F 35 RCAF Mockup 600x428 - Canadá segue participando do programa F-35, mas lançará competição para novo caça
Embora tenha decidido manter investimento no programa F-35, o Canadá vai emitir uma solicitação de propostas para cinco fabricantes ocidentais de caças.

O Canadá enfrenta um desafio complexo, já que se prepara para lançar uma competição completa para novos aviões de combate, mesmo mantendo seu envolvimento de longa data na coalizão internacional que está construindo a aeronave furtiva Lockheed Martin F-35.

O governo federal confirmou na segunda-feira que manterá sua participação no consórcio F-35. Ao mesmo tempo, Ottawa está se preparando para enviar pedidos de propostas de novos caças a cinco potenciais interessados, incluindo a Lockheed Martin.

Autoridades federais insistem que todos os licitantes terão que aderir à Política de Benefícios Industriais e Tecnológicos (ITB) do Canadá, que exige que o fornecedor vencedor “faça investimentos no Canadá iguais ao valor do contrato”. O custo da substituição da atual frota de caças CF-18 da Real Força Aérea Canadense é estimada em US$ 26 bilhões.

S

defense large 600x275 - Canadá segue participando do programa F-35, mas lançará competição para novo caça
O Canadá precisa substituir seus antigos CF-18 Hornets, usados na defesa aérea da América do Norte.

ob as regras do consórcio F-35, no entanto, países parceiros como o Canadá devem abrir mão de tais programas de compensação regional, que há muito são um elemento central das aquisições militares canadenses. No começo do ano, o Canadá pagou US$ 54 milhões para permanecer no grupo de compradores do F-35.

“Estamos mantendo nosso envolvimento vivo para obter acesso a esse produto nos melhores termos possíveis”, disse Pat Finn, vice-ministro adjunto do Departamento de Defesa Nacional, em entrevista na segunda-feira. “Se o F-35 vencer, o menor custo de acesso à aeronave é por meio da parceria. Continuamos envolvidos desde o início, e não queremos perder o privilégio disso.”

Desde 1997, o Canadá pagou quase meio bilhão de dólares para ficar no consórcio F-35.

Jeff Waring, diretor-geral da Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico do Canadá, disse que caberá à Lockheed Martin determinar como ela pode atender às exigências do Canadá para compensações regionais se quiser fazer uma proposta sobre o contrato.

f35 canadien 600x282 - Canadá segue participando do programa F-35, mas lançará competição para novo caça
A Lockheed poderá competir com o F-35 caso assim deseje.

“A política do ITB é uma abordagem orientada pelo mercado; não prescreve aos licitantes como eles precisam investir no Canadá”, disse ele.

O governo federal quase finalizou seu pedido de proposta para os novos caças. Agora está aguardando o feedback da indústria nas próximas seis semanas antes de lançar a competição formal no próximo ano.

Três empresas européias (Dassault Aviation, Saab AB e Airbus) e duas empresas americanas (Lockheed Martin e Boeing) disseram que pretendem participar do contrato, respectivamente com as seguintes aeronaves: Rafale, Gripen, Eurofighter, F-35 e F/A-18 Super Hornet.

No rascunho do pedido de proposta, o governo estabeleceu novos detalhes sobre seu “teste de impacto econômico” que penalizará as empresas que são consideradas como tendo um efeito negativo sobre a economia canadense. Quando foi anunciado no ano passado, o teste foi apelidado de “cláusula Boeing” por causa da disputa comercial da Boeing com a canadense Bombardier, que a Bombardier subseqüentemente venceu.

A nova medida deve analisar se as empresas lançaram uma ação comercial nos dois anos anteriores contra uma empresa canadense. Dado que a Boeing lançou seu caso contra a Bombardier em 2017, ela provavelmente estará livre no momento em que teria que apresentar uma oferta final em 2020.

O governo conservador anterior havia se comprometido a comprar caças F-35, que na época eram considerados a única aeronave capaz de atender às exigências do Canadá, em grande parte por causa de sua capacidade de stealth.

65fb17059403d94fe06209d98dfd780c5ec17ceb 600x399 - Canadá segue participando do programa F-35, mas lançará competição para novo caça
Como medida “tampão”, o Canadá adquiriu jatos Hornets da RAAF.

O atual governo liberal modificou os requisitos para garantir que haja concorrência entre os vários fabricantes.

“Se sua aeronave não puder atender a [um requisito] hoje, não estamos dizendo automaticamente que você está fora; mas você tem que nos dizer qual é a sua solução para atendê-lo, a que preço e qual cronograma”, disse o Sr. Finn.

Nas últimas eleições federais, os liberais disseram em sua plataforma que não comprariam o F-35, prometendo, em vez disso, selecionar “uma das muitas opções de menor preço que melhor correspondam às necessidades de defesa do Canadá”.

No entanto, os liberais também prometeram lançar uma competição “aberta e transparente”, que agora está programada para ser lançada em maio.


