A China está desenvolvendo um novo caça para seus porta-aviões. O objetivo é substituir a frota de J-15 após uma série de falhas mecânicas, enquanto tenta construir uma Marinha capaz de operar globalmente.

O J-15 foi baseado no caça russo de superioridade aérea de quarta geração Sukhoi Su-33, um projeto que tem mais de 30 anos. Foi desenvolvido pela Shenyang Aircraft Corporation, uma unidade da estatal Aviation Industry Corporation da China.

Com um peso máximo de decolagem de 33 toneladas, o J-15 é o caça embarcado mais pesado em atividade no mundo com o porta-aviões Liaoning.

A China precisa desenvolver o novo jato de combate, já que planeja criar pelo menos quatro grupos de porta-aviões para cumprir suas ambições navais globais e defender seus crescentes interesses no exterior”, disse o especialista naval Li Jie.

Para melhorar a eficácia de combate dos grupos de ataque dos porta-aviões chineses, é necessário desenvolver um novo caça embarcado“, disse Li, acrescentando que o caça furtivo FC-31 poderia ser usado como modelo-base para substituir o J -15

O FC-31, segundo os chineses, é um caça stealth de última geração que fez seu primeiro vôo em 2012 e é menor e mais leve que o J-15. O Tenente-General Zhang Honghe, vice-chefe da Força Aérea do PLA (Exército de Libertação do Povo), confirmou ao South China Morning Post que um “novo caça baseado em porta-aviões para substituir o J-15” estava sendo desenvolvido.

Enquanto isso, um novo porta-aviões está sendo construído pelo Estaleiro Jiangnan, em Xangai. O Type 002 usará um sistema de lançamento eletromagnético, o que permitirá que mais aviões sejam lançados em um tempo menor do que o sistema atual de rampa (skijump) usado no Liaoning e no primeiro porta-aviões fabricado na China, o Type. 001A, que está em provas de mar.

A necessidade de desenvolver um novo jato de combate tornou-se mais premente depois de uma série de “falhas mecânicas imperdoáveis” que mataram um piloto da PLA e feriu outro.

Duas fontes próximas aos militares disseram que houve pelo menos quatro acidentes envolvendo o J-15, embora apenas dois deles tenham sido reportados pela mídia estatal.

O J-15 é uma aeronave problemática – seu sistema de controle de voo instável foi o fator-chave por trás dos dois acidentes fatais há dois anos“, disse uma das fontes.

O piloto Zhang Chao, de 29 anos, morreu em um acidente em abril de 2016 enquanto tentava salvar seu jato J-15, cujo sistema de controle de vôo estava em colapso durante um pouso forçado em um porta-aviões, segundo reportagens da mídia estatal.

Três semanas depois, seu colega Cao Xianjian, ficou gravemente ferido ao tentar lidar com o mesmo problema em um J-15. Levou mais de um ano para se recuperar.

Todos os J-15 foram retidos em solo por três meses após as quedas, o que minou o moral da Força Aérea e da Marinha. A Marinha pediu uma investigação após a morte de Zhang, disseram as fontes.

Caça J-15 decolando do porta-aviões Liaoning durante operações noturnas.

Mas os especialistas em aviação no início se recusaram a reconhecer que o J-15 tem problemas de projeto“, disse uma das fontes. “Eles só concordaram que havia problemas depois que Cao encontrou o mesmo problema“.

Muitos dos caças a jato da China tiveram problemas com seus motores, projetos e modificações nas aeronaves. Mas um veterano da aviação naval chinesa disse que, em vez de realizar mais voos de teste, os pilotos foram forçados a pilotar os aviões de guerra, mesmo tendo falhas.

É claro que é impossível impedir qualquer acidente que aconteça durante o treinamento. Mas, ao contrário de seus equivalentes nos países ocidentais, os pilotos da Força Aérea chinesa são solicitados a contornar esses erros mecânicos”, disse o veterano da marinha.

Embora os pilotos sejam ensinados a ejetar de seus caças em caso de falha mecânica, eles também são informados de que têm o dever de “salvar a valiosa aeronave”.

Um hipotético FC-31 naval

Os pilotos da Força Aérea são treinados que é sua missão salvar a aeronave, que é propriedade do Estado…mas isso precisa mudar porque vidas humanas são inestimáveis“, disse o veterano. “Aeronaves podem ser reconstruídas após um acidente, mas os pilotos são insubstituíveis“.

No início deste ano, a emissora estatal CCTV transmitiu um programa de propaganda elogiando Zhang e Cao por tentarem salvar seus jatos.

Na semana passada, Zhang recebeu um prêmio póstumo por ser o “melhor membro do partido”, enquanto Cao foi eleito representante do Exército Popular de Libertação no congresso do Partido Comunista em outubro.


FONTE: South China Morning Post

Anúncios

34 COMENTÁRIOS

  1. Somente tolos acreditam nas mentiras espalhadas pelos chineses na Web.

    O valor militar desse caça é quase zero, mas não deixa de ser um caminho para outro futuro.

Comments are closed.