A Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLA) exibiu pela primeira vez sete caças furtivos J-20, a maior formação J-20 já mostrada publicamente. (Foto: Xinhua)

Algumas semanas depois que os EUA aprovaram a venda de 66 jatos F-16 para Taiwan, a Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China (PLAAF) exibiu uma formação de sete caças furtivos J-20 em um vídeo oficial.

A televisão estatal mostrou um vídeo divulgado pela PLAAF mostrando sete aviões decolando e voando em formação durante uma surtida noturna. A mensagem parece direcionada diretamente a Taiwan, que recentemente recebeu uma aprovação do Departamento de Estado dos EUA para compra de 66 caças F-16s na mais recente versão Block 70/72, que vêm equipados com o mais recente radar de matriz ativa (AESA), links de dados e contramedidas eletrônicas.

A mensagem por trás da exibição de sete J-20 pode ser que os militares da China já estejam operando um número considerável de J-20, “o que poderia alcançar superioridade aérea regional e destruir as instalações estratégicas do inimigo em um território hostil”, disse o Global Times citando especialistas não identificados.

Wang Ya’nan, editor-chefe da revista Aerospace Knowledge, disse ao Global Times na terça-feira que “um número considerável de unidades provavelmente está preparada para operar o J-20”.

O J-20 é o avião de caça de médio e longo alcance de quarta geração da China e foi colocado em serviço de combate da força aérea em 2018.

A PLAAF não divulgou o número total de J-20s à sua disposição. “Se sete J-20s forem enviados simultaneamente para a batalha, eles terão uma capacidade de ataque significativa com suas armas ar-ar e ar-superfície”, disse Wang.

“Para alcançar verdadeiramente a paz, defender nossa pátria não é suficiente. Não devemos apenas defender, mas atacar”, disse Yang Wei, projetista chefe do J-20, no vídeo.

Em julho, a Força Aérea do PLA divulgou pela primeira vez uma foto de um caça furtivo J-20 com o número de série de uma unidade de combate, indicando que o avião de guerra concluiu os testes.

As reações à aprovação de compra do F-16 de Taiwan foram alarmistas na China. A mídia estatal havia dito anteriormente que os F-16 forneceriam a Taiwan a capacidade de lançar missões de ataque contra alvos no continente chinês.

Este ano marca o 70º aniversário da fundação da República Popular da China e da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Para quem gosta MESMO de aviação, as imagens dos J-10, J-20, H-6 e tais são interessantes.

    Agora, faltou a tradução da música das harpas: "no meu celular não tem Googleee/se eu digito "liberdade" no Baidu, um homem de preto bate à minha portaaa/se eu não tiver parentes importanteeees/ posso ser levado a um campo de reeducaçããão/onde aprenderei corretamenteee a louvar o camarada Jinpiiiiing e a Revoluçãão"…

  2. Bem, não menosprezando os chineses, mas o F-16 é testado e comprovado em combate, já o J-20 ainda é uma incógnita. E considerando a possibilidade de seu uso em Taiwan e Japão é melhor que continue sendo uma incógnita. O mundo, com a economia claudicante, não pode suportar um conflito bélico de grandes proporções por ambições imperialistas de país nenhum (incluindo EUA).