O jato de transporte militar KC-390 atingiu a Capacidade Operacional Inicial (IOC).

O novo jato de transporte militar e reabastecimento Embraer KC-390 completou um marco fundamental hoje, com a demonstração pela Embraer à Força Aérea Brasileira (FAB) do atingimento da Capacidade Inicial de Operação (Initial Operational Capability – IOC).

O atingimento da IOC assegura as condições necessárias para o início da operação da aeronave, em conformidade com o escopo acordado com a FAB. Como parte da IOC, a Embraer obteve um Certificado de Tipo Provisório do KC-390 junto à ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), atestando a adequação do projeto aos exigentes requisitos de certificação de aeronaves da categoria transporte.

“É com grande satisfação que anunciamos o atingimento deste marco importante para o Programa KC-390”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “A campanha de certificação tem avançado conforme o planejado e os testes realizados tiveram grande sucesso, comprovando a maturidade da aeronave e confirmando o desempenho e as capacidades previstas”.

Até o presente momento, a campanha de ensaios acumula mais de 1.500 horas de voo nos dois protótipos e mais de 40.000 horas de testes em laboratório dos diversos sistemas da aeronave. A campanha de ensaios estruturais se aproxima do fim, restando apenas o ensaio de fadiga em corpo de prova em escala real.

Ao longo de 2018, estão previstos a emissão do Certificado de Tipo final pela ANAC, bem como a realização de ensaios em voo de diversas funcionalidades militares, incluindo testes remanescentes de reabastecimento aéreo, lançamento de cargas e outros, visando o atingimento da Capacidade Final de Operação (Final Operational Capability – FOC), objeto da certificação militar final da aeronave.

A entrega da primeira aeronave de série à FAB está programada para acontecer ainda em 2018.

10 COMENTÁRIOS

  1. Acho que tá todo mundo esperando pra ver um pouso numa pista não preparada.

  2. Estava vendo que nos EUA e RAAF a IOC é declarada pela Força Aérea, após o recebimento e testes da aeronave, interessante a Embraer declarar a IOC de um avião que a FAB ainda não testou.
    Mas como vada país tem sua metodologia.

    • Lendo a matéria, dá a entender que quem deu a certificação foi a ANAC e não a EMBRAER, esta apenas apresentou tal certificado à FAB.

  3. Wellington,

    Também interpretei assim. O Embraer dá fé que alcançou IOC e a ANAC, considerando os critérios que definiu corrobou e concedeu o Certificado Provisório.

    Até o momento o projeto deu uma lição de bom senso não seria agora que ia fazer tudo de forma negativamente "criativa".

  4. Um grande avanço para a FAB, que será destruído caso o Golpista-Mor entregue a EMBRAER a BOIENG.

Comments are closed.