KC-390 em voo no interior de São Paulo, Foto – Sgt Batista, Força Aérea Brasileira (2)
Embraer KC-390 / © Bruno Batista, em caráter ilustrativo

O desenvolvimento do cargueiro militar KC-390 está progredindo conforme o cronograma, afirmou um executivo da Embraer, que admitiu, entretanto, que um atraso no ano passado pode ter incomodado alguns clientes potenciais.

O KC-390 tem sido desenvolvido como um desafio direto ao C-130 Hercules, da Lockheed Martin, sendo superior a este em todos as características de desempenho, e custando menos.

No ano passado, em meio à recessão da economia brasileira, cortes nos gastos do governo forçaram a Embraer a atrasar o desenvolvimento da aeronave. Como consequência, a entrega dos primeiros exemplares para a Força Aérea Brasileira (FAB) vai ocorrer em 2018, em vez de 2016, como inicialmente planejado.

“Não esperamos que haja novos atrasos”, afirmou Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, à Reuters, em uma entrevista concedida na última terça-feira (29), durante a FIDAE 2016.

KC-390 em voo no interior de São Paulo, Foto – Sgt Batista, Força Aérea Brasileira (4)
Embraer KC-390 / © Bruno Batista, em caráter ilustrativo

“Com o primeiro protótipo, nós já realizamos mais de 150 horas de voo, e voo inaugural do segundo protótipo deve ocorrer dentro de duas ou três semanas”, afirmou, acrescentando que a certificação da aeronave deve ocorrer “no final de 2017”.

No momento, a Embraer possui 28 encomendas firmes do KC-390 para serem entregues à FAB, além de 32 cartas de intenção com outros países, incluindo Chile, Portugal e Argentina. Segundo Jackson Schneider, sem citar nomes, a companhia também está em conversações avançadas com outros países que ainda não tornaram pública sua intenção de comprar a aeronave.

Schneider disse que a Embraer mantém uma imagem positiva no exterior, apesar da atual agitação econômica e política do Brasil, mas sugeriu que o atraso do KC-390 afetou potenciais clientes.

“Claro que quando há um atraso de um ano, algumas questões precisam ser revistas. Sendo mais específico, é possível que tenhamos perdido uma oportunidade junto a um cliente que precisava da aeronave entregue em 2017. Agora não tem mais jeito, mas temos de pensar a longo prazo”, concluiu.

KC-390 em voo no interior de São Paulo, Foto – Sgt Batista, Força Aérea Brasileira (5)
Embraer KC-390 / © Bruno Batista, em caráter ilustrativo

divider 1FONTE: Reuters

EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

13 COMENTÁRIOS

  1. Eu acompanho o desenvolvimento do KCtão com um bom nível de empolgação e orgulho, e quando vejo alguma notícia do mesmo, não deixo de pensar num projeto de uma aeronave maior, do porte do C-17, mas seguindo os moldes do KC-390. É óbvio que algo desse nível não vai nascer da noite pro dia, existem inúmeros fatores que devem ser considerados para o início do seu desenvolvimento (talvez isso nem seja viável), mas, como simples entusiasta, não custa nada sonhar com algo do tipo.

  2. Belíssimas fotos. Alguém cogita qual seria esse cliente em potencial "irritado" que queria a aeronave ainda para 2017?

      • A competição FWSAR do Canadá não prevê que as aeronaves sejam entregues em 2017, sem falar que ainda não houve sequer seleção do vencedor.

    • Só notei que eram fotos depois que vc falou. Jurava que eram CG.

      Lindas mesmo.

  3. Uma pena já ter perdido um cliente potencial.

    Acredito que valha a pena bancar o KC-390, afinal do lado ocidental, temos um monopólio do C-130.

    []'s

    • Acho que ele disse que eles PODEM ter perdido uma oportunidade, o que sinceramente não acredito. O primeiro operador deve ser o Brasil, só depois é que começaram a surgir os verdadeiros interessados.

    • Tb acho, mas quero saber como a FAB vai pagar a Embraer agora com mais esse corte.

  4. Tenho uma dúvida, seria possível a conversão do KC para um versão Gunship?

  5. taí o Brasil que da certo. mesmo com a falta de comprometimento do governo federal, a Embraer segue o desenvolvimento desta belissima aeronave.
    não vejo a hora dela começar a ser entregue à FAB, e que tenham encomendas internacionais tb!

  6. A FAB falou que iria comprar 28 unidades, só não acertou quando…

    Com esse corte, possivelmente será mais ou menos assim:

    – 2018: 1 unidade
    – 2019: 0
    – 2020: 1 unidade
    – 2021: 0
    – 2022: 0
    – 2023: 0
    .
    .
    .
    2055: 2 unidades

    Total: 28 unidades

    • A FAB falou que iria comprar 28 unidades, só não acertou quando…

      Jodreski,

      Não vamos criar fantasmas aqui no Cavok. Tem outros sites mais adequados a isso. Desculpe a franqueza, mas eu sou assim mesmo!!!
      O contrato de aquisição das 28 unidades do KC-390 para a FAB já foi assinado. O que existe é um escalonamento nas entregas, de acordo com as necessidades da corporação, mas a aquisição das aeronaves em si já foi sacramentada.

  7. Provavelmente o KC-390 possuíra uma velocidade de aterrissagem muito baixa para possibilitar o uso de pistas de pouso curtas, isto fica evidenciado pelos flaps, que me parecem do tipo Fowler, em quase toda a extensão das asas, que ao meu ver parecem estar entre 50° ou 60° pelo menos!

Comments are closed.