O sistema aéreo não tripulado Falco EVO da empresa italiana Leonardo. (Foto: Leonardo Company)

Durante o Dubai Airshow 2017, a Leonardo anunciou a primeira entrega do Falco EVO, um Sistema Aéreo Pilotado Remotamente (UAV), ao seu cliente de lançamento, um país do Oriente Médio. A primeira das novas aeronaves de produção foi concluída em agosto, com o teste de aceitação concluído na Itália em Ronchi dei Legionari, o local da Leonardo onde o veículo aéreo é projetado e fabricado. A aeronave foi entregue em setembro.

O Falco EVO, uma versão avançada do sistema remotamente pilotado da família Leonardo Falco, é uma plataforma de vigilância e aquisição de informações que pode voar por mais de 20 horas consecutivas, com a capacidade de embarcar equipamentos de até 100 kg. O Falco EVO já foi selecionado por dois países do Oriente Médio, replicando o sucesso do Falco que foi escolhido por cinco clientes internacionais. As aeronaves Falco já em operação podem ser convertidos para versão EVO, instalando um kit de transformação com asas, cauda e deriva.

Mais de 50 UAVs da família Falco estão atualmente operando em todo o mundo. A Leonardo foi uma dos primeiras a experimentar o serviço de missões de patrulha realizadas por drones, como no caso das Nações Unidas que adotaram o Falco para a missão humanitária MONUSCO na República Democrática do Congo. Este tipo de serviço exige que tanto a Leonardo opere suas aeronaves como também forneça dados de vigilância ao cliente. A nova abordagem é considerada pela sociedade como um segmento de negócios promissor para o futuro. Por conseguinte, uma colaboração com a empresa aérea certificada Heli Protection Europe (HPE) foi recentemente iniciada com o objectivo de propor aos serviços de vigilância e reconhecimento de mercado civil baseados em drones para clientes como forças policiais e operadores envolvidos na gestão de emergências.

O Falco EVO exposto no Dubai Airshow 2017.

A Leonardo é a única empresa na Europa capaz de oferecer um drone proprietário completo desde o projeto inicial até a operação, incluindo sensores, sistema de gerenciamento de missão e estação de controle de terra. O Falco também é o único veículo remotamente pilotado europeu na sua categoria que foi exportada e operada por clientes internacionais. Além do Falco, a Leonardo é líder em aeronaves de asa rotativa controlada remotamente, com o ‘Solo’ e o ‘Hero’. Além disso, o Departamento de Defesa e Defesa do Ministério da Defesa do Reino Unido assinou recentemente um acordo de dois anos com a Leonardo para o co-financiamento de atividades de pesquisa e desenvolvimento na indústria com o objetivo principal de identificar, aprimorar e empregar oportunidades oferecidas por essas tecnologias inovadoras.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA