A nova aeronave de guerra eletrônica chinesa desenvolvida a partir da aeronave de transporte Y-9.

A China desenvolveu uma nova aeronave de guerra eletrônica (EW) com antenas adicionais para ampliar a inteligência e reconhecimento perto do Mar do Sul da China e do Mar da China Oriental.

“A nova aeronave pode coletar dados eletrônicos e de inteligência no Mar da China Meridional e no Mar da China Oriental sobrevoando nas proximidades”, disse Wei Dongxu, analista militar chinês na quinta-feira.

Uma fotografia da aeronave apareceu em uma reportagem da China Central Television (CCTV) na quarta-feira (06/03).

Segundo o relatório, o avião de guerra é “um novo tipo de aeronave de missão especial”. Não houve menção da exata designação da aeronave.

“A aeronave parece ter sido desenvolvida a partir do Y-9”, disse Dongxu.

O Shaanxi Y-9 é um avião de transporte tático de tamanho médio com um alcance máximo de cerca de 4.000 quilômetros. Ele foi modificado para permitir que a aeronave realize diferentes operações – como alerta aéreo antecipado, avião de reconhecimento e como uma aeronave anti-submarina, informou a CCTV no ano passado.

A última modificação no avião envolve a adição de um domo de radar hemisférico abaixo do nariz, duas antenas grandes de cada lado do Y-9, uma antena de cada lado da cauda e um casulo EW no topo do leme de direção.

“Esses dispositivos podem monitorar a comunicação de rádio dos inimigos e interceptar seus sinais de radar”, acrescentou Dongxu.

Eles podem fornecer supressão eletrônica, apoiando as unidades de ataque aéreo da China interferindo e paralisando os sistemas hostis de defesa aérea, segundo Dongxu.

O especialista chinês, no entanto, acrescentou: “É melhor deixar um papel agressivo para aeronaves EW modificadas a partir de um caça mais rápido do que de um avião de transporte vulnerável”.

A nova aeronave pode substituir o antigo avião GX-4 EW, que é desenvolvido a partir do Y-8.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Antes a China se utilizava de Boeing 737-400 modificados para Comando e Controle e Guerra Eletrônica, mas os EUA protestaram alegando que os Boeing 737 são vendidos para operação comercial e a utilização militar poderia causar sanções como a proibição de fornecimento de suprimento para a aviação comercial chinesa.
    A China se comprometeu a retirar as aeronaves de operação e agora vem os substitutos baseados nos An-12 chineses, uma solução livre de embargos.
    Os EUA esperaram com calma, pois embargar a aviação comercial da China traria prejuizo gigantesco a Boeing.
    Matricula B4053. https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:A

Comments are closed.