A empresa CETC Wuhu Diamond Aircraft Manufacture apresentou uma maquete da aeronave turboélice de treinamento que está desenvolvendo na China.

A empresa conjunta sino-austríaca CETC Wuhu Diamond Aircraft Manufacture está desenvolvendo uma “nova” aeronave turboélice de treinamento destinado para treinamento de voo inicial dos futuros pilotos da Força Aérea do Exército de Libertação Popula da China (PLAAF). O projeto é desenvolvido a partir do turboélice DART-450.

Espera-se que este produto concorra com a aeronave de treinamento chinesa Hongdu L-7 (CJ-7), cujo desenvolvimento está sendo conduzido no âmbito de um projeto da Yakovlev iniciado em 2006.

A aeronave original DART 450 desenvolvida pela Diamont Aircraft.

A “nova” aeronave foi originalmente desenvolvida pela fabricante de aeronaves austríaca Diamond Aircraft Industries e foi chamada de DART-450 (Diamond Aircraft Reconnaissance Trainer). É alimentada por um motor turbopropulsor Ivitchko-Progress Engine Sich AI-450S de 495 hp (369 kW).

A empresa CETC Wuhu Diamond Aircraft Manufacture foi fundada em dezembro de 2013, e está localizada no Parque Industrial de Aeronaves Wuhu, na província de Anhui. Tem uma área de produção de 60.000 metros quadrados, podendo atingir a marca de 400 aeronaves produzidas anualmente.

A empresa chinesa criou uma cooperação técnica abrangente com a austríaca Diamond Aircraft Industries, apresentando e produzindo dois tipos de aeronaves avançadas, como o DA20 e DA42, multiusos em geral, e desenvolvendo novos tipos de aeronaves.

12 COMENTÁRIOS

  1. A tempos com o sucesso do DA-20 monomotor para duas pessoas, DA-40 monomotor para 4 pessoas e DA-42 bimotor para 4 pessoas na instrução civil e militar a Diamond austríaca queria fazer uma aeronave de instrução com DNA militar.
    Apresentaram o protótipo do DART-450 no ano passado e estavam procurando recursos para concluir a certificação depois fazer a produção seriada, apareceu da China.
    Ele ja começou certo, com opção de motor GE da familia H-80(Walter M601) com potencia reduzida para 550 shp para o ocidente, voando no terceiro protótipo e motor Sich ucraniano para os chineses e outros interessados não alinhados com os EUA, que voa no primeiro e segundo protótipo.
    .
    SICH AI-450: http://www.motorsich.com/eng/products/aircraft/tr/ai-450...
    .
    GE H-80: http://www.geaviation.com/sites/default/files/datasheet-...

  2. Lançaram a poucos anos o Diamond DA-50 para 5 pessoas que tem vários motores a disposição, este ano lançaram a versão maior para 7 pessoas.
    Tem a disposição os motores:
    – Turbocharged & FADEC Teledyne Continental TSIOF-550J para uso certificado FAA.
    – Austro Engine AE 300 diesel para uso certificado EASA.
    – Safram SMA SR305-230 diesel engine para uso certificado na França
    – Ivchenko-Progress Motor Sich AI-450S para uso na China e outros.
    E agora estão certificando com um motor Lycoming IE2 FADEC-controlled 540-series para venda da versão maior nos EUA.
    . https://m.youtube.com/watch?v=CeYMAXV8-u4
    .
    E a gente vê a Embraer perder venda por não fabricar o A-1 e o ST sem alternativa de motor ou aviônicos. Dizem que custa caro certificar uma alternativa.

