Boeing P-8A Poseidon. (Imagem ilustrativa)

O Departamento de Estado dos EUA aprovou a possível venda de quatro aeronaves de patrulha marítima Boeing P-8A Poseidon para a Nova Zelândia.

De acordo com a Agência de Cooperação de Segurança da Defesa dos EUA (DSCA), o acordo é estimado em US$ 1,46 bilhão, e segue um pedido de informações da Nova Zelândia sobre o Poseidon.

A Nova Zelândia está avaliando novos aviões de patrulha marítima para substituir seus seis aviões Lockheed Martin P-3 Orion.

Além da Boeing, outros fabricantes interessados ??no negócio incluem a Kawasaki com seu P-1 de quatro motores, e a Embraer que estuda uma versão de patrulha marítima do E195-E2.

Uma das principais exigências da Nova Zelândia é alcance, a aeronave deve ter 7 horas de permanência em combate à 1.800 km da base. Além de ter a velocidade de Mach 0.82.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Nova Zelândia é privilegiada geograficamente.

    Único vizinho é o maior parceiro militar, econômico e cultural que é a Austrália.
    Pilotos que era de caça quando a NZ tinha A4 e o esquadrão desativado, a força aérea australiana aceitou todos os pilotos que quiseram se mudar. Bem provável que todos os pilotos dá NZ façam cursos nas escolas militares de aviação na Austrália.

    A maior ameaça dá NZ é o oceano! Ao menos que a China daqui 50 anos queira fazer o que o Japão fez em 1930/40 então ter 4 P-8 estão mais que suficientes para o país.

Comments are closed.