Este é o quarto pedido de aeronaves Airbus pela Delta nos últimos anos. (Foto: Fixion / Airbus)

A Delta Air Lines, de Atlanta, Geórgia (EUA), colocou uma encomenda adicional para 30 aeronaves do Airbus A321ceo. Esta encomenda segue três pedidos anteriores da Delta para a versão atual da maior versão da família Airbus A320.

A companhia aérea recebeu seu primeiro A321 em março do ano passado. A Delta já encomendou um total de 112 A321s, todos equipados com motores CFM56 da CFM International.

“O conforto, desempenho e economia do A321 fazem dele um avião muito atraente para a Delta em nossa rede de rotas domésticas”, disse Gil West, vice-presidente executivo e diretor de operações da Delta. “Valorizamos nossa parceria de longa data com a Airbus e estamos ansiosos para colocar mais aeronaves A321 em operação para o benefício de nossos clientes, funcionários e acionistas”.

“O voto de confiança da Delta no A321ceo – que leva a companhia aérea agora para mais de 100 do tipo por encomenda – demonstra o apelo dos passageiros, operadores e investidores desta aeronave”, disse John Leahy, Chief Operating Officer para Clientes da Airbus Commercial Aircraft. “A família A320 realmente oferece conforto, economia e confiabilidade inigualáveis ??para companhias aéreas como a Delta, que prestam atenção ao que seus clientes querem”.

Todos os A321s da Delta terão Sharklets para economia de combustível – dispositivos de ponta de asa com compostos leves que oferecem até 4% de economia de combustível. Este benefício ambiental dá às companhias aéreas a opção de estender seu alcance em até 100 milhas náuticas (185 quilômetros) ou aumentar a capacidade de carga útil em cerca de 1.000 libras (450 quilos).

Muitos dos A321 da Delta estão sendo entregues pela Fábrica de Manufatura da Airbus nos Estados Unidos, em Mobile, Alabama. A companhia aérea recebeu seu primeiro A321 fabricado nos EUA no ano passado. Até o final de 2017, a unidade da Airbus em Mobile deverá produzir quatro aeronaves por mês, a maioria de clientes da Airbus nos Estados Unidos.

Até o final de abril, a Delta estava voando com uma frota de 187 aviões Airbus, incluindo 145 membros da família A320 e 42 A330 widebodies.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Esta encomenda de A321neo foi uma troca com a anterior A350. Claramente redução de assentos.
    A Delta precisa também de 75+50 aeronaves menores, 140 assentos. A Bombardier venceu a Embraer, com o C100 já homologado, com opção de migrar para o C300 – 130 a 160 assentos. O C100 foi vendido com dumping ao preço de USD 19,5 milhões. O custo de fabricação é de USD 33milhões. Embraer reclamou na OMC. E agora a Boeing reclamou no depto de comércio Americano, se ganhar, estes C100 terão que pagar impostos altíssimo. E o contrato dos 75+50 pode ser anulado pela Delta. Ai a Embraer entraria com tudo via leasing dos já existentes, pois a Delta precisa destes aviões em 2018.

  2. Agora com os Airbus Made in USA creio que vendas maiores acontecerão.

  3. A Boeing entrou na briga com a Bombardier de vez. O dumping, se comprovado, a Delta terá que pagar impostos de importação de 79% já em Junho/Julho. E em Dezembro, imposto extra anti-dumping de outros 79%. Assim de USD 19,5 milhões, cada aeronave C100 sairia por USD 62 milhões. Se não houver nenhuma outra montanha de dinheiro da Bombardier, em forma de contrato de manutenção, este negócio Delta + Bombardier já era.

Comments are closed.