Dois helicópteros chineses Z-20 foram fotografados no TIbete, durante o que seriam testes em grandes altitudes.

O Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento de Helicópteros da China, juntamente com empresas da indústria local, continuam avançando com os testes de um helicóptero de transporte médio Z-20, em locais de alta altitude no Tibete.

Os dois novos exemplares do helicóptero Z-20, com matrículas 635 e 636, foram vistos no aeroporto de Gannan Xiahe. É um aeroporto na prefeitura autônoma tibetana de Gannan, província de Gansu, na China. Está localizado acima da cidade de Amuquhu (Amqog) no condado de Xiahe, a 72 km da capital do condado e a 56 quilômetros de Hezuo, capital da prefeitura de Gannan. Atualmente, existem quatro protótipos.

O novo helicóptero Z-20 muito parecido esteticamente com o helicóptero utilitário Sikorsky S-70 fabricado nos EUA, e amplamente usado pelo Exército dos EUA, onde é conhecido como UH-60 Black Hawk. Cerca de 24 helicópteros S-70C foram comprados pela China nos Estados Unidos em meados da década de 1980.

Durante o final da década de 1980, um período de aquecimento entre a China e o Ocidente resultou em uma série de vendas de armas para o governo chinês. Pequim, ansioso por modernizar o Exército de Libertação do Povo, participou de uma série de investimentos, comprando equipamentos que não conseguiram construir por conta própria, particularmente aeronaves e tecnologia naval. A China comprou uma ampla gama de helicópteros, incluindo os helicópteros franceses Super Frelon e Dauphin e o S-70, a versão de exportação do UH-60 Blackhawk do Exército dos EUA.

O UH-60 Black Hawk em operação com o Exército dos EUA.

Devido ao embargo em 1989, a China deu início ao estilo cópia de equipamentos militares ocidentais. O helicóptero de transporte pesado Aerospatiale SA 321 Super Frelon tornou-se o helicóptero de busca e salvamento de resgate e transporte naval Changhe Aircraft Industry Group Z-8. O helicóptero Eurocopter Dauphin tornou-se o utilitário Z-9 e os helicópteros de ataque Z-19. Com a China conseguindo o direito de construir cópias civis de algumas tecnologias, incluindo o Dauphin, a tecnologia e o know-how de fabricação se espalharam no setor militar.

O primeiro protótipo do “novo” helicóptero, chamado Z-20, voou em 2013. Externamente, o helicóptero é muito parecido com o Blackhawk, com um nariz mais curto, e pouco ainda se sabe sobre o modelo chinês do Black Hawk.

Embora ambos helicópteros tenham muita semelhança, como a disposição do trem de pouso, também há diferenças marcantes, como por exemplo o rotor de cinco lâminas do Z-20 em comparação com as quatro lâminas dos Black Hawks.

Comparativo entre o Black Hawk e o Z-20.

O helicóptero Z-20 acomoda cerca de 12 a 15 soldados totalmente equipados. Possui uma capacidade útil de cerca de 5.000 kg. Pode transportar cerca de 1.000 kg internamente e 4.000 kg externamente. Pode transportar várias cargas, tais como veículos e artilharia externamente.

O helicóptero utilitário chinês pode ser armado com metralhadoras e possivelmente outras armas, como mísseis anti-tanque e ar-ar, ou foguetes não guiados, existindo ainda uma torre FLIR/TV montada no nariz. De acordo com um relatório da mídia chinesa, dois dos helicópteros mais novos estão ostentando novas antenas UHF/VHF e um receptor GPS/Beidou (versão chinesa do GPS).

Até o momento o programa de teste de novos helicópteros chineses realizou testes de desempenho de alta altitude, pouso automático, navegação, testes do sistema de cabine e manuseio, entre outros aspectos.

O Z-20 visto em voo.

Enquanto a China luta para colocar o Z-20 em operação, o programa Future Vertical Lift – Medium dos militares dos EUA visa substituir o Black Hawk por um dos três projetos de helicópteros completamente novos, incluindo um tiltrotor V-280 Valor que deve realizar seu primeiro voo em breve.

19 COMENTÁRIOS

    • No meu ponto de vista estão corretíssimos! Não estão simplesmente copiando, estão fazendo escola, estão aprendendo a fazer. Ao invés de 'comprar' tecnologia como algumas 'putênfias' ocidentais, fazem a custos pra lá de questionáveis, estão gastando em massa cinzenta. Certeza que uma vez aperfeiçoada a cópia, o que vem depois tem personalidade própria. Parabéns aos chineses.

      • No atual estágio, acho que está mais para os brasileiros copiarem algo chinês que os chineses copiarem alguma coisa chinesa.
        Só se copiarem corrupção, malandragem, jeitinho brasileiro, tecnologia de fabricação de borduna, tacape, lança.
        Antes fossemos nós que tivéssemos o hábito de fazer cópias para aprender a fazer. Nem isso somos capazes.

  1. Tem suas diferenças e o Black Hawk apesar do fã clube no Brasil já é um helicoptero quarentão nos EUA em processo de substituição.
    O BH foi criado para substituir os UH-1H e fez seu primeiro voo em 1974, a 43 anos, mas ainda é válido em operação e parabéns a China por aproveitar seus conceitos, mas não parece uma cópia.
    O primeiro protótipo do Z-20 usava motores Pratt & Whitney Canada PT6C-76C turboshaft com transmissão Eurocopter, depois se espera que use motores WZ-10 de 2400 shp.
    O helicóptero CAIC Z-10 tambem começou a voar com motores P&W Canada PT6 e depois recebeu seu motor WZ-9 de 1 350 hp, é comum a China fabricar os protótipos com motores conhecidos, testados e aprovados e depois da plataforma aprovada instala os motores chineses em desenvolvimento.
    No avião de transporte pesado Y-20 ainda estão usando os motores Soloviev russos dos antigos Il-76.

  2. Só sei que se amanhã tiver super tucano xing ling, o que vai ter de viúva da embraer fulo da vida kkkkkkk

    O problema é que é muito cópia, blogs gringos dizem que o tamanho é o mesmo, até a disposição das janelas é a mesma, logo isso fere o direito de patente, creio.

DEIXE UMA RESPOSTA