Com o embargo no envio de peças militares, o Irã tem dificuldade para manter seus caças F-14 Tomcat em voo. (Foto: Alireza Bayat / Nahaja)
Com o embargo no envio de peças militares, o Irã tem dificuldade para manter seus caças F-14 Tomcat em voo. (Foto: Alireza Bayat / Nahaja)

Uma cidadã chinesa foi presa na terça-feira quando tentava atravessar a fronteira entre os EUA e o Canadá, e foi acusada de exportar ilegalmente peças militares ao Irã.

Yaohong Gong, uma residente da Flórida, é acusada de operar uma empresa que participou de um esquema para obter peças de aviões fabricados nos EUA destinados à China e ilegalmente desviando-os para o Irã.

Gong apareceu na quarta-feira perante ao juiz norte americano Jeremiah J. McCarthy, e foi requisitada a sua detenção.

“Ela é um cidadã chinesa”, disse o assistente do procurador norte americano Joel A. Violanti. “Ela não tem nenhum vínculo com a comunidade.”

Violanti disse que Gong foi presa com seu filho de 9 anos ao cruzar a ponte de Lewiston-Queenston e estaria indo para Toronto, onde ela tem família.

A queixa criminal contra Gong informa que ela falsamente disse a empresas na Flórida que as peças seriam enviadas para Hong Kong ou China, quando, na verdade, elas seriam destinadas para o Irã.

Caças F-14 (acima) e F-4 repousam no deserto da Base Aérea de Davis-Mountain, Arizona.
Caças F-14 (acima) e F-4 repousam no deserto da Base Aérea de Davis-Mountain, Arizona.

A denúncia também afirma as partes foram destinados para aeronaves militares, como os caças F-14 Tomcat e o F-4 Phantom, e a aeronave de transporte C-130.

Gong, que pode pegar até 10 anos de prisão e a deportação se for condenada, será enviado para a Flórida para enfrentar as acusações contra ela.

Seu filho está atualmente sob a custódia dos serviços de proteção à criança do Condado de Niagara.

Fonte: Buffalo News

19 COMENTÁRIOS

  1. Agora eu pergunto: Onde ela conseguiu comprar peças para F-14, F-4 e C-130? Estão a venda para qualquer um? E porque alguém autorizaria a venda destas peças mesmo que fosse para a China, já que ela nunca, por motivos óbvios, operou estes aviões? Ou peças destes aviões agora viraram enfeites de mesa ou alguém mais precisa ser preso.

    • Eu também não sei dizer mas as vezes se vende material militar usado para ferros velhos como sucata e ao invés dar um fim ao material se revende ele com pretexto de ser um colecionador.
      Mais estranho porque se não me falha a memória existe uma lei no Eua que proíbe comercializar peças do F-14.

      • Sim, como se pode ver nas fotos os F-14 estão devidamente preservados e não desmontados como sucata, ainda fazem parte de uma reserva, acontece que deve haver muitas peças de reposição em estoque e como você disse , não poder ser retiradas por ser proibido no caso deste caça em questão.

        • Os F-14 não estão sendo mantidos em condições de voo, diferente de outros jatos como o F-16 e o F/A-18. Está lá somente para apodrecer no deserto.

          Oficialmente, não estão em condições de voo ou estão recebendo qualquer tipo de conservação. Existe uma lenda entretanto, com base, no qual diz que 24 F-14s estão sendo mantidos, mas não é nada oficial.

          • Caças que são colocados para virarem sucata não recebem material antireflexivo no canopy e partes sensíveis, e proteção contra a entrada de detritos nas tomadas de ar, não faria sentido, a não ser que a foto seja do tempo que eles ainda possuíam alguns em serviço ativo.

            • Bem, como eu disse, a versão oficial é essa.

              Quem sabe estão guardando alguns mesmo caso não gostem do F-35C. Hehehe

              • Boa! rsrs…De qualquer forma você está certo, mesmo com proteção eles não voltam a voar, a maquina industrial americana não para. É bom saber que que eles ainda estão inteiros lá. Receber uma doação destas para o Musal seria o máximo, mas nem F-4 foi oferecido, é pena.

      • É o que preocupa, e como eu disse, alguém mais deve ser preso, lá é área militar. Existe um mercado para produtos militares, até mesmo novos, mas são coisas pequenas, como uniformes completos, acessórios, etc, não vou entrar muito em detalhe, mas peças de F-14…também quero, rsrsrs

  2. Peças de F-4 e C-130 devem ser mais fáceis de conseguir, pois possuem muitos operadores. Deve existir uma rede especializada para esse tipo de contrabando. Mas para o F-14, deve ser bem complicado. Por mais engenharia reversa que os iranianos façam, deve ser mais fácil e barato contrabandear peças dos EUA, seja roubada ou não.

    • O mais caro e mais complicado na manutenção do F-14A/B é seu sistema elétrico, pelo fato de ter sido pioneiro em várias coisas. O F-14D conseguiu abaixar o custo de manutenção consideravelmente.

      Mas o Iran opera o F-14A, dos primeiros blocks ainda, então a manutenção deve ser pesadelo, tanto que o radar AWG-9 foi substituido por outro de origem desconhecida.

  3. Diz uma lenda que componentes de C-130/L-100 de segunda mão custam o mesmo que uma peça nova, quem mantém o preço elevado é o mercado negro que possuem alta demanda e rápido pagamento.

  4. O pessoal da inteligencia chinesa parece estar tão ativo quando a os Russos durante a Guerra Fria . Desde espionagem eletronica (vide o F-35) a gente operando dentro dos EUA .Impressionante .

  5. Mas em pleno século XXI eu imaginava que os persas já tinham condições de fabricar todas as peças do Tomcat. Com o que os israelenses repassaram a eles durante a Guerra Irã-Iraque, já deviam estar pra lá de experts no assunto.

    • Verdade, ainda mais tratando-se de tecnologia digamos " ultrapassada".

  6. Lembrei do caso Irã-Contras (Irangate), em meados da década de 1980, onde elementos da CIA contrabandeavam armamentos para o Irã em troca da libertação dos reféns da embaixada americana e para financiar os contras da Nicarágua. Então, tinha alguma "fonte" de armamentos dentro dos EUA. Outro caso – lenda – foi o de Israel fornecer equipamento e suporte tanto para o Iraque quanto para o Irã, durante a guerra Irã-Iraque, com a finalidade de manter os dois em permanente combate, deixando Israel sossegado.

  7. Olha como estou atrasado, como um iraniano que (ainda!) não sabe fabricar peças do Turkey… Com a cabeça no tempo da aprovação compulsória de todos os comentários… 🙂

Comments are closed.