Um empresário tentará levantar 20 milhões de libras para comprar o INS VIraat, o ex HMS Hermes. Andy Trish, dono de uma empresa de TI, serviu a bordo do navio durante a Guerra das Falklands.

O HMS Hermes foi vendido para a Índia em 1987 – mas pode ser trazido de volta ao Reino Unido por um veterano da Falkands que dirige um negócio global de TI na Cornualha.

O HMS Hermes, agora conhecido como INS Viraat, serviu durante seis décadas em duas marinhas diferentes. Ele foi desativado pela Marinha indiana em 2017 e o Parlamento da Índia já ouviu que o navio será vendido como sucata. No entanto, a notícia de que ele será desmantelado, reviveu uma tentativa do Reino Unido de salvar o navio de guerra e transformá-la num museu.

O HMS Hermes em plena guerra das Falklands

Andy Trish, que dirige a empresa global de TI NCI Technologies na Cornualha, foi um jovem aviador naval a bordo do porta-aviões durante a guerra de 1982.

De volta a 2017, o Sr. Trish lançou uma campanha, juntamente com o deputado conservador David Campbell Bannerman, para salvar o HMS Hermes, e tentar comprar o navio do governo indiano.

No entanto, Trish disse que o governo indiano não queria vender, porque tinha seus próprios planos de converter o porta-aviões em um hotel flutuante. Mas agora, depois que o governo central e os governos estaduais da Índia não conseguiram chegar a um acordo para levantar o dinheiro necessário para o projeto. Agora o governo indiano vai aceitar lances para vender o Viraat para sucata.

Podemos fazer uma oferta por sucata e trazê-la de volta ao Reino Unido“, disse Trish. “Não temos uma escala de tempo no momento, porque acabamos de descobrir. Passei seis horas no telefone com as pessoas na Índia ontem“.

INS Viraat

Trish disse que o membro do parlamento David Bannerman está mais uma vez envolvido na tentativa de salvar o HMS Hermes.

Enquanto o governo do Reino Unido será solicitado a fornecer assistência política, Trish disse que a proposta é um “empreendimento totalmente privado” e não envolverá dinheiro do contribuinte.

O plano seria ver HMS Hermes rebocado para o Reino Unido e ser transformado em um museu, potencialmente em Liverpool ou Londres. Enquanto outros portos estão sendo considerados, Trish disse que é improvável que Plymouth seja uma opção, porque a cidade não tem uma demanda turística grande o suficiente para tornar o empreendimento rentável.

O Hermes pode voltar pela segunda vez ao Reino Unido

Além de um museu, o plano é que o Hermes sirva de palco para conferências e casamentos e, Trish disse, que três empresas de cinema já demonstraram interesse em contratar o navio como locação de filmes.

Poderíamos estar em funcionamento por cerca de 15 a 20 milhões de libras“, acrescentou Trish.


Com informações de Cornwall Live

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Um misto de patriotismo e saudosismo.
    Falta isso por aqui.. Não temos a cultura de valorizar nossa história.
    Tomara que ele consiga, seria um belo destino para esse guerreiro.

  2. Vamos vender o A12 para eles…podem levar até alguns Almirantes junto!

  3. Não gosto muito desses "empresários" de coisas complicadas — a serem feitas com o dinheiro dos outros.

    Não vemos um Richard Branson, ou equivalente, nesse tipo de empreendimento — se autofinanciando.

    Mas, que dê certo — quero ver que filmes são esses que precisam de locação em navio-aeródromo STOBAR (certamente com o vô Steven trash Seagal)…

Comments are closed.