Rafale M10 foi o primeiro F1 elevado ao padrão F3.
Rafale M10 foi o primeiro F1 elevado ao padrão F3.

O primeiro dos dez caças Rafale M F1, que foram adaptados ao padrão F3, foi entregue em 3 de outubro.

A Dassault Aviation entregou ao DGA o Rafale M10. Estas dez aeronaves Rafale (M1 a M10) foram produzidas a partir do final da década de 1990 para substituir os F-8 Crusaders que forneciam defesa aérea para a Marinha francesa desde 1964. Como o F-8 estava no límite da célula, a substituição não podia mais ser protelada e nem esperar pelo Rafale F2 muito menos pelo F3, dez Rafale para Marinha receberam o chamado padrão básico F1, limitado apenas as missões de superioridade e defesa aérea.

Todas as outras aeronaves Rafale da Marinha (e da Aeronáutica) atualmente são construídos com o padrão F3. As aeronave que foram produzidas com o padrão F2 foram facilmente convertidas para o padrão F3. A transição do F1 para F3 é mais complexa e requer um programa específico. Um contrato de retrofit foi assinado em 2009 entre a Dassault Aviation, Thales, MBDA, Sagem, o departamento industrial aeroespacial frances (SIAE) e a Marinha Francesa.

A transição do padrão F1 para o F3 envolve as seguintes alterações:

  • Novos computadores eletrônicos modulares,
  • Novas telas do cockpit,
  • Nova cablagem
  • Atualização do sistema de contramedidas Spectra,
  • Alterações noradarRBE2PESA(intercambiáveis coma nova antena AESA),
  • Alterações nas estações de armas.

A entrega das aeronaves Rafale da Marinha terminará em 2017.

rafale m10 f3_2

O padrão F3 oferece o Rafale da Marinha e da Força Aérea a versatilidade completa para realizar as seguintes missões:

  • Interceptação e combate ar-ar com canhão de 30 milímetros e mísseis ara MicaIR/EM (mísseis Meteor a partir de 2018).
  • Apoio as tropas em terra com canhão de 30mm, bombas GBU-12/24 guiadas a laser e bombas de precisão.
  • Interdição de profundidade com mísseis de cruzeiro Scalp.
  • Ataque com o Exocet AM39 Block 2 e outras armas ar-superfície.
  • Reconhecimento estratégico e tático em tempo real com o pod Areos.
  • Reabastecimento em voo no sistema “buddy-buddy”.
  • Dissuasão nuclear com misseis ASMP-A

 

Das 180 aeronaves Rafale encomendados pela França, 133 já foram entregues. O Rafale foi projetado para substituir gradualmente sete tipos de aviões de combate da geração anterior. De acordo com o Livro Branco sobre a Defesa e Segurança Nacional (2013), haverá, eventualmente, 225 aviões de combate da Marinha francesa e da Força Aérea Francesa, em comparação com quase 700 na década de 90.

A frota de Rafale já voou um total de 120 mil horas, 16 mil durante operações reais de combate. Desde meados de 2013 a produção em série do Rafale é fornecido com o radar Thales RBE2 AESA. Desde a sua entrada em serviço, o Rafale foi usado em combate no Afeganistão, Líbia, Mali, África Central e no Iraque.

FONTE: Dassault Aviation – Tradução e edição: CAVOK


Anúncios

56 COMENTÁRIOS

  1. Agora não sei se o Forevis5 e o F4 conseguirá vencer os Rafales "F3" lol

    O padrão F3 é muito bom, deveria ser integrado a muito tempo, mas todos eurocanards estão atrasados.

  2. O Rafale não atuou nos recentes bombardeios ao território sírio?

  3. A Dassault também tem funilaria?

    Pensei que era só a Saab que fazia funilaria….rs….

  4. O retrofit da SAAB segundo os "especialistas" consegue deixar o caça inferior ao padrão antigo, ao contrario da Dassault …
    ahahah

  5. Gal,
    Depois dessa é melhor tu não frequentar 'certos' blogs por aí…heheehe…vão te pegar de tocaia!!! 😉

  6. Caro Galileu, eai vc sabe alguma coisa sobre os nossos AF-1 Skyhawk?

    Estão sendo modernizados ou jah foram para a reciclagem?

  7. Sobre o Gripen, só quero ver quando ele estiver totalmente pronto e testado. E claro. Vai levar algum tempo para avaliações como todo e qualquer projeto leva. Mas até lá, a verdade é que ninguém sabe a realidade. Uns dizem uma coisa, outros dizem outras.

    Veremos…

  8. Symon,
    O que eu sei é daqueles (se não me falha a memória) dois A4 enviados a Embraer em Gavião Peixoto, mas eu vi a três dias atrás um A4 voando a uns 300m por cima de onde eu moro. Se é um dos dois ou outra célula eu não sei.

    Eu via o AMX também, mas a um ano ou mais que eu não vejo ahahah. Provavelmente procede que o AMX empacou por falta $
    Estranho pois o Japa disse numa comissão no congresso certa vez que a fab tem grana pra pagar leasing de gripens, bom isso foi que eu entendi.

    ps* O barulho do motor do A4 é bonito, muito diferente do AMX que é fraquinho.

  9. Embora eu preferisse o Rafale com tanques conformais, HMD e meteor não ou odiador do Gripen. Acho que com a AESA de alto ângulo de varredura, manutenção mais baixa e transferência de tecnologia será uma boa aeronave. Pena que pelo curto alcance seriam necessário 72 exemplares e não 36.

  10. O Rafale parece ser o mais modular dos aviões delta da europa, eu lembro de uma noticia que o Typhoon não compensava fazer os trach-1 pro 3 e o Gripen precisa alterar a estrutura para caber mais coisas dentro.

  11. JPC3, além de não se poder comparar o NG com o Rafale, ter 72 unidades de gripens para compensar as distâncias, é ir contra a economia… dobro de pilotos e dobro de mecânicos… 🙂

  12. a analise desse site so confirma que o SU-35 seria a melhor escolha, e com transferencia tecnologica n teriamos o problema com pos-venda por falta de peças

  13. é o que chamam de economia a base de porcaria, tem uma aeronave maior e com isso ter alcance muito maior com muito mais carga belica acba saindo mais barato do que ter esse A/T pesado que é o gripen

  14. é o que chamam de economia a base de porcaria, ter uma aeronave maior e com isso ter alcance muito maior com muito mais carga belica acba saindo mais barato do que ter esse A/T pesado que é o gripen

  15. o cômico é que nenhum outro país se interessa pelos Typhoon trach-1….daqui a pouco serão sucateados…rss…e o Gripen pra caber mais…já estão tendo problemas com o Ng..!!

  16. …eu aposto minhas fichas que o NG mais pesadinho (tsc…tsc…) vai ser um elefante voador com menos carga e mais caro que o F-35 em 2020.!!

  17. E a trollice repetida pelo gripentelho fantasma continua… qto ao F-5 vencer Rafale na cruzex….!
    ….e não adianta apelar e inventar que tem fontes na Fab que não convence…!!

Comments are closed.