A versão armada do C295 exposta no Dubai Airshow com uma ampla variedade de armas. (Foto: Airbus)

A Airbus Defesa e Espaço está apresentando a sua nova versão armada do C295 ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento) no Dubai Airshow. Um C295 está sendo exibido na exposição estática flanqueada por uma ampla gama de armas que foram selecionadas para serem integradas nesta versátil plataforma.

A empresa assinou uma série de acordos com fornecedores de armas ar-superfície, preparando o caminho para os testes de voo que visam qualificar seus produtos para equipar o C295.

O C295 armado durante voos de testes.

Desde o memorando de entendimento previamente anunciado com a Roketsan da Turquia, foram alcançados acordos similares com a Expal, Escribano e Equipaer de Espanha, bem como com Rheinmetall da Alemanha e com os fornecedores dos EUA Nobles Worldwide e US Ordnance.

As aeronaves já foram entregues a um cliente não identificado, incluindo duas metralhadoras leves de 12,7 milímetros e equipamento, fornecidas pela Nobles Worldwide e US Ordnance, para serem montados nas portas laterais de lançamento de paraquedistas.

A próxima arma para se submetida a testes de transporte aéreo deve ser o míssil anti-tanque L-UMTAS da Roketsan. A Roketsan também está fornecendo o míssil guiado a laser Cirit e o kit de guia de bomba laser Teber-82.

O canhão automático BK 27 da Rheinmetall oferece uma opção mais pesada, montada na porta, dirigida pelo sistema de arma na porta da Escribano. A Expal exibe seus foguetes CAT-70 (2.75 polegadas) e a ogiva Mk 82 e a Equipaer possui seu lançador múltiplo CAT 70 na exposição.

O chefe da seção de aeronaves militares Fernando Alonso disse: “O desenvolvimento de novas aplicações para o C295, bem como a nossa outra aeronave, é um elemento-chave da nossa estratégia para o futuro. A flexibilidade notável projetada para o C295 torna uma excelente plataforma para uma ampla gama de configurações específicas da missão”.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Colocar misseis nas asas até acho uma boa idéia ,agora colocar canhao e metralhadora nas portas laterais ,acho uma baita gambiarra sem a minima necessidade

  2. Acho a solução desenvolvida pela Jordânia, usando o C-235 com base, mais interessante.

    • Solução usada pela americana Orbital ATK na conversão do CN-235 ISR da Jordânia com canhão 30mm foi considerada exagerada pela Airbus que usa .50 neste C-295 ISR.
      Americanos tendem a usar calibres maiores, seja por necessidade ou até tradição de exagerar nas armas, os Europeus vão de opção menor com a .50.

Comments are closed.