A capitã Zoe Kotnik prende sua máscara em seu F-16 Fighting Falcon. (Foto: Samuel King Jr. / U.S. Air Force)

A capitã Zoe Kotnik, a primeira piloto feminina a liderar a equipe de demonstração do F-16 Viper, foi retirada do comando na segunda-feira (11/02), apenas duas semanas após assumir a função.

“O Coronel Derek O’Malley, comandante da 20ª Ala de Caça, liberou a capitã Zoe Kotnik do comando no dia 11 de fevereiro devido a uma perda de confiança em sua capacidade de liderar e comandar a equipe de demonstração F-16 Viper do Comando de Combate Aéreo (ACC)”, disse o Coronel Allen Herritage, diretor de assuntos públicos do ACC, em um comunicado. “A equipe de demonstração Viper está trabalhando para minimizar os impactos nos desempenhos programados e espera animar multidões por todo o país durante a próxima temporada assim que um novo comandante for selecionado.”

Após liberar o comunicado, o comando da ala divulgou que o Major John “Rain” Waters, que era o piloto de demonstração do F-16 Viper na última temporada, retomou o comando da equipe.

O Major John “Rain” Waters retoma o comando do F-16 Viper Demo Team.

Herritage não quis comentar mais sobre o que levou à remoção de Kotnik, citando preocupações com a privacidade.

A 20ª Ala, localizado na Base Aérea de Shaw, na Carolina do Sul, disse que Kotnik se recusou a comentar sobre o assunto. A capitã Alannah Staver, porta-voz da ala, disse que Kotnik não está mais atuando com a equipe, mas “continuará servindo em um cargo de não-supervisão na 20ª Ala de Caça”.

Em uma declaração na página do Facebook de Shaw, O’Malley fez alusão a “erros” de Kotnik, mas expressou a esperança de que ela continue servindo na Força Aérea dos EUA.

“Temos milhares de aviadores em toda a nossa Força Aérea servindo ao nosso país, e nenhum deles é perfeito”, disse O’Malley. “Como pessoas boas, como a Cap. Kotnik, cometem erros, eu quero que elas tenham a oportunidade de aprender com estes sem estar sob o escrutínio público e continuar a fazer parte deste grande serviço. Eles serão melhores pela experiência e, por sua vez, seremos melhores como Força Aérea.”

“Nesses tipos de situações, nunca esqueço que estamos lidando com seres humanos reais, com os quais me preocupo e que somos responsáveis por cuidar”, continuou O’Malley. “Este será um momento difícil para a capitã Kotnik, mas ela está cercada por alas que vão ajudá-la a cada passo do caminho.”

Kotnik, uma piloto de F-16C cujo nome de guerra é “SiS”, foi certificada como líder da equipe Viper pelo comandante do ACC, general Mike Holmes, em 29 de janeiro. Ela se formou na Academia da Força Aérea em 2011, ganhou suas asas em 2013, e tem mais de 1.000 horas de voo em aeronaves militares. Ela foi enviada para a Base Aérea de Kunsan na Coreia do Sul por um ano, de fevereiro de 2015 a fevereiro de 2016. Ela também realizou missões de defesa aérea em apoio à Operação Noble Eagle.

A equipe Viper é uma equipe de demonstração com aeronave única que realiza manobras aéreas de precisão para mostrar as capacidades do F-16 em shows aéreos e outros eventos, como o Super Bowl, bem como voar em formações Flight Heritage da Força Aérea dos EUA. Além de ter sido escolhida a primeira mulher a liderar a equipe Viper, Kotnik também é tinha sido escolhida como primeiro piloto de demonstração tática de uma única aeronave na Força Aérea.

A seleção de Kotnik atraiu muita atenção da imprensa e da mídia social. A equipe da Viper postou um tweet no mês passado anunciando sua seleção, que acenou com a cabeça para a campanha publicitária do filme da Marvel Studios, “Capitã Marvel”, que mostra uma super-herói que começa como piloto de combate da Força Aérea.