  3. Podem fazer o que for, nenhum terá a beleza e a suavidade das linhas do ST.

    • O ST é realmente bonito, mas a Diamond também sabe fazer aviões muito bonitos, esse do artigo é um dos mais bonitos instrutores primários.
      Veja a feiura do projeto Hongdu Yakovlev CJ-7 com o qual ele vai concorrer, mas apesar de feio é um CJ-6 modernizado com glass cockpit e sistema de escape russo com paraquedas, um avião testado e aprovado.
      Ainda tem a questão do motor, a China vai preferir usar o CJ-7 com o motor radial chinês ou vai querer importar um MotorSich da Ucrânia?
      . http://files.ruslet.webnode.cz/200008011-d89e3d8c

  4. Qual a data limite para substituição dos Neiva e dos Tucanos na AFA ?

      • O T-27 ja tem modernização certificada pela Embraer feita pela Colombia pela CIAC, com novo glass cockpit da Cobham inglesa, novas asas produzidas no Brasil e reforço estrutural com peças produzidas na Colômbia projetadas pela Embraer, com opção de troca do trem de pouso caso seja avaliado que precise.
        Por força do offset da compra dos ST só a Colombia pode fazer esta modernização para os T-27 mundo afora, exceto os da FAB que poderiam ser feitos aqui. O motor como é um P&W PT6 com suprimento disponível não necessitou de troca.
        Cockpit antigo: http://www.airliners.net/photo/Brazil-Air-Force/Embraer-...
        .
        Cockpit modernizado: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A
        .
        O T-25 ainda voa muito bem com alta disponibilidade e não inspira preocupação, como hoje só é utilizado na AFA poderia ter o seu cockpit para voo IFR substituido por uma versão bem mais simples para voo VFR, pois na instrução primária e básica não se voa IFR. Mas seus aviônicos atuais são de linha civil e ainda podem ser reparados pelas oficinas da FAB e conveniadas e podem ser mantidos por mais tempo.
        Não podemos esquecer a a FAB ja teve muitos T-25 e hoje só voa na AFA, tem muito estoque para se tirar o que precisar.
        Esse é o maior problema para a Novaer que oferta o seu avião de instrução para substituir o T-25, é um direito deles oferecer o avião, mas a FAB ainda não precisa dele, pelo menos não agora.
        Cockpit do T-25: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/

        • Obrigado WRStrobel .. mas finalizando, por ser instrução primária a célula do Neiva não é judiada, então eles ainda tem muita lenha pra queimar? Existe a possibilidade de modernização por parte dos Tucanos da AFA?
          Teria que haver uma mudança na doutrina e no ground school enorme para os Cadetes caso a aeronave adotasse um glass cockpit.

          • A Neiva fabricou 189 T-25 e descontando os 10 comprados pelo Exército do Chile, os 11 doados ao Paraguai em 1983 e 2005 e os 6 doados a Bolívia em 2005 e os acidentados ficaram muitos aviões no Brasil para o PAMA-LS selecionar os melhores aviões para hoje só voarem no 2° EIA na AFA.
            Por isso ainda voam bem e não representam preocupação, o dia que forem substituir tem várias opções no mercado custando de dois milhões de dólares como um Grob G120A com aviônica "analógica" usado pela Alemanha, França e Israel, passando por este Diamond de 3 milhões até chegar ao topo de linha no segmento, um Grob G120TP de 4 milhões de dólares que pode ter cockpit digital usado pelo US Army, RAF, Indonésia, Argentina, México e outros.
            Ainda tem o Novaer se o Brasil quiser investir nesta empresa já que liberaram empréstimo para fazer o protótipo, correndo o risco de ser como Aerotec que fabricou o T-23 e depois a FAB não comprou o sucessor T-17 e a fábrica morreu.
            .
            Quanto ao uso de glass cockpit, ele não gera nenhum problema de adaptação, as mesmas informações mostradas nos instrumentos analógicos estão mostradas no display, sem problemas, são necessárias poucas horas de adaptação em simulador para um piloto usar o glass cockpit.

  5. Sobre a situação do treinador primário e básico da FAB, o Neiva T-25 Universal:
    . http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/15749/OPERACIONAL%...
    .
    Isso é um banho de água fria no Novaer, que tem todo o direito de desenvolver seu próprio avião e recebeu recursos do GF(FINEP) para isso, mas no momento a FAB não precisa.
    No futuro poderá participar de uma concorrencia com outros aviões e ja está com seu avião demonstrador pronto.
    . http://www.novaer.ind.br/projetoTXc.html

Comments are closed.