O novo radar chinês provavelmente será usado nos caças J-11B e J-11D.

Especialistas militares chineses estão cautelosamente otimistas sobre os potenciais de mercado internacional do novo sistema do radar de controle de disparo fabricado na China, afirmando que, embora seja uma atualização do sistema de radar dos caças a jato, o radar chinês é usado principalmente para fins domésticos.

A Corporação de Indústria de Aviação do Instituto de Pesquisas de Tecnologia Eletrônica de Leihua, da China publicou um artigo em sua conta do WeChat na sexta-feira, dizendo que o desenvolvimento do primeiro radar refrigerado a ar do mundo foi testado durante uma avaliação em voo.

O artigo disse que, desenvolvendo o sistema de radar, a empresa substituiu com êxito os radares do tipo pulso-doppler dos caças a jato com radares ativos com antenas faseadas.

O sistema de refrigeração a ar dos novos radares pode reduzir a carga de peso sobre os jatos, tornando-os mais rápidos em voo. E o ciclo de mudança também foi reduzido, o que poderia melhorar muito a capacidade de combate dos jatos. O sistema poderia melhorar as capacidades de defesa nacional da China, levar a mais avanços no desenvolvimento de pesquisas científicas em hardware e aumentar a competitividade internacional do sistema do radar chinês, disse o artigo.

No entanto, os especialistas militares chineses estão preocupados com as aplicações limitadas para tal atualização.

Considerando que o barramento de controle de dados para os modelos anteriores, que não são susceptíveis de serem compatíveis com o novo sistema de radar, os modelos para os caças a jato que possivelmente pode ser aplicado essa atualização de radar são os J11-B ou J11-D, disse Song Zhongping, um especialista militar que serviu junto a Unidade de Foguetes da Força Aérea do Exército de Libertação Popular. Song também observou que tal atualização para novos caças a jato poderia ser caro.

Protótipo do caça J-11D durante seu primeiro voo em 2015.

Em um comentário no portal de notícias guancha.cn no sábado, o analista militar Du Kaiyuan disse que o novo sistema de radar pode detectar a terceira geração de caças a jato a pelo menos 200 quilômetros e interceptar mísseis ar-ar de médio alcance. Ele disse que o Paquistão está interessado em usá-lo nos seus jatos de combate JF-17 Block 3, o que poderia abrir a porta para outros países.

No entanto, Song disse que os radares chineses são principalmente destinados para uso doméstico, e que o novo sistema de radar é improvável que seja usado em países sem caças fabricados na China.


Fonte: Global Times

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. se eu entendi direito, fizeram um radar AESA refrigerado a ar, sendo que o comum é ser refrigerado à líquido, que é mais complexo e pesado. Se funcionar, é realmente um avanço, e permite instalações mais simples e em aviões menores como o J-17 citado.

  2. Não duvidando da capacidade técnica chinesa, porém é muito mais fácil controlar a temperatura com sistemas complexos como o líquido que com refrigerados ar. E isso eu entendendo que essa refrigeração a ar seja para dissipadores de elemento Peltier, eletrõnicos, que sejam de fato os sistemas que façam a refrigeração dos elementos do radar.

Comments are closed.