A nova aeronave anfíbia Orca, em desenvolvimento pela Dornier Seawings.

A Dornier Seawings anunciou a introdução do Orca, uma aeronave anfíbia multimotor baseada no design do Seastar CD2 da empresa. De acordo com a Dornier, a Orca é destinada para operações governamentais e pode ser equipada para missões de segurança, busca e salvamento e monitoramento ambiental.

Os recursos incluem uma estrutura toda em material composto e estações de equipamentos de missão internas e externas opcionais.

“O conceito principal da aeronave Orca é melhorar as missões típicas de segurança marítima, enquanto funde operações marítimas e aéreas, tornando-a uma alternativa mais superior às aeronaves rotativas”, disse a Dornier. “A Orca pode ser altamente personalizada e é ideal para o atual perfil operacional e demanda” e a empresa diz que está “em negociação com vários departamentos navais governamentais” em relação ao uso da nova aeronave Orca para missões de segurança marítima.

Espera-se que a Orca tenha um alcance máximo de 720 milhas náuticas (1.330 km), velocidade máxima de cruzeiro de 180 nós e carga útil de 2953 libras. Será alimentada por dois motores Pratt & Whitney PT6A-135A e hélices de 5 pás MT. A Dornier diz que planeja ter a aeronave pronta para entrar em serviço em 2022.

A Dornier recebeu aproximadamente US$ 170 milhões de financiamento de seus acionistas chineses para o desenvolvimento do Seastar CD2 de 12 passageiros em novembro de 2018. A Seastar voou pela primeira vez em 1984 e recebeu certificação europeia e norte-americana no início dos anos 90. No entanto, nenhuma aeronave foi entregue e apenas dois protótipos foram construídos.

1 COMENTÁRIO