Aeronave Bombardier CS300 nas cores da Egyptair. (Foto: Bombardier)

A Bombardier Commercial Aircraft anunciou hoje, do Dubai Airshow, que assinou uma carta de intenção (LOI) para até 24 aeronaves CS300 com a EgyptAir Holding Company, do Cairo. Isso inclui 12 aeronaves CS300 com direitos de compra para 12 aeronaves adicionais.

Com base no preço de lista da aeronave CS300, um contrato de pedido firme estaria avaliado em aproximadamente US$ 1,1 bilhão nos EUA. Caso a EgyptAir também exerça os 12 direitos de compra para as aeronaves CS300, o valor do contrato aumentaria para quase US$ 2,2 bilhões.

Na presença de Sua Excelência Ministro da Aviação Civil do Egito, o Sr. Sherif Fathi, uma conferência de imprensa foi realizada no Dubai Airshow, onde Safwat Musallam, Presidente e CEO da EgyptAir Holding Company e Fred Cromer, Presidente da Bombardier Commercial Aircraft, comemoraram a assinatura da carta de intenção, que abre um novo capítulo na relação entre as duas empresas.

Safwat Musallam (direita), Presidente e CEO da EgyptAir Holding Company e Fred Cromer, Presidente da Bombardier Commercial Aircraft. (Foto: Bombardier)

“É um prazer ter essa nova parceria com a Bombardier, que veio como uma continuação da nossa estratégia de modernização da frota. Nós realizamos um processo de avaliação completo de nossa frota e percebemos que o CS300 caberia perfeitamente em nossos planos de negócios e estratégia de crescimento”, disse Safwat Musallam.

“Nós selecionamos as aeronaves da série C porque o seu excelente alcance nos permitirá atender melhor os destinos domésticos e regionais, incluindo cidades árabes vizinhas, Oriente Médio e vários destinos europeus. Isto é, além da economia excepcional da aeronave CS300 e cabine confortável, estamos ansiosos para expandir nossa rede com o CS300 e estamos felizes em ver que a parceria anunciada com a Airbus proporcionará suporte adicional ao programa da Série C”.

“Estamos entusiasmados com o fato de que o EgyptAir selecionou a aeronave CS300 para renovar sua frota”, disse Fred Cromer. “A perspectiva do mercado de 20 anos da Bombardier prevê demanda por 450 aviões na categoria de 60 a 150 lugares para a região e esta LOI confirma a necessidade de aeronaves deste porte no Oriente Médio. Estamos confiantes de que nossos aviões Série C de um único corredor são ideais para atender os ambientes de temperatura quente da região e, sem dúvida, proporcionará desempenho e economia que gerarão maior rentabilidade”.

A EgyptAir é a companhia aérea nacional do Egito, com sede no Cairo. Foi estabelecida em 7 de maio de 1932 como a primeira companhia aérea do Oriente Médio e África e a sétima no mundo a se juntar à IATA. A rede EgyptAir atinge mais de 70 destinos para cerca de 60 países em todo o mundo para atender às necessidades de seus clientes. A EgyptAir é membro da Star Alliance desde julho de 2008.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Interessante é que pretendem usar os CS300 no lugar dos 8 A320 e A321 maiores e antigos que vão dar baixa nos próximos anos, querem um avião que de melhor rentabilidade, mesmo sendo menor.

  2. É bem estranho mesmo WRStrobel, e mais estranho ainda é que há um mês atrás o CAVOK noticiou que apesar do Egito querer mais 12 Rafales, a Airbus desconversou por falta de financiamento. Será que deu algum problema de falta de pagamentos nas 24 unidades anteriores? Sabe que rumores corem, e creio que CS300 de Quebec não se importaria com esse tipo de coisa " financiamento e recebimento". Além disso, LOI é uma carta de intensão genérica, só para sair na foto. O próximo passo seria uma MOU, memorando de intenções, já mais detalhado mas que também não é como um contrato de compra e venda sacramentado. Lembrando que todo contrato firmado pela Bombardier terá que ser honrado pela JV da Airbus.

  3. Tem razão Ufric,me desculpe, sem querer explicar os termos de contrato de exportação celebrado direto com os Governos onde o dinheiro é recebido do Governo local, e as dividas são entre Governos. Me confundi sim.
    Oque me deixa chateado na Bombardier é que em 2015 houve uma troca de Presidentes da Área Comercial, o então presidente Mike Arcamone que sinalizava o preço do C-Series em USD 50milhões, foi substituido por Fred Cromer que era Presidente da ILFC, uma das maiores Empresas de leasing de aviões, Este Sr Cromer, sem alterar processos de fabricação ou inserir algo disruptor, trocou muita gente boa e confiável da área de Finanças e milagrosamente o preço do C-Series passou para USD 33 milhôes. Esses "milagres" financeiros só são descobertos depois de muitos anos, e prejudicam os competidores.
    O CEO da EMBRAER disse que com o C-Series na JV AIRBUS, as disputas vão ser mais previsíveis.

Comments are closed.