O Catar decidiu adquirir 24 caças Eurofighter Typhoon. Atualmente sua frota de caças de linha de frente é baseada em 12 Mirage 2000.

As negociações entre o Reino Unido e o Catar para a compra de caças Eurofighter Typhoon e treinadores a jato Hawk pelo estado do Golfo estão completas, e os dois lados estão agora procurando uma data adequada para assinar o contratp, de acordo com um funcionário sênior da BAE Systems.

“Eu não gostaria de especular sobre a data exata em que será assinado. Concluímos todas as nossas discussões, não temos mais negociações com o pessoal do Catar, o contrato está pronto. Falta somente decidir o período certo para assiná-lo”, afirmou Chris Boardman, diretor geral de negócios militares aéreos e de informações da BAE Systems, no seleto Comitê de Defesa do Parlamento britânico na terça-feira.

Boardman pediu urgência do governo britânico para fornecer clareza sobre sua visão de requisitos de combate aéreo em uma era pós-Typhoon.

Os executivos da BAE também atualizaram o Parlamento sobre o interesse da Arábia Saudita em caças Typhoon.

No dia 17 de setembro, na capital do Catar, Doha, o então secretário de Defesa britânico, Michael Fallon, anunciou que havia assinado uma declaração de intenção sobre a compra proposta com o seu homólogo, Khalid Bin Mohammed Al-Attiyah.

No que deve ser algum tipo de recorde, os dois lados passaram da assinatura da declaração de intenção para conclusão das negociações em pouco mais de seis semanas até o fornecimento de 24 caças Eurofighter Typhoons e seis BAE Hawks para o estado do Golfo.

O Catar também quer 6 treinadores Hawk.

Um porta-voz da BAE disse que o fechamento do acordo poderia ocorrer até meados de dezembro, embora atualmente não haja compromisso com uma data.

Assumindo que o acordo está assinado, será a primeira venda de Typhoon pelos britânicos, uma vez que o Ministério da Defesa assumiu a responsabilidade de liderar o esforço de vendas de exportação de Typhoon a partir da Organização de Defesa e Segurança do governo, o departamento responsável pela maioria das vendas no exterior no setor.

O valor do acordo com o Catar é desconhecido, mas deve chegar aos bilhões de libras para a indústria aeroespacial britânica, bem como para Airbus e Leonardo, seus parceiros europeus no programa Eurofighter.

Boardman insinuou um cronograma de entrega prolongado para os Typhoons do Catar, dizendo ao comitê parlamentar que o acordo esticará a montagem do caça no site da BAE em Warton, no noroeste da Inglaterra até 2024. O atual registro de encomendas para entrega de jatos a RAF, Omã e Kuwait deve terminar em 2022, disse ele.

Com uma escassez de pedidos de Hawk, Boardman disse que a BAE já havia iniciado o trabalho de fabricação em taxa baixa sob seu próprio risco para compra dos jatos de treinamento pelo estado do Golfo.

O Catar já fez um acordo no início deste ano com os EUA para a compra de 36 jatos Boeing F-15QA, avaliados em US$ 12 bilhões. Em 2015, a nação do Golfo comprou 24 caças Dassault Rafale por cerca de US$ 7,6 bilhões.

A frota de 72 aviões de combate acabará por substituir uma atual capacidade de caças da Força Aérea do Qatar de apenas 12 Mirage 2000s.

O acúmulo de poder aéreo faz parte de um grande esforço de expansão militar no ar, terra e mar pelo Catar.

O acordo ocorre quando o Catar ainda está no meio de um boicote econômico e diplomático feito pela Arábia Saudita e seus aliados regionais que acusam Doha de financiar grupos de terrorismo e apoiar o Irã.


Fonte: Defense News

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Será que foi cancelada a intensão de compra dos 12 Rafales extras pelo CATAR? Ou mesmo com esta aquisição o Catar vai também querer os 12 Rafales extras.

  2. F-15QA, Rafale e Typhoon? Haja grana para manutenção e horas de voo. Podem testar as capacidades destes caças uns contra os outros.

    • Bilhoes de petrodolares com uma populaçao extremamente pequena, ent?o podem se dar ao luxo.
      Porem há de se analisar se nao existe algum tipo de pressao sobre estas monarquias trilionarias do oriente medio por parte de eua e alguns da europa para que comprem seus produtos, e consequentemente seus apoios, e garantam a continuidade de poder naquele ninho de cobras medio oriental.

  3. Saindo de apenas 12 unidades de Mirage 2000, isto será uma bela evolução!!!!

    Prevejo mais guerra no Oriente, num futuro não muito distante…

  4. Depois do tremendo acréscimo de poder de fogo pelos países do Golfo, somando-se à cada vez maior aproximação entre Arábia Saudita e Israel, os iranianos vão ter de botar as barbas de molho

    • (Editado) Os Saud’s e asseclas estão perdendo feio em todas as frentes, seja no apoio aos terroristas wahabistas na Síria e Iraque, seja no ataque direto ao Iêmen. Com F15, Typhoon, Rafale e o escambau.

Comments are closed.