Medida cabe ao Governo Federal e ainda não foi adotada em nenhum estado.

Segundo a Constituição Federal, aeroportos são bens públicos da União Federal, atendendo a interesse de toda a nação, além das localidades imediatamente servidas, disse a ANAC em resposta ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que assinou decreto fechando os aeroportos do Rio de Janeiro para todos os voos internacionais e para boa parte dos nacionais, incluindo ligações para São Paulo e a Brasília.

No que diz respeito a questões sanitárias, esta determinação segue as orientações do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Vale esclarecer, ainda, que a interdição de um aeroporto não é uma conduta indicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) neste momento e pode prejudicar de forma irresponsável o deslocamento de pessoas, profissionais de saúde, vacinas, órgãos para transplante e até insumos para medicamentos para os estados brasileiros.

A ANAC seguirá sempre as determinações das autoridades federais que possuem a competência para tratar do assunto e que pautam suas ações no máximo cuidado com a população.

Segundo recomendação da Anvisa, os agentes que atuam nos aeroportos devem usar equipamentos de proteção. Também são estabelecidos critérios de higienização para aeronaves e tripulantes.

Anúncios