Um Boeing 737-200 da companhia aérea Rico. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) cassou ontem a concessão para exploração do serviço de transporte aéreo da empresa Rico Linhas Aéreas S.A., em cumprimento à sentença judicial da 3ª Vara Federal no Amazonas. A empresa, junto com a Trip, faz o maior número de voos de passageiros na região Amazônica. A reportagem tentou falar com a assessoria da Rico, mas não obteve resposta. O site da empresa está fora do ar.

A decisão da diretoria da Anac que cassou a concessão da empresa foi publicada anteontem no Diário Oficial da União. A sentença foi baseada em ação civil pública do Ministério Público Federal do Amazonas, que pediu a cassação da licença alegando falta de segurança na prestação do serviço.

Segundo a assessoria do Ministério Público, na ação civil pública, o órgão sustenta que a empresa não atendia aos requisitos legais para a prestação adequada do serviço, mediante regularidade, eficiência e, principalmente, segurança. “As condições precárias das aeronaves e dos serviços prestados pela empresa ficaram evidenciadas após a ocorrência de acidentes com vítimas fatais, além de constantes cancelamentos de voos e incidentes que causaram pânico nos passageiros”, diz a ação.

Em 14 de maio de 2004, um avião Brasília da Rico, que partiu de Manaus para Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus) caiu a aproximadamente 40 quilômetros da capital, matando 33 pessoas. Dois anos antes, em 30 de agosto de 2002, outra aeronave do mesmo modelo, caiu em Rio Branco (AC), matando 23 pessoas.

De acordo com a ação civil pública, o relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) emitido após a queda do avião que fazia a rota para Tabatinga, em maio de 2004, apontou que “o treinamento deficiente da tripulação e a falta de supervisão adequada (…) contribuíram para a ocorrência do acidente”.

Fonte: O Estado de São Paulo – Liege Albuquerque

11 COMENTÁRIOS

  1. O usuário das linhas aéreas dentro do Brasil, paga caro, tem transtornos nos aeroportos, (que por sinal, são um lixo em quase todos os quesitos), tem um serviço de atendimento ruim, temos mais uma coisa para nos preocupar…

    …sera que a tripulação esta qualificada para operar este equipamento ???

    O Brasil velho de guerra… cada uma que passamos…

    • Vê-se que você não conhece aeroportos fora do Brasil e só está informado pela imprensa partidária do oligopólio da informação. Os aeroportos do Brasil não são lixo, Galeão, Cumbica, Guararapes por exemplo, são maiores e melhores que Ezeiza (B. Aires) ou O'Higgins (Santiago).
      O que ocorre é, ótima notícia, o número de pessoas que passou a ter condições econômicas de voar expandiu-se enormemente nos últimos anos, e continua aumentando, o que é bom para todo o setor, causando um ou outro incômodo eventualmente, para a burguesia fascista poder se queixar e comparar nossos aeroportos ao JFK ou CDG (em ambos tem filas tb cumpadre, mas muitos aceitam fila em inglês ou francês como coisa de gente fina), nunca com aeroportos de países da nossa região.
      Não se deixe iludir pela imprensa oligopolista.

      • heheh, é sempre legal ler textos da pelegada "PaTriótica", onde tudo está perfeito e onde "nunca na história deste país…" tivemos tudo perfeito.

        Eu viajo muito de avião e claro, na minha opinião, nossos aeroportos não são um lixo, precisam muito de melhorias urgentes, o de Guarulhos é preocupante, para quem frequenta o aeroporto nos horários de pico sabe que um simples tempo ruim e um ou outro vôo atrasado já representa grandes demoras.

        Os aeroportos sitados por nosso amigo otimista, vejam só, todos na America do Sul em países sub-desenvolvidos.

        Todos tem problemas, mas o que me chama a atenção é o ataque desproporcional do nosso amigo contra a "burguesia" e imprensa oligopolista.

        Não consigo entender e visualizar qualquer atitude oligopolista na impressa, Record, Globo, SBT e Band não compartilham a mesma linha editorial e portanto não me parece que vemos algo oligopolista, mas o que seria??? Elas estariam falando mal dos "excelentes" aeroportos??? Sim, porque se estamos falando mal dos aeroportos e vc acha que elas são oligopolistas, então para vc elas falam muito mal dos mesmos???

        Que viajem, a Europa, os EUA, todos tem muitas qualidades e muitos defeitos, mas achar que o Brasil é uma maravilha, só se for no clima, por que em investimentos públicos não é nem 10% do que são os países de primeiro mundo.

        • Pelego Detetado,

          Os aeroportos da América do Sul citados são de países menos pobres que o Brasil, tanto que de renda per capita bem mais elevada que a nossa.

          A citação à imprensa oligopolista é simples contestação, 11 famílias dominam, e pelo jeito vão continuar a dominar, praticamente toda comunicação escrita, falada e televisada no Brasil. Propriedades cruzadas (uma mesmo grupo possuir diversos tipos de veículos de comunicação, por exemplo, jornais, revistas TVs, internet, rádios, etc.) é proibida na Argentina, nos EUA e na maioria dos países democráticos europeus, por restringir a diversidade de opiniões.

          Há pouquíssima diversidade de informação no Brasil, é raro se ver algum contraditório de idéias ou opiniões em nossa imprensa, só a opinião ou o que interessa aos proprietários é divulgado.

          Mas voltando aos aeroportos acho um acinte criticar aeroportos razoáveis ou "mais ou menos" se você quiser, em um país em que a população não tem assistência médica decente, é tratada em hospitais públicos como gado de segunda, em corredores, em macas nojentas, e cuja educação pública antigamente de excelente qualidade, foi propositalmente destruída, sendo que hoje, com raras exceções, para não se tornar um analfabeto funcional quem pode deve recorrer a uma instituição privada.

          Eu não disse que aqui tudo era uma maravilha, disse que nossos aeroportos são no mínimo equivalentes a países até mais ricos que nós, só isso, mas a burguesia reacionária se preocupa é com eles, com sua ex-exclusividadezinha de m., já o que verdadeiramente importa, a assistência médica e a educação para o povo e para quem não pode pagar, que se dane, eles não estão nem aí, se preocupam é com seus lucros e ganhos, com suas empresas e planos de saúde que funcionem e faturem, claro.

          Não sou partidário desse governo, acho ele tímido demais, lento demais, condescendente aos valores burgueses demais.

  2. Que pena! Lembro dois dias em que o avião da RICO sobrevoava Porto Velho. Querendo ou não a RICO levou desenvolvimento para a região, aonde o descaso das outras CIA's era grande.

    Como a VARIG, mais uma empresa se vai. Sentirei saudades, já que a situação da RICO se arrasta a anos, desde que os voos com os B737 foram suspensos.

  3. A ANAC esperou uma decisão do ministério público para tomar uma decisão, a qual condena a empresa, pergunto a ANAC será que tem fiscalizado as aéreas? Pois tudo indica que corre a revelia a segurança aérea no Brasil. É algo a se preocupar e muito. Pois já vi absurdos com empresas grandes imagina o que ocorre cos as pequenas.

    • Fox, concordo com você.. A notícia faz crer que realmente houve negligência na fiscalização da ANAC..

  4. Só de olhar para o avião já dá pra perceber que nem por um upgrade ele passou. Olhem esses motores!

    • Desculpa cara… mas chamar o Braguinha de pré-histórico é forçar a barra… no máximo chamá-lo de Clássico… Pré-históricos são 14-bis, Demoiselle e Flyer. Pode ser uma aeronave antiga, mas se a manutenção estiver em dia, voa bem. Que o digam os DC-3 por ai.

Comments are closed.