Descarregamento dos quatro primeiros Chinooks da Força Aérea Indiana em um porto na Índia.

Os primeiros quatro dos 15 helicópteros Boeing CH-47F Chinook para a Força Aérea Indiana (IAF) chegaram à Índia no dia 10 de fevereiro, antes da entrega prevista para março.

Eles chegaram na Índia semi-desmontados no porto de Mudra e agora serão preparados em Gujarat antes de serem transportados para Chandigarh, onde serão formalmente introduzidos na IAF no final deste ano. Em Chandigarh, os helicópteros farão parte do Esquadrão de Helicópteros 126, que atualmente opera o último dos helicópteros pesados Mi-26, informou o Economic Times no domingo.

A empresa entregou o helicóptero na presença do embaixador da Índia, Harsh Shringla durante a ‘Cerimônia de Transferência Índia-Chinook’. Os helicópteros serão usados pela Força Aérea Indiana para movimentar e transportar tropas, carga, artilharia, suprimentos de munição e equipamentos em toda a extensão do país.

A Índia liberou a compra de 22 helicópteros Apaches e 15 helicópteros Chinook para a IAF em um acordo de US$ 2,5 bilhões com os EUA em 2015. O Ministério da Defesa também finalizou seu pedido com a Boeing para a produção, treinamento e apoio dos helicópteros. As equipes da IAF iniciaram seu treinamento nos Chinooks em Delaware, nos EUA, no ano passado. No início deste mês, o primeiro helicóptero Chinook foi entregue à IAF na unidade da Boeing da Filadélfia.

A Boeing fortaleceu sua cadeia de fornecimento com mais de 160 parceiros na Índia e uma joint venture para a fabricação de fuselagens para os helicópteros Apache. A participação na cadeia de suprimentos anual da Índia é de US$ 1 bilhão.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Em OFF o pessoal lá do Comando de Aviação do Exército me pediu para dizer que estão morrendo de inveja!

  2. Boa tarde Senhores!

    É como já disse anteriormente, eis um helicóptero de peso.
    Tempos atrás nós foi oferecido a versão Delta, mas o então desgoverno "vermelho" desdenhou da oferta e a oportunidade se perdeu.

    Tais aparelhos fariam a diferença em tragédias recentes como a de Brumadinho-MG, aonde foi necessário realizar diversas viagens de traslado de material de apoio, com helicópteros de pequeno e médio porte, com o CH47 otimizaria recursos e quem sabe até salvaria um único vida à mais.

    CM

  3. Será que eles dão conta de operar esse monstrengo? Outra coisa, esse bichão aí quando despenca mata é mais de quinze de uma vez. Uma temeridade nas mãos dos indianos.

Comments are closed.