Um novo caça MiG-29M, registro 801, destinado para Força Aérea do Egito durante voo de testes em abril de 2017. (Foto: Alexander Mishin)

A Rússia vai iniciar as entregas dos caças MiG-29M para o Egito ainda este ano, conforme informou o presidente da United Aircraft Corporation (UAC), Yuri Slyusar.

“O Egito tem muito interesse pelos aviões MiG-29, e a implementação deste contrato, treinamento de pilotos e a entrega das aeronaves e equipamentos começará este ano”, disse Slyusar, a emissora de TV Rossiya 24 na terça-feira.

Os meios de comunicação haviam informado anteriormente que a Rússia e o Egito assinaram um contrato para fornecimento de 46 a 50 aviões de combate MiG-29 até 2020.

A Força Aérea do Egito também está modernizando suas capacidades através de um acordo de 24 aeronaves com a Dassault para o caça Rafale. Reportagens da mídia local indicam que um terceiro lote de três caças Rafales chegou ao Egito no início deste mês, e o fabricante francês deve entregar outros cinco exemplos para a nação egípcia em 2017.

A United Aircraft da Rússia apresentou formalmente seu primeiro MiG-35 no final de janeiro, durante um evento que atraiu delegações de mais de 30 países e uma forte presença de líderes da força aérea russa. Moscou já manifestou interesse em adquirir o mais recente desenvolvimento da série MiG-29.

Colaborou: Rustam Bogaudinov

Anúncios

30 COMENTÁRIOS

  1. Eu gosto do Mig-29 e suas vertentes, ainda mais as que receberam eletrônica do estado da arte, mas confesso que não consigo entender os operadores de aviões ocidentais que também operam esse modelo.

    O retrospecto do Mig-29 não é dos melhores, muitos deles foram abatidos por aeronaves ocidentais, porém que não podemos só analisar a questão máquina sendo que a questão de treinamento pesa demais, isso sem citar nos armamentos empregados.

    Enfim, analiso que investir nesse equipamento é um risco, caso optaria muito mais um Su-30 ou um Su-35S, o acho muito mais capaz!

      • Sim.. fato! Concordo com vc que desconhecemos os termos.
        Porém para um país que comprou também o Rafale, o Egito parece ser um país que está preocupado com o desempenho das aeronaves que compram. Mas enfim.. jogo duro tentar decifrar os motivos dessa aeronave em questão.

    • Amigo Jodreski, você sabe me dizer se estes últimos caças russos são dóceis de se pilotar ? Li algumas matérias de antigos caças russos em que pilotos americanos puderam pilotar e eles disseram ser muito ariscos e difíceis de dominar. Isso procede ? Abraço.

      • O Mig-29 ainda usavam sistema hidráulico de controle, o que tornava o caça mais difícil de pilotar. Mesmo assim sua agilidade era uma das melhores do mundo. Atualmente, os sistemas hidráulico foram trocados por FBW e o cockpit analogico foi substituído por telas digitais. O que os pilotos reclamavam do Mig-29 era a consciência situacional limitada, mas isso já foi corrigido faz tempo.

      • Rogerio, o amigo abaixo já respondeu sua pergunta. Porém também vamos lembrar que o Mig-21 era também uma aeronave que exigia habilidade do piloto para ser pilotada. Aliás, sempre foi dito que ele nas mãos de um piloto habilidoso era um ótimo caça (vamos lembrar que os abates eram feitos por dogfight). Hoje com a evolução da tecnologia os abates por dogfight se tornarão cada vez mais raros. Eu faria uma analogia porca, que os combates aéreos evoluíram do corpo a corpo para tiro de sniper.

    • De fato, tecnicamente a compra de Flanker faz muito mais sentido em termos de capacidade e preço. Porém, tem que ver tudo que cerca. O Flanker é grande, precisa de grandes abrigos, quais acordos estavam envolvidos, etc.

  2. Isto já é usado já algum tempo, são pequenas formas serrilhadas para dar mais discrição à aeronave, especialmente quando ela estiver numa configuração mais lisa de combate, notoriamente na configuração ar-ar. Hoje em dia, com a proliferação de radares AESA, deve ter diminuído muito sua eficácia, mas com relação a radares de varredura mecânica e menos modernos, ainda tem validade.

Comments are closed.