Rússia disse que danos no porta-aviões Kuznetsov foram mínimos e ele deve ser reparado no prazo original.

O único porta-aviões da Rússia, o Almirante Kuznetsov, sofreu danos em 52 lugares no valor de 70 milhões de rublos (cerca de 1,1 milhão de dólares) no incidente da doca flutuante, disse Alexei Rakhmanov, chefe da United Ship-Building Corporation.

“A comissão [criada para estimar o dano] contou 52 danos. No geral, a recuperação do navio custará cerca de 70 milhões de rublos, isto é, a categoria de danos insignificantes dentro do orçamento da modernização do Almirante Kuznetsov”, disse o diretor executivo, respondendo à perguntas relativas ao porta-aviões.

Como disse Rakhmanov, “não encontramos nada de grave que pudesse acarretar a extensão do período de reparação ou que não pudesse ser restaurado”.

O reparo está previsto para ser concluído no final de 2020 e seus testes estão programados para 2021. O navio de guerra está previsto para ser entregue à Marinha em meados de 2021″, disse o chefe da United Ship-Building Corporation da Rússia.

Incidente na doca flutuante

O pier flutuante PD-50 afundou durante a noite de 30 de outubro em Murmansk durante uma planejada flutuação do pesado cruzador Almirante Kuznetsov. De acordo com informações preliminares, o próprio navio de guerra teve seu convés de decolagem danificado por um guindaste que caiu, e agora está ancorado na 35ª Fábrica de Reparação de Navios.

O PD-50 é uma das maiores docas flutuantes do mundo e a maior da Rússia. Foi construído na Suécia em 1980 por encomenda da Marinha Soviética. Tem 330 metros de comprimento e 67 metros de largura e uma capacidade de elevação de 80.000 toneladas. A doca flutuante tem uma área de 22,1 km2, o que é um pouco menos que a Praça Vermelha, em Moscou.

O Kuznetsov em reparos, em imagem vista por satélite.

De acordo com as demonstrações financeiras corporativas, a 82ª Fábrica de Reparação de Navios, onde ocorreu o incidente da doca flutuante, foi integrada na gigante petrolífera russa Rosneft em novembro de 2015. O Ministério da Defesa da Rússia detém atualmente uma pequena participação de 0,0001% na Fábrica de Reparação de Navios.

A Rosneft utiliza a 82ª Fábrica de Reparação de Navios como base para o desenvolvimento de um moderno centro de apoio logístico costeiro para projetos offshore.

Porta-aviões Almirante Kuznetsov

O cruzador de transporte com aeronaves embarcadas Admiral Kuznetsov (Projeto 11435) foi projetado para ganhar superioridade no mar e no ar nas áreas de operação da frota para garantir a sustentabilidade de combate da frota, realizar ataques aéreos contra objetivos inimigos e apoiar as operações de pouso das tropas.

O navio de guerra entrou em serviço em 1990. Desloca 58.000 toneladas e tem um comprimento de 304,5 metros. O porta-aviões tem uma potência total de 200.000 HP e desenvolve uma velocidade de até 30 nós. Além da força-tarefa aérea de 24 a 26 caças e 12 helicópteros, o Almirante Kuznetsov está armado com sistemas de mísseis antiaéreos e de defesa aérea.

O navio de guerra está equipado com uma rampa de esqui e dois elevadores de aeronaves. Tem uma tripulação de 1.300 pessoas enquanto o pessoal do grupo aéreo conta com 660 homens.


Fonte: TASS Defense

Anúncios

11 COMENTÁRIOS

  1. A cada hora os caras falam uma coisa. E o problema da fumaça expelida vão resolver ?

    • Em nenhum momento o governo Russo disse que o Kuznetsov não teria mais conserto , mas a mídia Britânica por conta própria alastrou a fake news, mas desde o incidente não li na imprensa russa algo diferente ,de que o PA nao pudesse navegar mais…
      Quanto a fumaça , foram substituidas as caldeiras , e todo o sistema de propulsão do navio sera mexido..

  2. Haja ferrugem. Para nossa alegria, o Kuznetsov continua. Uma pena que o Almirante continue sendo perseguido pelo governo mesmo morto.

    Sugiro o estudo da vida desse herói de guerra. Venceu o inimigo e foi devorado pelos políticos.

    • Não quis endossar a classe de cruzadores que o Stalin desejava. A sorte do almirantado foi a morte deste, que permitiu rearranjar a marinha de acordo com especificações militares.

  3. Mas o principal agravante não é em relação aos danos sofridos pela fuliginosa barcaça com o desabamento do guindaste, mas pela impossibilidade de recuperar a doca flutuante porque sem ela não dá para fazer a crítica e necessária manutenção no seu velho casco. Desta forma só farão reparos em estruturas internas o que deixa o gigantesco fogão a lenha marinho em situação não muito confiável de navegação.

    • Não fez 30 anos ainda…o casco esta bem conservado , temos belonave ai com 40 ou 50 anos ,e ainda estão empurrando água…

  4. A unica solucao para essa MFA(Maria Fumaca Aquatica), seria os Russos se juntar aos Chineses para ajudar o desenvolvimento das catapultas, retirar esse Ski Jump e colocar uns metros a mais para receber as catapultas. Em troca os Russos poderiam ajudar a desenvolver o novo avião a Marinha Chinesa.

  5. Pouco, mas ainda é muito por um equipamento inservível para uma nação com as pretensões como as russas.

  6. Muito drama para pouca coisa. Comprem umas chapas de zinco e eu mesmo soldo essa birosca.

    Os russos não podem nos privar daquelas manobras a bordo, com um ou outro Su-33 tirando finas psicóticos de outros jatos parqueados ou acelerando a toda para ensurdecer os caras de macacão laranja a bordo, enquanto obedecem aos balizadores…

    É até mais interessante que os pousos e decolagens.

  7. Bom que o governo russo gasta suas verba com essa banheira. o Almirante homenageado pela URSS deve estar se remoendo no além com tanta desgraça deste velhaco soviético. Humilhado na síria com um rebocador o seguindo por podre ser.

Comments are closed.