Protótipo do KC-390 da Embraer. (Foto: Filipe Barros / Cavok)

A Embraer voltou a se pronunciar sobre o incidente ocorrido com o primeiro protótipo do KC-390 (PT-ZNF) no dia 12 de outubro. Divulgamos aqui no Cavok no dia 18 de outubro, apenas alguns dias após o ocorrido, que a aeronave de transporte militar havia passado por um evento não previsto no voo de desenvolvimento que estava sendo realizado próximo da unidade da fabricante em Gavião Peixoto. Hoje, após contato com a Embraer, recebemos uma nova posição com mais informações sobre o fato, com a empresa afirmando que a aeronave PT-ZNF voltará a voar, após pequenos reparos.

A aeronave realizava um voo de desenvolvimento dentro do programa de certificação, e quando estava voando em baixa velocidade com simulação de formação de gelo, a aeronave teve perda de sustentação (stall), e durante a queda , ultrapassou os limites operacionais de velocidade e fator de carga. Apesar disso, a tripulação conseguiu recuperar a atitude normal da aeronave e retornar para Gavião Peixoto, declarando emergência. Segundo a empresa, ninguém ficou ferido e a aeronave teve algumas peças da carenagem externa e janelas de inspeção que ficaram danificadas.

A Embraer afirma que em nenhum momento houve deslocamento da carga, afetando o Centro de Gravidade (CG) da aeronave, já que a bordo estava apenas racks de aviônicos e de sistemas de avaliação do voo de teste, e que este equipamento sim se deslocou dentro da aeronave após a queda devido a grande carga de força G sofrida na queda.

O fly-by-wire não teve nenhum efeito sobre o ocorrido, já que para simular o voo em baixa velocidade com formação de gelo as proteções de controle fly-by-wire estavam desativadas (em modo Direct Law), caso contrário não permitiria os testes de stall previstos na fase de voos de desenvolvimento.

A fabricante, através de contato pelo telefone, afirma que a aeronave voltará em breve aos voos de testes e que não houve nenhum dano estrutural que possa afetar os novos voos, e que o protótipo já está sendo reparado.

Um interessante artigo divulgado hoje pelo G1 mostra uma entrevista com um professor de Engenharia Aeronáutica da USP, onde ele diz que “apesar do risco, o incidente com KC-390 vai torná-lo mais seguro”, e que este tipo de voo de certificação ou desenvolvimento pode levar a aeronave em voos de condições extremas, para oferecer maior segurança quando a aeronave estiver operacional.

O incidente não comprometeu o prazo estipulado de entrega da primeira aeronave da FAB prevista para ocorrer em 2018, conforme relatado aqui no Cavok esta semana.

Segue o comunicado na íntegra:

“Conforme informado anteriormente pela Embraer, no último dia 12 de outubro, o protótipo 001 da aeronave de transporte e reabastecimento Embraer KC-390 experimentou um evento além do limite planejado no teste de uma das várias configurações experimentadas durante um voo de teste de certificação para avaliar as qualidades de voo em baixa velocidade com simulação de formação de gelo.

A tripulação executou os procedimentos de recuperação recomendados e conseguiu retornar ao ângulo de ataque normal de voo, porém, as características e a duração das manobras resultaram em uma perda de altitude substancial excedendo limites operacionais tanto de velocidade como de fator de carga. O teste foi interrompido e a aeronave pousou normalmente no site de teste da Embraer Gavião Peixoto. Todos os sistemas da aeronave se comportaram conforme o esperado durante todo o voo.

Após inspeções detalhadas, nenhum dano à estrutura principal da aeronave foi encontrado. Algumas carenagens externas e janelas de inspeção foram danificadas e precisarão ser reparadas antes que a aeronave retorne aos voos.

O cronograma de certificação do Embraer KC-390 não foi afetado e a entrada em serviço está confirmada para 2018 com a entrega da primeira aeronave de produção para a Força Aérea Brasileira.”

Nota do Editor: O Cavok Brasil divulgou a notícia praticamente junto da primeira fonte, no dia 18 de outubro, baseando suas informações em duas fontes ligadas aos testes na fabricante. Nosso site decidiu aguardar novas informações oficiais da fabricante antes de divulgar novas especulações, embora nesta semana uma publicação especializada tenha divulgado novas informações, sem uma posição oficial da empresa, que desmentiu tais novas informações e por isso divulgou novo comunicado oficial. Aguardaremos agora o retorno aos voos do protótipo PT-ZNF.

* Direct Law é quando os comando executados pelos pilotos nos side-sticks são transferidos diretamente às superfícies de comando, sem qualquer tipo de proteção, dependendo somente da atuação do piloto, não corrigindo a aeronave em situações extremas.

27 COMENTÁRIOS

  1. Surgiu agora uma nova explicação "durante os testes de baixa velocidade com formação de gelo, uma das placas de simulação se desprendeu, provocando uma assimetria na sustentação". Parece interessante a hipótese, pelo menos mais razoável que a explicação que a algum equipamento no compartimento de carga tivesse se soltado, até porqué mais difícil assegurar que um requisito tão específico de teste tenha falhado que prender adequadamente os equipamentos que estão sempre dentro do cargueiro.

    O que me parece verossímel é: (1) desprendimento de placa, comprometendo a atitude da aeronave e sua recuperação e (2) em meio a manobras de elevado G alguns equipamentos pesados do compartimento de carga se soltam comprometendo ainda mais a retomada do controle do KC-390, por fim até algumas partes da aeronave se soltam pela elevada velocidade.

DEIXE UMA RESPOSTA