Fonte: The Globe and Mail

Nota do Editor: O Canadá espera assinar um contrato no final de 2021 ou início de 2022, com a primeira aeronave sendo entregue em 2025. E também continua trabalhando com o governo australiano para adquirir 18 jatos de combate F-18 e peças de reposição associadas da Royal Australian Air Force (RAAF), para complementar a existente frota de CF-18s. Os dois primeiros jatos Hornets ex-RAAF devem chegar em 2019.

Anúncios

17 COMENTÁRIOS

  1. Resumindo, por causa dos politiqueiros, vão colocar uma grana violenta em uma aeronave já ultrapassada no dia em que entrar em serviço. Nosso amigo socialista Trudeau não quer dar o braço a torcer de que fez besteira.

  2. O Canadá vai arrastar essa concorrência até poder comprar o F-35 sossegado sem que Justin "Bieber" Trudeau seja cobrado por ter traído sua promessa de campanha de não comprar o caça da LM.

    Aliás devagarinho Trudeau vem mostrando as garras. No âmbito da OEA vem liderando um grupo de países, onde estão inclusos Chile e Colômbia, que está a exercer forte pressão diplomática contra a narcoditadura de Maduro, para desespero dos seus apoiadores tupiniquins.

    • Eu acho que na verdade, a ideia deles é diferente. Uma força aérea mista, hi-lo, com um dos concorrentes da geração 4 agora – provavelmente europeu, pq todo mundo por lá ainda tá puto com a Boeing – e, daqui a alguns anos, quando o F-35 estiver mais maduro (e mais barato), comprar ele pra servir como "ponta de lança", seja nas missões da OTAN, seja pra os Russos não começarem a ter idéias engraçadas do tipo "Hey, o Alasca tem F-22, mas o Canadá não tem nenhum avião furtivo".

  3. Canadá mais indeciso para tomar uma decisão do que a Marina Silva!!!

  4. Canadenses são burros e atrasados. Nós brasileiros é que somos inteligentes e evoluídos.

  5. Russos e chineses já possuem meios de detecção de aviões stealth. Portanto, o Canadá está certíssimo em não entrar nessa furada, haja vista o custo altíssimo de aquisição, bem como as centenas de problemas apresentados no projeto.

    • Acorda Xings! Os F-22 sambam na cara dos Su-35 na Síria sem que os aparelhos russos percebam, e matéria jornalística dessa semana dá conta que os F-35I de Israel estão operando na Síria a despeito dos S-300 e S-400.

      Aceite Xings! Seus amados russos e chineses estão impotentes ante a tecnologia stealth dos EUA…

    • Estranhamente, os mesmos russos e chineses investem em tecnologia furtiva.

      A propósito, vc não respondeu sobre a pergunta que lhe fiz sobre porque o dólar é usado em transações internacionais. Acho que não deveríamos ficar repetindo bobagens por aí.

      • Os russos e chineses continuam investindo em stealth porque os americanos não têm meios de detecção.
        Quanto ao uso do dólar, já respondi no outro post, mas não foi publicado.
        Se quser aprender sobre isso, sugiro que leia artigos de economia concentrando-se na questão da crise do petróleo da década de 1970 e os petrodólares.
        Não é muito difícil de entender.

        • Os americanos não tem meios de detecção? Essa é boa.

          O rublo e o renminbi jamais serão moedas padrão, pois não são moedas de livre flutuação e não tem estabilidade. A propósito, quanto ao renminbi, o governo chinês não quer e não pode fazer isso, pois perderia o controle sobre a moeda.

          Se aprende sobre economia nos livros de economia, não no jornal do partido.

          • Como alguém vai fazer um contrato em uma moeda que o próprio governo a desvaloriza artificialmente?

            Pode adicionar tb a falta de fluidez.

        • Acorda para vida Xings! (2)

          Os EUA são o único país hoje com meios de detectar aeronaves furtivas. Um exemplo é o radar do E-2D Advanced Hawkeye! Essas falácias de que Rússia e China desenvolvem radar disso, radar daquilo é tudo história da carochinha da Sput(pe)nik para enganar trouxas…..

          Quanto ao sistema monetário, ninguém vai deixar de receber em dólares para receber em papel higiênico usado, ops, Rublos.

          Aceite…..

        • Quanta bobagem.

          Eu e o Bosco já te explicamos que os americanos também possuem tecnologia para detectar aeronaves stealth, inclusive já possuem sistemas operacionais.

          E mesmo assim você continua postando informações erradas.

          Haja paciência.

        • De onde você tirou que os EUA não tem meios de detectar aeronaves Stealth?

          Eles inclusive tem sistemas operacionais capazes de fazer isso.

          • A) Sputnik
            B) RT
            C) Jornal do PT
            D) Inventou sozinho sem ajuda dos profissionais

          • De onde ele tirou? Simples, da Sput(pe)nik e outras mídias estatais e mentirosas sino-russas que apenas servem para encher de lixo cabecinhas sugestionáveis como a dele….rs!

Comments are closed.