O governo de Gana, na África, decidiu montar uma nova companhia aérea e o 787-9 Dreamliner foi a escolha de aeronaves para começo das operações.

A Boeing e a República do Gana anunciaram hoje que o país pretende relançar uma companhia aérea começando com três aviões 787-9 Dreamliner.

As partes assinaram um memorando de entendimento no Dubai Air Show para três aviões com um valor de tabela de US$ 877,5 milhões, de acordo com os preços de tabela.

“Existe uma demanda crescente por viagens aéreas de e para Gana e acreditamos que o avançado 787-9 Dreamliner nos oferece uma máquina eficiente e flexível para lançar uma rede regional e, eventualmente, servir destinos internacionais no futuro”, disse Joseph Kofi Adda, honorável Ministro da Aviação e Membro do Parlamento da República do Gana. “O 787 tem uma excelente reputação por seu desempenho operacional, eficiência de combustível e experiência de passageiros e estamos confiantes de que temos o parceiro certo para nossa nova transportadora”.

Adda diz que a transportadora, com sede em Accra, estabeleceria a capital como um centro estratégico que serve cidades da África Ocidental. As rotas futuras incluiriam destinos na Europa, América do Norte e Ásia e o plano de longo prazo é abrir a companhia aérea para investimento e operação privados.

“A África possui uma força de trabalho jovem e crescente e vastos recursos naturais. Vemos a demanda por viagens aéreas continuando a aumentar em todo o continente. A Boeing tem a honra de trabalhar com o Gana para ajudar a relançar uma companhia aérea para atender a esse vasto mercado”, disse Ihssane Mounir, vice-presidente sênior de Vendas e Marketing Comercial da The Boeing Company. “Estamos ansiosos para trabalhar com o governo em uma solução integrada que inclua o 787-9 Dreamliner e serviços de aviação para apoiar a nova companhia aérea e fornecer uma experiência superior para seus futuros passageiros”.

O 787-9 faz parte de uma família de três aviões que oferecem autonomia de longas distâncias e eficiência de combustível incomparável no mercado de 200 a 350 assentos. O 787-9 pode transportar 296 passageiros e voar até 7.530 milhas náuticas (13.950 km), enquanto reduz o uso e as emissões de combustível em 20 a 25% em comparação com os aviões mais antigos.

Desde que entrou em serviço em 2011, a família 787 permitiu a abertura de mais de 250 novas rotas ponto a ponto e economizou 45 bilhões de libras de combustível. Todos os dias, existem mais de 1.600 voos comerciais em um 787 Dreamliner. Isso significa que em algum lugar do mundo um 787 Dreamliner decola a cada minuto. Até o momento, mais de 400 milhões de passageiros voaram no avião.

Anúncios