Boeing B-47 Stratojet JATO
Boeing B-47 Stratojet JATO

Decolagens auxiliadas por foguetes foi uma moda passageira, mas que produziu belas imagens.

As decolagens por JATO eram um espetáculo a parte
As decolagens por JATO eram um espetáculo a parte

JATO (jet-assisted take off – decolagem assistida por jato. O termo RATO – Rocket-Assisted Take Off – também é utilizado) é uma forma de ajuda na decolagem, especialmente quando a distancia disponível é curta demais ou no auxilio quando a aeronave está muito carregada. A decolagem JATO é nada mais que um tipo de auxílio, ou assistência, como queiram, fornecendo impulso adicional na forma de pequenos foguetes.

Durante a Segunda Guerra Mundial foram realizados alguns estudos e algumas aeronaves usavam essas unidades, como por exemplo o Hawker Hurricane que era lançado de navios mercantes para proteger a frota, sendo que depois o piloto tinha de pousar no mar e perder o avião. O gigantesco planador alemão Messerschmitt Me 321 foi um dos que fizeram uso de foguetes.

Passado o grande conflito, as unidades continuaram sendo utilizadas, mas mais por causa da pouca potência disponível dos motores a reação, que levavam um tempo enorme até atingirem o seu máximo impulso, forçando assim o uso de longas pistas. Os estrategistas da época pensavam – corretamente – que bastava um ataque as pistas para inutilizar o uso dos aviões.

Os EUA realizaram durante a década de 1950 um estudo chamado “zero-zero”, ou seja, velocidade zero, distância zero. Para tanto, foram utilizadas versões especialmente modificadas do F-84 e do F-100. O F-104 também participou do programa. O projeto nada mais era do que um grande foguete de combustível sólido que após colocar o avião no ar, com velocidade e potência suficiente para manter toda aquela massa de metal voando, era descartado. A Marinha soviética também executou um programa nos mesmos moldes.

Com o advento de motores a reação mais potentes e de respostas mais rápidas, JATO caiu em desuso.

Douglas A3D-2 Skywarrior em 1958
Douglas A3D-2 Skywarrior (1958)
North American F-100 JATO
North American F-100 JATO
C-119 Flying Boxcar (1949)
C-119 Flying Boxcar (1949)
F-84F Thunderstreak
F-84F Thunderstreak
F-84
F-84. Os primeiros a decolarem deixavam um rastro tão denso de fumaça que os demais tinham de decolar por instrumentos
Handley Page Victor B Mk.I (1960)
Handley Page Victor B Mk.I (1960)
Os soviéticos também estudaram a utilização de JATO
Os soviéticos também estudaram a utilização de JATO
F-104 JATO
F-104 JATO
O Mirage IV foi um dos aviões que usaram de forma continua JATO
O Mirage IV foi um dos aviões que usaram de forma continua JATO
A-4C Skyhawk
A4C Skyhawk: Devido ao calor no Vietnã, o A-4 foi testado com JATO (1965)
Um PBM Mariner decola em 1944
Um PBM Mariner decola em 1944
Arado Ar 234 Blitz Bomber
Arado Ar 234 Blitz Bomber
B-29 com RATO (Rocket Assisted Take Off)
B-29 com RATO (Rocket Assisted Take Off)
Na atualidade só C-130 "Fat Albert" dos Blue Angels usa JATO, mais por parte do espetáculo do que por utilidade
Na atualidade só C-130 “Fat Albert” dos Blue Angels usa JATO, mais por parte do espetáculo do que por utilidade

Texto: Giordani

Edição: CAVOK

IAMGENS: Pinterest


27 COMENTÁRIOS

  1. Fico imaginando como a pista devia ficar bunita apos o uso do JATO….kkkk
    Agora poxa… Podia esquecer qualquer jato menos o 21!!!!kkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Muito legal, essas particularidades da aviação militar precisam ser mais divulgadas.

  3. Primeiro… Belo Artigo

    Segundo… Lindas imagens

    Terceiro… Eu já vi o "fat albert" decolando e utilizando os jatos. Mto Show.

    Quarto… Só a moçada do Cavok mesmo para nos proporcionar excelentes matérias como essa. Parabéns.

    • Só que a moçada do CAVOK tá é um terciário! O LaMarca já está por comemorar seu 70º aniversário…e o Valduga com aquela carinha de 26…tá pelos 62!

  4. Particularmente, acho que esta doutrina não deveria ser abandonada, pois no pega pra capá a pista vai ficar esburacada com bombardeios e daí, ou você encurta a decolagem no pedaço de pista que sobrou usando os foguetes ou skijump….

    Se não conseguir consertar a pista a tempo, é isto aí…

Comments are closed.