Airbus A330-900 (A330neo) nas cores da Emirates Airlines. (Foto: Airbus)

Após uma revisão de suas operações e à luz dos desenvolvimentos em tecnologias de aeronaves e motores, a Emirates está reduzindo a sua frota de A380 de 162 para 123 aeronaves. A Emirates também decidiu continuar crescendo com a nova geração de aeronaves widebody flexíveis da Airbus, encomendando 40 aeronaves A330-900 e 30 A350-900.

O novo pedido para 70 aeronaves está avaliado em US$ 21,4 bilhões, com entregas a partir de 2021 (A330-900) e 2024 (A350-900).

O A330neos será implantado nos destinos regionais da Emirates e também permitirá que a companhia aérea atenda a aeroportos menores, enquanto os A350 complementarão as operações de longa distância da Emirates, proporcionando à transportadora flexibilidade adicional em termos de implantação de capacidade em voos de 8 a 12 horas do seu hub de Dubai.

A Emirates ainda receberá outros 14 A380 nos próximos dois anos. Mas como consequência e dada a falta de pedidos em carteira com outras companhias aéreas, a Airbus cessará as entregas do A380 em 2021.

O sheik Ahmed, presidente do conselho e executivo-chefe da Emirates Airlines e do grupo, disse que a decisão de se afastar do A380 veio “depois de muitos meses de discussões” com a Airbus e a Rolls-Royce.

“A Emirates tem sido um firme defensor do A380 desde a sua criação”, disse o sheik Ahmed. “Enquanto estamos decepcionados por ter que desistir de nossa ordem, e triste que o programa não pode ser sustentado, aceitamos que esta é a realidade da situação.”

O presidente da Emirates descreveu o A380 como “uma maravilhosa aeronave amada por nossos clientes e nossa tripulação”, apontando que “continuará a ser um pilar da nossa frota até a década de 2030”, com planos de continuar a investir no interior das aeronaves.

“O A380 é o carro-chefe da Emirates e contribuiu para o sucesso da companhia aérea por mais de dez anos. Por mais que lamentemos a posição da companhia aérea, selecionar o A330neo e o A350 para seu crescimento futuro é um grande endosso de nossa muito competitiva família de aeronaves widebody ”, disse Guillaume Faury, presidente da Airbus Commercial Aircraft e futuro CEO da Airbus. “No futuro, estamos totalmente comprometidos em cumprir a confiança que a Emirates está depositando na Airbus”.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Imagine a redução de custos que a Emirates terá com essa troca! Que o A380 é uma fantástica obra da engenharia, isso não há dúvidas, porém os custos de operação e manutenção também devem ser fantasticamente elevados! Uma pena!

Comments are closed.