Três importantes fornecedores foram definidos pela Embraer para a aeronave KC-390. (Foto: Embraer)

Num comunicado divulgado nessa quinta-feira, dia 8 de setembro, a Embraer Defesa e Segurança informou que acaba de selecionar três importantes fornecedores chaves de sua aeronave de transporte e reabastecimento aéreo KC-390. Os fornecedores são a AEL Sistemas, que fornecerá o computador de missão; a Cobham, para fornecer os pods de reabastecimento e a Selex Galileu, encarregada de fornecer o radar de missão. Saiba mais detalhes abaixo.

 

No primeiro comunicado, a Embraer Defesa e Segurança informa que selecionou a empresa brasileira AEL Sistemas S.A., de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, para fornecer o computador de missão para o jato de transporte militar e reabastecimento em vôo KC-390. O programa de desenvolvimento da aeronave avança conforme o planejado.

“A complexidade do inovador e moderno KC-390 exige fornecedores de primeira linha”, disse Eduardo Bonini Santos Pinto, Vice-Presidente de Operações & COO, Embraer Defesa e Segurança. “Em função desta necessidade, nossa parceira de longa data AEL mais uma vez atende aos nossos exigentes critérios, definidos com base nas necessidades do mercado.”

O computador de missão da AEL que equipará o KC-390 consolidará uma bem-sucedida parceria estabelecida por ocasião do fornecimento deste sistema para outros programas da Embraer, tais como o Super Tucano, A-1M e F-5BR. O computador disponibilizará os recursos computacionais necessários para o funcionamento do software responsável pela integração de importantes sistemas de missão, como enlace de dados (data-link), radar tático, sistema de auto proteção e cálculo do ponto de lançamento de cargas. Outras características importantes como robustez, flexibilidade e escalonamento foram fundamentais na escolha da AEL para fornecer o computador de missão para o Programa KC-390.

“Estamos muito satisfeitos com a escolha da AEL, pela Embraer, para fornecer o processador de missão do KC-390”, comentou Vitor Neves, Vice-Presidente de Operações da AEL. “Esta é mais uma conquista em nossa longa e bem-sucedida parceria com a Embraer e acreditamos que ela fortalecerá ainda mais a cooperação entre as duas empresas.”

A AEL Sistemas S.A. é uma empresa brasileira com sede em Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, com 28 anos de história. Com 250 empregados, é líder na fabricação de hardware e software para aviação no Brasil. A empresa fabrica equipamentos para os setores de defesa (forças armadas), espacial, automotivo e segurança nacional. A AEL também atua em suporte logístico e investe no desenvolvimento de tecnologia.

O segundo comunicado diz respeito a Cobham, empresa com sede em Dorset, Inglaterra, que vai fornecer os pods de reabastecimento em vôo para o jato KC-390.

“O inovador jato de transporte militar e reabastecimento KC-390 da Embraer definiu requisitos exigentes a serem cumpridos pelos fornecedores”, disse Eduardo Bonini Santos Pinto, Vice-Presidente de Operações & COO, Embraer Defesa e Segurança. “A vasta experiência no setor aeroespacial da Cobham e os mais de 75 anos de história da empresa agregam expertise e produtos comprovados aos projetos da Embraer.”

Os pods de reabastecimento em vôo são sofisticados dispositivos instalados embaixo das asas que possibilitam a transferência de combustível do KC-390 para outra aeronave. O processo é realizado por meio de uma mangueira retrátil que se conecta à aeronave a ser abastecida. Após o reabastecimento, o conjunto é recolhido e guardado dentro do pod. A operação é controlada e monitorada, todo o tempo, pela tripulação da aeronave, por meio de painéis de controle e câmeras de vídeo.

Após o anúncio, Iain Gibson, Vice-Presidente da Cobham Mission Equipment disse: “A Cobham Mission Equipment está feliz por ter sido escolhida pela Embraer e pela Força Aérea Brasileira para fornecer os pods de reabastecimento em vôo para o KC-390. Este programa é muito importante para a Cobham Mission Equipment e o rigoroso processo seletivo reforçou a posição da empresa de líder mundial no fornecimento deste tipo de sistema. Temos orgulho de ser um parceiro da Embraer e estamos confiantes que nosso produto fornecerá uma excelente capacidade de reabastecimento em vôo para o KC-390.”

