H225 (EC225LP) similar ao acidentado, pertencente à empresa CHC
Airbus Helicopters H225 similar ao acidentado no dia 29 de abril, pertencente à empresa CHC.

A empresa CHC, do setor de helicópteros voltados ao segmento offshore, anunciou a suspensão do emprego dos helicópteros Airbus Helicopters H225 a partir das bases de exploração de petróleo no Mar do Norte, na cidade escocesa de Aberdeen, a menos que os clientes especificamente os solicitem para as operações de transporte. Os compromissos da empresa passaram a ser atendidos por helicópteros Sikorsky S-92A.

O anúncio foi feito seis dias depois de autoridades europeias de segurança aérea ampliarem a proibição do uso do equipamento em todo o mundo, incluindo aeronaves militares (H225M), em meio a preocupações sobre a existência de sérios problemas na caixa de engrenagens principal (main gear box – MGB) dos equipamentos. Sinais de fadiga de metal foram encontradas em componentes após um acidente ao largo da Noruega, que matou 13 pessoas (11 passageiros e dois tripulantes) no último dia 29 de abril.

Segundo a CHC, a decisão de suspender o uso do helicóptero Airbus Helicopters H225 foi motivada por razões puramente comerciais. Os compromissos da empresa com base em Aberdeen passaram a ser atendidos por helicópteros Sikorsky S-92A.

Ainda de acordo com a CHC, a empresa está empenhada em ter uma frota flexível, mista, e capaz de fornecer a aeronave certa no momento certo para atender às exigências de serviços de helicópteros dos seus clientes.

Nas semanas que se seguiram ao acidente do dia 29 de abril, houve uma grande troca de informação com os clientes da empresa quanto ao uso do helicóptero Airbus Helicopters H225, não só imediato, como no futuro, quando a proibição do uso do equipamento em todo o mundo já houver sido suspensa. A CHC entende que, como prestadora de serviço, precisa compreender, aceitar e responder às necessidades operacionais e desejos de seus clientes.

No futuro, quando a frota de helicópteros H225 retornar ao serviço, sem restrições do fabricante ou das autoridades de segurança, e os clientes desejem voar na aeronave, a CHC voltará a ajustar o mix de aeronaves em sua frota contemplando o emprego do equipamento. Oferecer um serviço seguro e confiável continua a ser a principal prioridade da CHC.

No acidente ocorrido no dia 29 de abril, um helicóptero Airbus Helicopters H225 operado pela CHC voltava da plataforma de petróleo Gullfaks B, no Mar do Norte, quando caiu perto da pequena ilha de Turoey. Os pilotos sequer tiveram tempo de enviar um pedido de socorro, com o rotor principal da aeronave tendo se separado da mesma em pleno voo.

H225 main rotor norway
No dia 29 de abril, o rotor principal do helicóptero Airbus Helicopters H225 operado pela CHC separou-se da aeronave em pleno voo.

No processo investigatório do acidente, o Conselho de Investigação de Acidentes da Noruega – AIBN emitiu um relatório onde foram apresentadas evidências consistentes com fratura por fadiga, indicando que os meios disponíveis para detectar esta potencial falha catastrófica não apresentam efetividade. As informações preliminares indicam fortes indícios de que uma fadiga na engrenagem planetária do módulo epicicloidal da caixa de engrenagens principal (main gear box – MGB) do helicóptero teria causado o acidente.

Com base nas investigações, uma diretriz de aeronavegabilidade foi emitida recomendando a parada total de toda a frota mundial de helicópteros H225/H225M(EC725) até segunda ordem, incluindo as aeronaves militares.

No Brasil, Marinha, Exército e Aeronáutica operam a variante militar do equipamento, designada H225M Caracal (também chamada de Super Cougar). As informações dão conta que desde o dia 2 de junho houve a paralisação imediata dos voos com estes equipamentos até que novas informações sejam fornecidas pelo fabricante ou pela agência de segurança em aviação européia – EASA.

divider 1

FONTE: BBC

EDIÇÃO: Cavok

 

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. Putz…as FAs da Ilha de Santa Cruz vão acabar sendo as únicas operadoras deste heli…o custo de manutenção só vai subir…

  2. Boa tarde a todos!
    O Centro de Comunicação Social do Exercito pronunciou-se quanto as atividades do H225:

    1) – Com relação as aeronaves HM3 Cougar, a versão utilizada pelo EB não se enquadra na versão indicada pela EASA, portanto, permanecendo em operação normal.
    2) – Com relação as aeronaves HM4 Jaguar, foram colocadas "on ground", atendendo a recomendação do PAMA-SP atual coordenado logístico das três forças armadas.

    CM

  3. boa noite, favor corrigir a data no texto, onde se lê 2 de julho, deve ser 2 de junho, não ?

Comments are closed.