Aeronave RQ-4N Global Hawk BAMS-D da Marinha dos EUA.

O Comando Central dos EUA (CENTCOM) confirmou que um drone de vigilância de alta altitude da Marinha dos EUA foi abatido por um sistema de mísseis superfície-ar Khordad iraniano enquanto operava no espaço aéreo internacional sobre o Estreito de Ormuz aproximadamente às 23h35 GMT, no dia 19 de junho de 2019.

Relatos anteriores afirmavam que o drone era um MQ-4C Triton, mas o comunicado recente do CENTCOM informou que o drone era um Demonstrador de ISR Marítimo de Área Ampla da Marinha dos EUA (ou BAMS-D) ISR.

O BAMS-D é um Sistema Global de Aeronaves Não-Tripuladas (UAV) RQ-4A Global Hawk de Alta Altitude e Longa Resistência (HALE) e fornece inteligência em tempo real, missões de vigilância e reconhecimento (ISR) em vastas regiões oceânicas e costeiras. Essas aeronaves são antigas estruturas da Força Aérea dos EUA transferidas para a Marinha para atuar como um demonstrador das tecnologias usadas a bordo do MQ-4C Triton.

O presidente dos EUA, Donald Trump, twittou sobre o incidente dizendo: “O Irã cometeu um grande erro”.

Segundo o Capitão da Marinha Bill Urban, porta-voz do Comando Central dos EUA, “os relatórios iranianos de que a aeronave estava sobre o Irã são falsas” e o incidente foi um “ataque não provocado contra um ativo de vigilância dos EUA no espaço aéreo internacional”.

Os EUA despacharam recursos navais para o campo de destroços do drone de vigilância de alta altitude RQ-4A Global Hawk BAMS-D abatido pelo Irã, de acordo com relatórios citando autoridades.

As tecnologias a bordo do drone são muito sensíveis e os EUA não querem que os destroços cheguem às mãos de seus rivais, incluindo Irã, China e Rússia.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Interessante…. tinha mais de um drone sobre a área, pois um deles filmou ou estava filmando o que foi abatido…. e os destroços, se foram mostrados pelo Irã… estes deveriam estar sobre território de acesso iraniano… o que torna a premissa dos EUA, de território internacional, falsa.

    • Mas sendo que os EUA despacharam recursos navais ao local da queda (Certamente Navios Militares), leva a crer que se trata realmente de águas internacionais. O Irã não permitiria a presença de forças navais americanas dentro do seu território…

  2. Como trata-se de um drone de grande ALTURA, pode ser que foi atacado em Águas internacionais e os destroços chegarem a águas do Irã, mas não tem como saber corretamente.

    • O Drone não caiu na água, a fotos e vídeos do lugar em que ele caiu, inclusive o Irã já fez uma exposição dos restos do mesmo…

Comments are closed.