Reportagens da imprensa indiana indicam que investigações estão em andamento pela compra em maio de 2012 de 75 treinadores básicos Pilatus PC-7 Mk-II pela Força Aérea Indiana.

O Bureau Central de Investigações (CBI) aparentemente está investigando as alegações de corrupção relacionadas ao contrato básico de aeronaves de treinamento no valor de aproximadamente US$ 523 milhões, após a conclusão de um inquérito de três anos sobre o negócio.

A Pilatus se recusou a comentar quando perguntado sobre o assunto.

Outro desafio com a frota indiana de PC-7 vem do fato dos negociadores indianos não terem concluído o contrato de Follow-on Support (FoSC) e de Transferência de Tecnologia de Manutenção (MToT) com a Pilatus.

A Pilatus forneceu suporte de manutenção para um período de garantia de dois anos, mas isso terminou em 31 de janeiro de 2018.

Se o contrato de suporte tivesse sido assinado, a Hindustan Aeronautics teria sustentado a frota. A força aérea tentou, em vez disso, apoiar o modelo.

Apesar dos esforços da Força Aérea, um relatório da Controladoria Geral e Auditor Geral (CAG) de fevereiro de 2019 indicou que a manutenção geral da frota de 75 PC-7 MK-II foi gravemente afetada, com uma parcela substancial da frota aterrada.

As alegações de corrupção também podem inviabilizar as esperanças da fabricante de aviões suíça de obter um pedido de 38 aeronaves adicionais (opções sob o contrato original), que foi aprovado pelo Conselho de Aquisição de Defesa (DAC) em janeiro de 2016.

Após a assinatura do contrato em maio de 2012, a Pilatus concluiu a entrega de todos os 75 treinadores básicos entre fevereiro de 2013 e novembro de 2015.

“Os lotes iniciais de aeronaves foram utilizados a uma taxa superior à média de 300 horas por ano”, relatou o Ministério da Defesa ao CAG.

O PC-7 MKII foi selecionado como um substituto para os HPT-32s construídos pela HAL para Força Aérea Indiana; superando a concorrência do T-6C da Hawker Beechcraft e do KT-1 da Korea Aerospace Industries (KAI).

Toda a frota de HPT-32 foi aterrada em julho de 2009 devido a uma taxa de acidentes inaceitavelmente alta.

A Hindustan Aeronautics está atualmente desenvolvendo o HTT-40 nacionalmente para atender às exigências da força aérea para 106 aeronaves de treinamento básico adicionais.


Fonte: Flightglobal

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS