Um Northrop T-38A Talon, da Base Aérea de Laughlin, Nevada, do Esquadrão "Red Bulls". (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

Cockpit do Northrop T-38C Talon.

Para quem acompanha o CavokBlog, essa foi mais fácil. A resposta dessa semana é o Northrop T-38 Talon, que foi projetado na metade da década de 50 como uma variante para treinamento do projeto do caça leve (o Projeto N-156) da Northrop Corporation (hoje parte da Northrop Grumman). Embora a U.S. Air Force (Força Aérea dos Estados Unidos) não tivesse necessidade de um caça leve na época, ela acabou se interessando pela aeronave de treinamento como substituta do T-33 Shooting Star que tinha estava em uso até então pela USAF. O primeiro de três protótipos (designados como YT-38) voou no dia 10 de março de 1959.

O protótipo do YF-5A, no qual o T-38 foi originado. (Foto: Northrop)
Um dos primeiros protótipos do T-38 Talon, na década de 50.

O modelo foi rapidamente colocado em operação e o primeiro avião de produção foi entregue em 1961, oficialmente entrando em operação no dia 17 de março desse mesmo ano, complementando o treinamento feito na aeronave T-37. Quando a a produção acabou em 1972, 187 T-38 haviam sido fabricados. Desde a sua introdução ele treinou cerca de 50.000 pilotos militares. A USAF permanece como uma das poucas forças aéreas que utilizam aeronaves de treinamento avançado para voo supersônico, e a Marinha utiliza aeronaves de treinamento subsônicos.

A configuração em tandem do cockpit permite uma melhor qualidade no treinamento dos pilotos da USAF. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)
Dois treinadores avançados T-38 Talon, da Base Aérea da Beale, Califórnia. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)
Dois T-38 Talon da Base Aérea de Columbus, Mississippi. (Foto: U.S. Air Force)

O T-38 tem uma configuração convencional, com asas pequenas, baixas, com um único estabilizador vertical, e um trem de pouso na configuração triciclo. O avião possui dois assentos na configuração tandem, e tem entradas de ar para os seus dois motores na raíz das asas. A sua agilidade ganhou o apelido de “foguete branco (white rocket)”, e em 1962 conquistou 4 recordes de razão de subida.

Uma das diferenças do T-38 do caça F-5B é o desenho da asa, que na ponta, no caso do T-38, não tem o trilho para míssil ar-ar. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)
Uma aeronave na versão AT-38A, com pontos fixos para colocação de armamentos.

As aeronaves F-5B e F(os quais também derivaram do N-156) distinguem-se do T-38 pelas asas; a asa do T-38 encontra a fuselagem na forma reta e acaba quadrada, enquanto o F-5 possui o bordo de ataque perto da raíz das asas e tem trilhos nas pontas para a utilização de mísseis ar-ar.

Um T-38 Talon em uso pela Base Aérea de Edwards, California. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Somente em Edwards para ver essa cena: de cima para baixo um F-22 Raptor, um F-16 Fighting Falcon, um T-38 Talon, um F-16B Fighting Falcon e um F-117 Nighthawk. (Foto: Richard Seaman / Flying Kiwi)

A maioria dos T-38 foram fabricados no modelo T-38A, mas a USAF também tem um pequeno número de aviões que foram convertidos para treinamento de armas. Essas aeronaves (designadas AT-38B) foram modificadas para permitir o uso de armas e para carregar um modelo de armamento, foguetes, ou bombas numa posição central. Em 2003 , 562 aviões T-38 estavam operacionais com a USAF e estão atualmente em processo de reforma na estrutura e passando por programas de modernização de aviônicos (T-38C) para aumentar o seu tempo de vida até 2020. Os melhoramentos incluem a adição de HUD, GPS, Sistema de Navegação por Inercial, e TCAS assim como PMP(a Propulsão Modificada) para melhorar o desempenho a baixa altitude. Todas as variantes da USAF (T-38A e AT-38-B) estão sendo convertidas para o padrão T-38C.

O novo 'chase plane' T-38A (N638TC) da Boeing, visto em paine Field.

O Comando Aéreo Estratégico (SAC) da USAF utilizou as aeronaves T-38 Talons entre os anos de 1981 e 1991. Além da USAF, outros países operam com o T-38: a Luftwaffe, da Alemanha; a Força Aérea Portuguesa; a Força Aérea de Taiwan; a Força Aérea Turca; e a Marinha dos Estados Unidos. Também voam para a NASA e Boeing (dica que demos para vocês, sendo duas aeronaves em uso pela fabricante)

Dois T-38 utilizados pela NASA para treinamento dos astronautas que voam nas naves espaciais. (Foto: NASA)

A NASA também usa o avião como jato de treinamento para os seus astromautas; a sua frota principal fica baseada em Ellington Field, em Houston, no Texas. Existe também um pequeno número destas aeronaves sendo operadas por civis.

A versão de caça do N-156 foi selecionado pelo Programa de Assistência Militar (MAP) que posteriormente produziu o F-5 Freedom Figther. Muitos desses aviões tem sido convertidos para treino de armamento em várias forças aéreas. O F-5G foi mais tarde desenvolvido dando origem ao F-20 Tigershark

Antes de migrarem para o caça F-16 em 1983, os Thunderbirds voavam com as aeronaves T-38 Talon.
Um T-38 Talon nas cores do Esquadrão de Demonstração Aérea Thunderbirds. (Foto: Richard Seaman / Flying Kiwi)

Em resposta á crise do petróleo, a patrulha acrobrática Thunderbirds, da Força Aérea dos Estados Unidos adotou o T-38 Talon, pois consumia menos combustível do que o F-4 Phantom (os Blue Angels passaram para o A-4 Skyhawk). As aeronaves T-38 foram substituídas em 1983 pelo caça F-16A “Fighting Falcon”.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá, trata-se do cockpit modernizado dos Lockheed T-33 'Shooting Star' operados como "chase planes" pela Boeing.

Comments are closed.