O simulador dentro do quarto no Haneda Excel Tokyo.

O hotel Haneda Excel Tokyo, no Japão, construiu um simulador de voo em um de seus quartos, que os hóspedes podem alugar para sessões de 90 minutos. Para a experiência do simulador sem ficar na suíte, o preço sai por 30.000 ienes, ou aproximadamente US$ 278.

O hotel chama a suíte de “Cockpit Room Superior” e o simulador capta a experiência de um Boeing 737-800. Para ser claro, é uma aeronave diferente do Boeing 737 MAX, que passa atualmente por problemas de software.

A experiência está aberta a todos os que podem pagar, desde pilotos experientes até amadores completos. O hotel diz que permite que um usuário “experimente a manobra de um avião sob a orientação de um instrutor que esteja familiarizado com o equipamento, incluindo um ex-comandante que realmente teve prática em voo”.

A viagem simula um voo do Aeroporto de Haneda, que serve a maior área de Tóquio, para o Aeroporto de Itami, que serve Osaka, Kyoto e Kobe. O hotel incentiva os usuários a “experimentar a sensação de que você está, na verdade, manobrando, inclinando a aeronave ao operar o controle.”

No entanto, se alguém está apenas alugando o simulador, é importante lembrar que a liberdade de voo é apenas uma ilusão: o hotel observa especificamente que “camas e banheiros não estão disponíveis” para uso durante a experiência.

Os simuladores em viagens atendem um nicho cada vez mais popular no Japão. Um dos mais populares, um simulador de trem chamado Densha de Go!, que existe desde 1996 e simula o papel de ser um condutor em sistemas ferroviários japoneses reais.


Fonte: CNN, via Popular Mechanics

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS