A Dassault Aviation planeja fabricar o jato executivo Falcon 2000 na Índia. (Foto: Dassault Aviation)

A Dassault Aviation, fabricante francesa dos aviões de combate Rafale, estuda fabricar jatos executivos na Índia, como um impulso a iniciativa do primeiro-ministro indiano Narendra Modi para incentivar a fabricação local.

Construindo os aviões Falcon 2000 na Índia cortariam os custos, garantindo qualidade e execução que atende aos padrões, disse o diretor executivo Eric Trappier em uma entrevista à margem da conferência anual da National Business Aviation Association (NBAA) em Las Vegas. A mudança também dará à empresa uma vantagem competitiva, disse ele, sem elaborar.

“Nós realmente queremos fazer algo que seja uma verdadeira cooperação industrial na Índia”, disse Trappier. “Estamos começando uma grande parceria”.

A empresa com sede em Paris quer aprofundar seus laços com o país do Sul da Ásia depois de oferecer um contrato de defesa no valor de US$ 11 bilhões para fornecer 126 aeronaves Rafale e eventualmente ter ganho uma encomenda de apenas 36 aviões no ano passado. A Índia concordou inicialmente em comprar todos os 126 jatos através de um demorado acordo, mesmo exigindo que a Dassault construísse alguns deles localmente.

Caso a Dassault comece a fabricar o Falcon 2000 localmente, seria um impulso para o programa emblemático “Make in India” de Modi, que visa atrair empresas estrangeiras e criar empregos indianos, uma das principais plataformas da campanha. Ficando atrás da China na fabricação há décadas, o investimento de US$ 2,3 bilhões está tentando diminuir a lacuna com seu gigante vizinho, que testou com sucesso seu primeiro jato comercial de passageiros fabricado no país neste ano.

Depois que Modi decidiu optar por menos jatos Rafale da Dassault em 2016 – todos eles importados – o principal partido opositor do Congresso criticou sua jogada dizendo que sua chamada para “Make in India” soou vazia.


Fonte: Bloomberg, via Indian Times

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA