Taiwan estaria adquirindo helicópteros não tripulados MQ-8B Fire Scout. (Foto: Northrop Grumman)

No ano passado, a China realizou uma conferência sobre anti-segurança juntamente com os EUA, no Havaí. No decorrer da proposição de mais de 10 projetos de aquisição militar com os Estados Unidos, foi notificado há alguns meses o interesse de Taiwan no Sistema de Helicópteros Não-Tripulados Navais MQ-8B Fire Scout. O ministério de defesa de Taiwan está atualmente avaliando com a sua marinha como o helicóptero não tripulado MQ-8B será implantado e usado no futuro, e então decidirá se deve ou não comprar.

Mesmo assim, de acordo com o site UpMedia, o Pentágono já teria liberado a venda do Northrop Grumman MQ-8B Fire Scout, e a Marinha de Taiwan teria escolhido o helicóptero não tripulado porque ele pode decolar e aterrissar diretamente do convés de um navio, e possui equipamentos de monitoramento para inteligência, apoio de fogo aéreo e serviços de gerenciamento de combate, podendo permanecer em voo por até 8 horas, com um raio de detecção de 110 milhas náuticas, enquanto detecta mais de 20 alvos. Além disso, o helicóptero não tripulado MQ-8B pode ser equipado com mísseis Hellfire e foguetes guiados a laser. A Marinha de Taiwan acredita que este tipo de UAV pode ser um sistema de armas multifuncional, e o helicóptero anti-submarino se tornará outra arma.

Entende-se que a Marinha vai considerar a substituição do helicóptero anti-submarino MD500 no futuro, e pretende desenvolver um futuro sistema de armas para o UAV. Após a avaliação, solicitará apenas aos EUA a compra do helicóptero não tripulado MQ-8B.

Embora os EUA tenham notificado a China sobre “concordar em vender”, no entanto, o processo de aquisição ainda precisa ser aprovado pelo Ministério da Defesa Nacional de Taiwan, e será formalmente apresentado aos EUA depois que ele for incluído no processo e obtido o orçamento.

Isso fará de Taiwan o primeiro cliente de exportação para o MQ-8B Fire Scout.

China reclama de aproximação militar de Taiwan com os EUA

Os comentários oficiais de um oficial do Pentágono na semana passada de que os Estados Unidos estão se movendo em direção a uma “relação mais normal de vendas militares estrangeiras” com Taiwan podem sinalizar que a ilha autogovernada poderá aumentar sua capacidade de defesa com equipamentos militares dos EUA.

No congresso foi conversado sobre a cooperação na venda de aeronaves de patrulha marítima P-3C Orion, aeronaves de transporte C-130 Hercules, tanques M1A Abrams e auxílio para recolocar na ativa os submarinos de Taiwan.

Randall Schriver, o secretário assistente de defesa para assuntos de segurança da Ásia e do Pacífico, disse que o governo Trump vai pressionar por mais vendas de armas para Taiwan, uma medida que seria duramente combatida pelo governo chinês.

Pequim vê a ilha auto-governada como parte de seu próprio território para ser reunificada, à força, se necessário, e criticou o anúncio no mês passado de que os EUA planejavam vender US$ 330 milhões em armamentos para a ilha.

F-35 para Taiwan?

Em entrevista à mídia taiwanesa em março, o ministro da Defesa de Taiwan, Yen Teh-fa, disse que o F-35B atende às exigências da Força Aérea da República da China para aeronaves de decolagem curta e pouso vertical.

Yen também disse que as negociações sobre a compra haviam começado e que a ilha faria um pedido aos EUA depois de concluir a avaliação da proposta de aquisição.

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

    • Seria totalmente inútil o F35 para Taiwan. Em um eventual ataque chinês, a desproporção de forças será tamanha que ele não fará diferença. Simplesmente seriam destruídos em solo junto com todas as instalações de apoio na primeira passagem de aviões e mísseis chineses. A melhor defesa de Taiwan continua sendo os EUA. Aproveitem enquanto podem.

      • Os EUA, Japao, Coreia do Sul, India, Cingapura, Vietnã, Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, dentre outros. Se se atreverem a atacar Taiwan a gana expansionista da China terá o mesmo fim da Alemanha nazista.

    • Imagino que o maior risco seria algum partidário do PC chinês em Taiwan acabar passando informações sensíveis do jato para Pequim.

      E quem fala em ataque chinês a Taiwan não avalia as consequências econômicas do assunto.

  1. Quando os dirigentes de ambas as Chinas que lutaram na Guerra Civil morrerem, a virulência diminuirá consideravelmente, e abrirá espaço para acordos interessantes a ambos. A tentativa imoral de cercear Taiwan na comunidade internacional também está acima da minha capacidade intelectual.

    No mais, o PCC tem uns quadros bem fanfarrões. Um 'pseudônimo' na mídia oficial propôs a compra de quatro NAes da classe Ford para equilibrar a balança comercial dos países.

    Ps: http://alert5.com/2018/10/14/china-says-it-can-cl

Comments are closed.