      No fim, quem paga a conta do politiqueiro é o contribuinte e a Força Aérea.

Comments are closed.