A Cobham é especializada no fornecimento de informações, conectividade e meios de comunicação para o mercado de defesa, segurança e comercial. Oferecendo uma ampla gama de serviços e tecnologias tecnicamente diversificados e inovadores, o grupo protege vidas e comunidades, atendendo às necessidades dos clientes com agilidade diferenciada. O maior valor da empresa é a confiança. Empregando mais de 11 mil pessoas em cinco continentes, o grupo possui clientes e parceiros em mais de 100 países e receita em torno de GPB 1,9 bilhões (USD 3 bilhões).

E no terceiro comunicado, a Embraer Defesa e Segurança informou que selecionou outra empresa mundial de primeira linha – a SELEX Galileo, da Itália – para fornecer o sistema de radar de missão para o jato de transporte militar e reabastecimento KC-390.

“Estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos até o momento pela atual e desafiadora fase de seleção de fornecedores de sistemas-chave do KC-390” disse Eduardo Bonini Santos Pinto, Vice-Presidente de Operações & COO, Embraer Defesa e Segurança. “Acreditamos que a SELEX Galileo tem a expertise, experiência e atuação global para ser um importante parceiro do programa de transporte militar da Embraer.”

O radar tático Gabbiano, modelo T-20, da SELEX Galileo, utiliza tecnologia de última geração para executar todas as missões do KC-390. Contando com um transmissor que usa a nova tecnologia SSA (Solid State Amplifier), este radar tem a vantagem de possui maior MTBF (Tempo Médio entre Falhas), além de apresentar consumo de energia, peso, volume e custos de manutenção reduzidos.

“Estamos trabalhando com a Embraer em vários programas, fornecendo sistemas embarcados, e ficamos particularmente honrados com a escolha do nosso avançado sensor de radar como base para a nova aeronave de transporte da Embraer. O KC-390 deverá ter uma atuação destacada no mercado mundial de transporte aéreo tático e temos a honra de fazer parte deste programa”, disse Fabrizio Giulianini, CEO da SELEX Galileo, acrescentando: “Também temos a confiança de que esta parceria trará novas oportunidades para expandirmos ainda mais nossa colaboração com a Embraer e nossa presença no país.”

A SELEX Galileo, uma empresa do grupo Finmeccanica, é líder no mercado de eletrônicos para defesa, e tem ampla experiência em sistemas críticos embarcados e capacitação em aplicações de segurança nacional e militar.

Fornecendo e dando suporte a equipamentos em todo o mundo, a empresa possui um negócio realmente global. Seus 7 mil empregados são capazes de estabelecer relacionamentos dedicados com clientes nos cinco continentes, possibilitando à SELEX Galileo atender às necessidades específicas detectadas por suas equipes da linha de frente.

A SELEX Galileo investe 15% da sua receita em pesquisa e desenvolvimento, o que permite à empresa dispor da mais moderna tecnologia em eletrônicos para defesa. Vários centros de excelência em desenvolvimento de tecnologia reconhecidos, assim como parcerias com governos, instituições acadêmicas e centros de pesquisa, contribuem para que a empresa disponibilize abordagens pioneiras a seus clientes.

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. E assim o "KCESTEIN" vai sendo criado!!!!!!!!!!!!!Para os protótipos eu ate concordo com a compra de prateleira ,mais para os aviões de serie eu acho que a industria nacional devia ser chamada para desenvolver produtos.

    • “KCESTEIN”??????????????

      Ué quantos fornecedores você acha que o C130 hercules tem?

      Quantos fornecedores você acha que o A-400 tem?

      Quantos fornecedores você acha que C-17 tem?

    • Caro Jakson,

      Se fosse possível citar uma empresa Brasileira(não vale filial americana/européia/israelense), para cada fornecedor estrangeiro selecionado, capaz de entregar o mesmo componente , com a mesma qualidade e preço, seria ótimo.

      Mas a REALIDADE não permite. Só de termos uma Embraer, capaz de projetar e desenvolver uma avião desse porte, deve ser motivo de orgulho;

      []'s

  2. Um avião com componentes 100% nacionais não ia vender nada lá fora. Seria algo como um Tu-204, quem comprou? Já o Sukhoi SuperJet, tem mais chances de ser vendido. Se a FAB fosse comprar 300 aviões tudo bem, mas não é assim, é preciso vender lá fora.

  3. E assim nasce a futura plataforma de múltiplos usos da Embraer/FAB!

    Transporte

    Patrulha marítima

    Awac

    Embraer..orgulhe-nos!

Comments are closed.