O primeiro show aéreo de Kotnik como parte da programação da equipe Viper de 2019 seria em um show aéreo na Estação Naval de Key West, na Flórida, em 30 e 31 de março, de acordo com o site do ACC.

Segue comunicado oficial na íntegra do comandante da 20ª Ala de Caça:

“Eu removi a Capitã Kotnik de sua posição como comandante da equipe Viper Demo ontem, porque perdi a confiança em sua habilidade de liderar a equipe.

Sei que a perda de confiança é uma resposta comum da Força Aérea, sempre que alguém é removido de uma posição de comando, e acho importante entender por que adotamos essa abordagem.

Temos milhares de membros da Força Aérea em toda a nossa Força Aérea servindo ao nosso país, e nenhum deles é perfeito. Como pessoas boas, como a Capitã Kotnik, cometem erros, eu quero que elas tenham a oportunidade de aprender com esse sem estar sob escrutínio público, e continuar a fazer parte deste grande serviço. Eles serão melhores pela experiência e, por sua vez, seremos melhores como Força Aérea.

Nesses tipos de situações, nunca esqueço que estamos lidando com seres humanos reais, com os quais me preocupo profundamente e que somos encarregados de cuidar. Este será um momento difícil para a capitãa Kotnik, mas ela está cercada por alas que irão ajudá-la a cada passo do caminho.

Foi emocionante ter o primeiro piloto de equipe de demonstração feminino aqui em Shaw, mas também estou animado com as muitas outras mulheres que estão servindo com grande distinção em toda a nossa Força Aérea. Tenho orgulho de servir com eles e sou inspirado por eles. Mesmo enquanto falo, outra mulher piloto da 20ª Ala de Caça está voando em missões de combate no Oriente Médio.

Maj Waters, piloto do F-16 Viper Demo da última temporada, retomou o comando, então a equipe está em ótimas mãos e o show continua. Estamos ansiosos por outra temporada incrível com esse time.”

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. Muito estranho isso. E o erro não parece ter sido técnico, seria muita exposição negativa…

  2. Certeza que os outros pilotos não aceitaram que uma mulher os comandassem. Retirando um "copincha' deles do comando e colocando a capitã no lugar de um integrante do clube do bolinha. Tanto que o retirado, foi reposto. "Algo errado não está certo" !

    • Pelo que entendi, é uma equipe de demonstração de aeronave única. Então, ela deve comandar a equipe como um todo que não voa, desde a turma da graxa até quem faz relações públicas, sendo o comandante o único integrante do grupamento aéreo.
      Se for assim, seu comentário não faz tanto sentido. Se não for, ai sim pode ter rolado um Bolinha's Club na parada.

    • Vai ver que a mocinha queria pintar o caça dela cor de rosa e a equipe pediu a cabeça da líder..rsss

  3. O politicamente correto está acabando com o mundo.
    Hoje existe uma imposição velada, uma espécie de cota para tudo.
    Em todo lugar é "obrigatório" a presença de pelo menos um negro, uma mulher, um gay..
    Apenas para atender a necessidade do empoderamento (palavra da moda atualmente) dessas classes ditas "menos favorecidas" mesmo que seja uma pessoa que não tenham a menor capacidade/competência para ocupar tal cargo/função..
    .
    *Obs: Não estou afirmando que neste caso especifico tenha sido isto que tenha ocorrido, a aguardar novas informações..

    • Como vc disse, não temos elementos para afirmar nada. Contudo, ativismo muitas vezes tem efeito inverso.

      Tudo tem o seu tempo.

  4. Curiosidade meio Off-Topic:
    Como os relógios Casio G-Shock fazem sucesso com os militares americanos.. Pudera, o bicho parece mesmo feito para a guerra, padrão militar.
    Esse da primeira foto no pulso da capitã parece ser um Casio DW-9052 muito bom. Eu tenho um G-8900 muito bom também, como todos os G-Shock's. No futuro pretendo adquirir um Rangeman GW-9400.

Comments are closed.